quarta-feira, setembro 26, 2007

Mais cenas paralamentares, ou os Originais e os Plagiadores da Via

Em 17 de Julho de 1975, decorria, em bom ritmo, a Assembleia Constituinte. Qualquer semelhança entre aquele areópago e o Hospital Júlio de Matos, desde então, é pura coincidência...
Basta atentar no seguinte naco de palradura:

«Em nome do PPD, Fernando Amaral fazia uma declaração à Assembleia:
-"(...) partido democrático que somos e da coligação que fomos, não ignoramos a nossa quota-parte de responsabilidade. Mas também não ignoramos que nunca foi no Governo que residiu o poder real. E que raramente as nossas soluções foram aplicadas. Não ignoramos a pesada herança do regime anterior. Não ignoramos os golpes e as sabotagens praticados, dentro e fora do país, por movimentos direitistas. Mas também não ignoramos que outras forças antidemocráticas e minoritárias têm procurado a todo o custo tolher a marcha da Revolução para o socialismo humanista. Através do assalto ao Poder, o PCP e os seus satélites...

(Protestos das bancadas do PCP)

...tomaram conta das câmaras municipais, das juntas de freguesia, dos sindicatos e meios de informação.

(Burburinho. Apupos do PCP)

Presidente: - Peço a atenção, peço a atenção. Não interrompam o orador.

(Apupos. Aplausos do PPD)

Vozes - Fascista!

(Prosseguem os aplausos do sector PPD)

Presidente: - Peço a atenção, srs. deputados.

(Burburinho)

Vozes - Abaixo a reacção!

Presidente insiste: - Peço a atenção...
J.M.Tengarrinha (MDP/CDE) para o orador - Tenha vergonha! Tenha vergonha de dizer isso nesta Casa! Cale-se!
F.A. prosseguindo: - Procuram apropriar-se da aliança do Povo-MFA, fazendo...

Tengarrinha - Onde estavas antes do 25 de Abril?...
F.A. : - ... reverter em seu próprio proveito esa aliança.
Presidente: - Um momento! Pede-se o favor de não interromperem o deputado. Poderão depois responder da maneira que entenderem. Faz favor de continuar.

Vozes: - Nós não permitimos que...
F.A. - Tal assalto e tal apropriação são da exclusiva responsabilidade dos que pretendem afinal espartilhar o povo português em soluções totalitárias que ele claramente não aceita, como livremente o afirmou em eleições.

(Mais burburinho)

Álvaro Monteiro (MDP/CDE): - O sr. presidente não deve permitir intervenções deste tipo! São intervenções contra-revolucionárias! Não devem ser permitidas pela Mesa!
O orador: - A delação...

(Novos apupos e aplausos)

Presidente: - Faz favor de continuar.
Uma voz: - Estas intervenções...
F.A.: - ...é servida como vigilância popular. A delação é servida como vigilância popular...

(Burburinho)

F.A.: -... como se a verdadeira delação não consistisse antes...

(Apupos e burburinho)
Presidente: - Já pedi...

(Burburinho)

- Quem é que dá som para quem não pediu a palavra?! - grita Costa Andrade.
Presidente: - Os srs. deputados poderão exprimir-se da maneira que entenderem a respeito das considerações que ouvem. Mas não devem interromper. Nos termos do nosso Regimento, isso é perfeitamente claro. O norador dispõe ainda de quatro minutos.

F.A.: - A deleção é servida como vigilância popular, como se a verdadeira vigilância não consistisse antes em trabalhar e zelar pelo exercício dos direitos fundamentais. A insegurança e a instabilidade são justificadas como "fase de transição" para o socialismo.
(Apoiados e apupos)
Tenta-se apresentar como "conquista democrática" aquilo que mais não é que a proposta rejeitada de minorias empenhadas na ruína do País para melhor tomarem conta dos centros do Poder.
(Burburinho)
As intenções da escalada são claras. O modelo a copiar é também claro. Procura-se que a originalidade da via portuguesa corresponda ponto por ponto a escaladas idênticas que estão na origem dos actuais estados totalitários ditos "socialistas", que mais não são afinal que capitalismos burocráticos de Estado.

