terça-feira, setembro 11, 2007

História portuguesa X

A cena é verídica e passa-se nos arredores de Lisboa. Num daqueles subúrbios onde filhos de famílias disfuncionais, pretos e brancos, são criados em conjunto, à rédea solta.
Calhou que um grupo de amigos de infância, dois deles pretos, alcançaram a adolescência. Um belo dia, um dos brancos descobriu que era nazi, no que os outros, por espírito de bando, prontamente imitaram. Ei-los todos de suástica ao peito (passe a expressão). Os pretos, que eram irmãos, também. E com tal entusiasmo que, prontamente, foram grafitar nas paredes lá do prédio:
"Morte aos pretos! Excepto o meu irmão e eu."

PS: Non est inventus.

6 comentários:

zazie disse...

AHAHAHAHAHAHAHAH

Isto é delicioso

":O)))))

Carlos Portugal disse...

Fabuloso!!! Hehehehe!...

A.H. disse...

Sabe porque é que os pretos preferem as brancas?

Anónimo disse...

...esta necessidade de cascar na "pretalhada", para falar numa linguagem que entenda, será que deriva de um quadro de demência insane, por a vida não lhe correr como queria ou duma necessidade extrema de se sentir algo superior a um parasita da sociedade civil?

Anónimo disse...

Deriva de encontrar todos os dias "seres" cheios de merda no lugar do cérebro como você sua besta.

Anónimo disse...

Pode ser treta.
Mas é perfeitamentamente possível.
É tipico de pretos...
Já vi e ouvi falar de histórias muito mais surrealistas de elementos da dita raça.


espírito