quinta-feira, setembro 27, 2007

O sexo vigiado

O sexo é uma coisa natural, misteriosa como todas as coisas naturais, e que só tem piada enquanto descoberta e aventura pessoal, espontânea. Para estragar o sexo já basta a pornografia massacrante, o matrimónio de conveniência e os tarados todos da masturbamulta . De todo, não precisamos, para reforço de tal desastre, da merda do Estado, mais a caterva hiperactiva dos seus acólitos, ectopasmas e amanuenses.
Proibido e recôndito é que o fruto se torna mais apetitoso. Difícil é que a conquista devém mais desafiadora e gratificante.
Vem isto a propósito do que se segue.
Lembram-se disto? (A sugestão aos pais para massajarem os genitais dos filhos, feita pelo Governo Alemão, na Alemanha...)
Pois, por cá, vamos nisto:
«Educação Sexual deverá começar logo no 1.º ano». (Mais um tempito, e deve iniciar-se no berço...)
Um Estado que não quer saber dos cidadãos para nada, agora quer meter o bedelho no sexo dos filhos dos cidadãos. Uma sociedade sem educação nenhuma, quer bancar a educadora sexual - entretém-se agora a mexer na pilinha ou no pipi. Ainda por cima dos filhos dos outros.
Como se já não bastassem as televisões, a todas as horas, a educarem, agora ainda temos que aturar com comichões presididas por psiquiatras pardos a arderem em fornicoques instrutores.
Ele há gente que não tem família: tem metástases. E, infelizmente, são às colmeias.


PS: Em todo o caso para que toda esta verborreia sistemática e recorrente da "educação sexual" faça sentido, basta substituir o termo "educação" pelo termo real de que é mero eufemismo suavizante: "castração". Há toda uma função analgésica e lubrificante na linguagem.

11 comentários:

Anónimo disse...

Eu cá vejo isto de maneira completamente diferente. Eu acho que o objectivo é estandardizar as pessoas. O sonho desses idiotas é terem um cabada de idiotas de mente escancarada, ecológico-obsessivos, inter-racial, homófilos, género-indiferenciados, sexo-estapafúrdios e, não esquecer, não fumadores à força toda porque é "In". Como não sabem pensar pela sua própria cabeça e papam tudo aquilo que lhe vendem querem evitar que no futuro alguém seja diferente deles...

Anónimo disse...

Caro Dragão
Por favor repare
“...Daniel Sampaio lembrou que «há pais que se opõem a qualquer educação sexual nas escolas», mas que «a maior parte considera-a positiva, porque quer informar-se para ajudar os filhos».”
“...«há pais que se opõem a qualquer educação sexual nas escolas»...”
-São uns malandros, não sei quem são, nem onde estão, mas também sei que há...
“... mas que «a maior parte considera-a positiva...”
-Viu. É sempre bom sabermos que a maioria está de acordo (será que também estou incluído?), embora essa maioria ainda não conheça a “...avaliação...” aliás, “...recomendação ...” mas que afinal é, “...pelo menos para já, apenas uma proposta,...” em que já “...estão já definidas as linhas de...” acabando afinal por ser “...«um programa de educação sexual desde a instrução primária ao 12.º ano»,...”. Dantes eram só os políticos, que falavam em nome das maiorias, e a prosa começava duma maneira e acabava doutra. Tenho de me modernizar...
“... mas que «a maior parte considera-a positiva, porque quer informar-se para ajudar os filhos».”
-É só altruísmo. Ainda falam mal dos portugueses. Nunca houve pais tão bons. Já viu que a educação sexual NAS escolas PARA os filhos é considerada positiva PELOS pais, porque QUEREM INFORMAR-SE para AJUDAR os filhos? Até tou baralhado, porque ainda me lembro de nos tinham dito que a educação sexual nas escolas, era dada, porque os pais, ou não a tinham, ou não a davam em casa... outros tempos, está visto...
“Porém, frisou que a informação dada às crianças mais novas nas escolas seria «sempre na perspectiva do seu desenvolvimento psicossocial», cabendo às famílias «o papel fundamental» no processo.”
Hum, o que será isto “...«sempre na perspectiva do desenvolvimento psicossocial»...”? E “...cabendo às famílias «o papel fundamental»...”? Aqui, é que já não sei, se fica em aberto até importar-mos o tal programa alemão, e, se a tal acto de dar importância do clitóris fica a fazer parte do papel fundamental, ou se passa para o tal desenvolvimento psicossocial?
Carlos

Anónimo disse...

Sobre a noticia que deu origem a estes posts e comentários, creio que o Dragão não sabe ler e interpretar alemão.Basta uma leitura no original, e logo se verá as patranhas que se escreveu a respeito disto.Saloiadas, diria.Lamento tal facto.Isso só vem descredibilizar um espaço que tem alguma credibilidade, e nunca é demais.
Bruder

Anónimo disse...

Para ajudar, eis
http://www.bzga.de/botpresse_50.html

Bruder

dado e arrega�ado disse...

Alguem imaginou j� esse tal daniel sampaio a mandar a p�ra?Deve ser um espect�culo entre o dantesco e o deprimente,capaz de encarquilhar,de s�bito,o mais rotundo vergalh�o e a fechar-se como ostra nauseada a boceta mais carente e h�mida.O homem � a imagem da tr�gica frustra�o de quem vai morrer virgem por recusa absoluta de qualquer imagin�ria parceira.E aquelas olheiras at� ao umbigo n�o passam da conseq�ncia devastadora das noites loucas que a agitad�ssima destra, ou sinistra o obrigam a passar.

dragão disse...

É melhor então o Bruder disponibilizar uma tradução fidedigna, a bem do rigor.