(Apupos. Burburinho. Assobios. Vibrantes aplausos do sector PPD)

Presidente: - Peço a atenção.
F.A. prossegue: - procura-se também afastar a todo o custo partidos em que o povo depositou, pelo voto, a sua confiança, numa aplicação nada original da conhecida táctica de conquista progressiva do Poder por eliminação sucessiva dos outros partidos. O Partido Popular Democrático, que...
(Manifestações gerais)
... sempre esteve e estará aberto à colaboração leal e franca com todas as forças democráticas e progressivas e com o MFA - não pede de maneira nenhuma...
(Burburinho. Insultos)
...pactuar com métodos totalitários, com processos opressores ou com atitudes que claramente desrespeitam o povo pelo qual lutamos e que somos.
(Apupos)
A esta escalada alia-se a actuação de grupos minoritários e pouco responsáveis.
(Burburinho)
A esta esclada alia-se a a ctuação de grupos minoritários e pouco responsáveis, que com agitações demagógicas criam um clima que só agrava a crise de autoridade e dificulta a aplicação de qualquer medida.
(Burburinho)
Intelectuais afastados do povo e da vida burguesa...
(Risos. Burburinho)
...impõem ideologias próprias, autoproclamando-se "revolucionários" e "vanguarda dos trabalhadores".
Vozes: - Rua! Fora!

(Os tumultos entre o PCP e o PPD e numerosos PS prosseguem até final da intervenção)

Depois de terminar a intervenção de Fernando Amaral.

José Tengarrinha: - Eu quero apresentar formalmente um protesto pelo tom provocatório e contra-revolucionário da intervenção do deputado do PPD.

(Aplausos. Pateada. Burburinho.)

Uma voz: - Abaixo os satélites do PCP!
José Tengarrinha: - Abaixo, sim, mas da reacção.

(Aplausos)

Uma voz: - Reaccionário és tu!
Presidente: - Tem a palavra o sr. deputado Fernando Roriz.

(Mas continua o burburinho na Assembleia)

Outra voz: - Social-fascista!
Ainda outra voz: - Social-fascista, anda cá para baixo!
Presidente: - Quem quiser usar da palavra tem de inscrever-se.»

- in Cenas Parlamentares - Humor Agitação e Ataques na Constituinte, de Vitor Silva Lopes.


Apenas duas notas:
Um dos cabecilhas da bancada PCP nesta época era um tal Vital Moreira, actual Avô Cantigas da blogosfera e tutor vitalício da Constituição da República. E quando acima se fala de "intelectuais afastados do povo...que impõem ideologias próprias, autoproclamando-se «revolucionários» e «vanguarda dos trabalhadores»" , cito-vos apenas duas criaturúnculas dessas: Pacheco Pereira e José Manuel Fernandes. Mas a lista seria imensa e sintomática. Com uma constante: todos eles migraram nas ideologias e estão bem instalados no regime. Foram virando a casaca de acordo ao clima. E à moda.
O veneno mais torpe e corrosivo deste país chama-se impunidade. Filha da Amnésia e do Proxenetismo Hereditário.

18 comentários:

Kzar disse...

Sr. Dragão:

Não é que a alguém faltasse ainda conhecimento de cenas lastimáveis como essa, ou da vermiforme personalidade de muitos dos seus autores, hoje migrados, como diz, para paragens mais gratificantes do espectro político-partidário - não cometo infâmia sobre o conceito de ideologia invocando-o a este propósito.
A esta luz, o seu post apenas chove no molhado, perdoe-me a franqueza.
Todavia, trazer chuva ao molhado tem muitas vezes o valor de realçar o húmido estado das coisas - é como que um lembrete para que abramos o guarda-chuva, quando a céu aberto, ou, dentro de portas, para comandarmos à senhora da limpeza que enxugue o soalho, chamando primeiro o mestre de obras para eliminar a infiltração.
Deus lhe pague.

timshel disse...

dragão

põe-te a pau

já estás debaixo da mira do Pedro Arroja

http://portugalcontemporaneo.blogspot.com/2007/09/glup.html

zazie disse...

Por acaso esse post até foi dedicado (com boa dose de simpatia) ao anti-comuna. O "glup" é dele.

josé disse...

Holy shit!

Comé que não me lembrei disto!

dragão disse...

Esse Timshel julga que eu tenho os (maus) hábitos dele. Que também sou vampiro de cristo.
Quando o Arroja se referir ao consumo per capita de ucranianas, aí sim, eu preocupo-me. E, se for caso disso, insurjo-me.

dado e arregaçado disse...

O vital tem a mulher a render no governo(secretária de estado),paga pelo sócrates(quer dizer,pelo contribuinte),de maneira que o saloíssimo professor comporta-se como qualquer "empresário da noite" a guardar o gado que pasta às esquinas do maria amália,bendizendo o "lobo bom" que lhe come as pécoras a troco de umas panflas,enquanto ele abicha umas nomeações suculentas sem suar um pingo.

josé disse...

Cuidado. O Vital tem nada a ver com as rémoras habituais do regime e da situação, tipo Delgado ou António José Teixeira.

O Vital é um crente genuíno no progresso da Esquerda. Daí que agora se incline para a Direita, mas sem largar o lugar cativo. É só uma questão de catar o vento que lhe traz o poderzinho de influenciar. Contenta-se com isso, o capelista dos Grilos.

dado e arregaçado disse...

Tenho que ser franco e dizer mais:estas cenas parlamentares deixam-me desbragadamente atesoado,de caralho em riste,em ânsias e aos pulos,obrigando-me a punheteá-lo frenéticamente até explodir em esguichos de esporra, que eu sempre imagino,com redrobrado gozo,a caírem sobre as tolas e as línguas dos queridos pais da pátria.

Anónimo disse...

Mas quem era o Presidente desta coisa ?

timshel disse...

oh dragão

se calhar és capaz de ter razão

o homem agora decidiu implicar comigo só por causa dessa minha boa fama blogosférica

insultoe-me e sem me ouvir préviamente

estou fodido

vou lá tirar despiques com o gajo

aliás dás-me outras pistas de facto

o gajo quer é meter-se com os católicos

católicos, vinho, sangue de Cristo, bêbados

está tudo explicado

zazie disse...

ehehehe

Isto de famas vai dar tudo ao mesmo, boas ou más.

":O))))

Anónimo disse...

NEM MAIS UM SOLDADO PARA AS COLÓNIAS!

Xico disse...

Foi há tanto tempo...! até me vieram as lágrimas aos olhos....

Menino Mau disse...

brilhante dragão!

Anónimo disse...

Ó Dragão,
E quantos brancos havia nessa altura no meio-circo?
Eram todos pretos?
Sim eu sei que culturalmente eram, e são, todos ciganos.

puro azeite virgem

TF disse...

Caro Dragão,

Adorei cada linha deste texto. Atravessa-o um misto de cómico e de ternura, pelos tímidos e hesitantes passos que a democracia dava num país mal preparado para ela, e apetece-me sorrir de nostalgia e de encanto como se visse um bebé a chorar.
É pena que hoje o sistema político não tenha evoluído muito.

Cumprimentos

josé disse...

"hesitantes passos na democracia", "país mal preparado para ela" e patati patata.

Qual quê?

O Tengarrinha era um professor universitário, já com idade para ter o juizo todo. O Vital idem.

Está a fazer destes avôs cantigas uns totós?

O que estes figurões pretendiam era instaurar aqui, o que estava instaurado na URSS ou em Cuba.

E é preciso que isto se diga, porque o Fernando Amaral e muitos outros sabiam já muito bem o que era a democracia e estavam preparados para ela, pelo menos da vertente parlamentar.

Há que distinguir e não desculpabilizar estes vira-casacas que se adaptam a tudo o que lhes dá sumo. Havia muita gente que sabia o que queria e sabia fazê-lo.
E estes figurões também sabiam.
Agora são rémoras mutantes.

zazie disse...

«O Tengarrinha era um professor universitário, já com idade para ter o juizo todo. O Vital idem.»

ahahahaha

Em beleza. Esta dos hesitantes passinhos de quem acabou de nascer, só mesmo de herança da falsificação histórica.