Tem razão nessa extrapolação de que eu não percebo pevas dessa língua especialmente gutural. Li uma versão em inglês, cujo link, aliás, é referido.
Em contrapartida, não tem o Bruder razão nenhuma quando taxa este blogue de credível. Credível é o Abrupto e outras coisas assim. Nada de confusões. Este não é, nem pretende ser, e está-se positivamente nas tintas para créditos.

Mas fico à espera da tradução.

Dragão

Anónimo disse...

Eu disse " só alguma credibilidade" :))
Claro se fora o tal do Abrupto isso seria a " vox master",logo incontestável.Quanto à traducção, nem pensar!Aquilo ainda sairia pior que o " inglês técnico" do outro.Nada de confusões.E já agora, um abraço.
Bruder

zazie disse...

Então é verdade

":OP

vespa disse...

Tinha e tenho, alguma esperança da notícia ser exagerada, daí a ter publicado. Procurei mas não encontrei nada, que desmentisse a notícia. Provávelmente não o suficiente, também não falo alemão.
Fui ao site Plataforma Algarve pela Vida e lá indicam onde está o relatório do sr Daniel Sampaio, em:
http://www.min-edu.pt/np3content/?newsId=298&fileName=gtes_rel_final.pdf
Página nº 13:
“...pega-se, fala-se e oferecem-se presentes diferentes, conforme se trata de um rapaz ou de uma rapariga. À fase de prazer oral, segue-se a fase genital precoce, entre o ano e meio e os três anos, na qual a criança distingue os sexos e se define como um ser sexuado. Descobre o prazer da presença do contacto corporal com os pais, depois a satisfação da estimulação de orgão ou da zona produtora de prazer (boca, ânus, pénis ou vagina), ao mesmo tempo que intui a possibilidade de ter um bebé como a mão e o pai.”
.
“... segue-se a fase genital precoce, entre o ano e meio e os três anos...” “Descobre o prazer da presença do contacto corporal com os pais, depois a satisfação da estimulação de orgão ou da zona produtora de prazer (boca, ânus, pénis ou vagina),...”

“Booklets from a subsidiary of the German government's Ministry for Family Affairs encourage parents to sexually massage their children as young as 1 to 3 years of age.”

Parece-me haver aqui alguma semelhança e/ou aproximação. Desconfiança minha? Sim. Erro meu? É uma hipótese.
Carlos

Terpsichore E. M. disse...

Vocês é que são todos uns parvos duns idiotas de uns meros portugueses. Uns burros inúteis e ATRASADOS. É por isso que não percebem nada disto.
Quando vocês deixarem de ser atrasados daqui a uns 60 anos, vocês vão perceber isto tudo sem dificuldade nenhuma. Tá?

Anónimo disse...

"Sobre a noticia que deu origem a estes posts e comentários, creio que o Dragão não sabe ler e interpretar alemão.Basta uma leitura no original, e logo se verá as patranhas que se escreveu a respeito disto.Saloiadas, diria.Lamento tal facto.Isso só vem descredibilizar um espaço que tem alguma credibilidade, e nunca é demais.
Bruder"

"Para ajudar, eis
http://www.bzga.de/botpresse_50.html
Bruder"

Traduzido em http://translate.google.com/trans
late_t

The body, love, Doctor games / Childhood Sexual Development-taboo subject and scientific wasteland?

Federal Center for Health Education notes two new parents guide before

Looking at education adviser or specialist books on developmental psychology, it is clear that the sexual aspect of the development of infants and young children have little or no treatment. Even in our "enlightened" age is a taboo conspicuous part of this important area of human development.

Sex education at children?
The separation of tenderness, sensuality and sexuality are not in children. You experience stroke, or cuddle Mats Chen, touching their genitals or the tickle at the big toe as well as sensual pleasures. Experience, which they tender in contact with the parents, or other people familiar with themselves, are sexual learning with a positive feeling and the basis for the future relationship of love and ability.

"These relationships are many parents are not aware of and there are great uncertainties about what a child needs and whether it is not too much tenderness or physical proximity, the child" spoil "could," says Dr. Elisabeth Pott, director of the Federal Center for Health Education. "Especially in the area of sexuality, parents are often confused and uneasy react," said Dr. pot. "By parents and other related entities, the feelings and positive and negative reactions of the child seriously and respect, they create the foundation for a child degree of tenderness and physical proximity."

Sex education in the family - ab when does it take place?
Compared with previous studies, in which the majority of children are insufficient, incorrect or no information from their parents received, the investigations revealed the last 30 years, a forward the information age, and an increase of factually correct initial reconnaissance by parents. So, most parents (97%), a sex education for children in kindergarten age. In early childhood, i.e. Between 2 to 6 years, most informed parents (2 / 3 thirds) of their children in the rule whenever appropriate questions from the children asked. Most had 2 children, according to the parents already off to sex differences in demand; Questions about pregnancy and birth were mostly from the fourth year expressed. The parents, it is generally easy, with their children about sex differences, "pregnancy" or "birth" to speak. Z.B questions of the children to the emergence of a baby or adult intimacy for many parents are not easy to answer.

NEW: Two guide for parents about the child's sexual development
The Federal Center for Health Education wants parents even when difficult issues, the development of their child in the area of physicality and relationship skills to promote awareness and sex education in the family responsible manner. Therefore, it has two new guides to the child's sexual development, which are the first to the third year of life (early childhood development) and the fourth to sixth year of life (pre-development) of the children.

The brochures provide information about how parents their children in discovering one's own body and the experience to accompany his sexuality. They include the depiction of mental and sexual development of the child and show examples of situations in the different age phases. In addition, detailed guidance on how parents to their children's questions and they can respond in their love and relationship skills, but also in their identity as a girl or boy can promote

Carlos