sábado, setembro 22, 2007

A Cultura do Medo

A pedofilia é uma coisa asquerosa, mas com certeza não é por ser uma coisa asquerosa que os telejornais, jornais e demais media ultra-livre do nosso melhor dos mundos, pública e privada, nos últimos tempos, passam a vida a bombardear com ela a população. Uma verdadeira sulfatação em larga escala. E quem diz a pedofilia, diz toda uma série de sórdidos fenómenos associados, curiosamente, às criancinhas: o rapto, o infanticídio, a violação, a exploração laboral, o abandono, etc, etc. Liguem a televisão, em qualquer canal, à hora das sevícias, digo, notícias, e oiçam. E vejam.
A fazer fé nestes bons samaritanos da notícia, as criancinhas estão em perigo. De toda a parte, perigos e tarados espreitam, monstros afiam as garras e predadores sexuais aguçam a dentuça. E os maiores, mais infames e sinistros, acoitam-se nas próprias famílias das vítimas. Pais, avós, irmãos, a ala masculina em peso, urdem e babam-se à frente da manada demoníaca.
Por esta altura do campeonatao, as criancinhas estarão mesmo num beco sem saída: não podem já brincar na rua, porque uma horda de pedófilos, pedopatas e ogres maléficos as emboscam cá fora; nem podem, tão pouco, brincar em casa, porque uma seita de pedófilos, pedopatas e ogres maléficos as flagelam lá dentro. Além de brincar com computadores, zanzar em chats, palrar ao telemóvel com os amiguinhos e ver televisão nos intervalos das peregrinações ao McDonnald's, as criancinhas podem então o quê?
Eu diria, assim só para começar, que podem ter medo, muito medo, um cagaço dos diabos. Desde pequeninos, desde a mais tenra idade. Caso escapem ilesos do útero materno, masmorra cada vez mais inóspita e sujeita aos caprichos e fornicoques da castelã, é mais que certo que não apenas os cegam, acagaçam-nos à nascença. Isto é, não se contentam com envenenar-lhes os olhos do corpo, esmeram-se ainda em empeçonhentar-lhes os olhos da alma - em perverter-lhes a imaginação. Em estripá-los de toda e qualquer inocência.
Antigamente, os padres, de penas do inferno em riste, aterrorizavam-nos para lá da morte. Agora, os novos sacerdotes da opinião pública, os filhos da puta dos jornalistas, aterrorizam-nos para cá dela. O inferno já não nos aguarda sob determinadas condições: agora é a nossa própria vida e todo este mundo que são transformados num inferno garantido, não porque sejam de facto um inferno, mas por obra e graça do Novo-Verbo instalado. E façamos nós o que fizermos. Desde a hora da concepção até ao suspiro da Morte.

15 comentários:

Anónimo disse...

"Liguem a televisão, em qualquer canal, à hora das sevícias,..."
Só mesmo o caro Dragão.:)
Nunca li uma qualificação tão correcta. Dá mesmo que pensar se muitas vezes vale o masoquismo
Carlos

Anónimo disse...

É isso e de 15 em 15 dias eu ficar a saber que posso estar muito provavelmente com uma grave doença ainda não detectada e que deveria JÁ ir ao médico (nunca falam do da caixa...)!

Anónimo disse...

"...Agora, os novos sacerdotes da opinião pública, os filhos da puta dos jornalistas,...."

Pobres dos e das jornalistas que não passam de lambe-piças com aspirações a ascender (???) à politica para poderem então depois baixar (???) a comentatadores da vida alheia, visionários e ditadores penitencieiros.

Terpsichore E. M. disse...

Então, ao menos são coerentes: é assim que se formam criancinhas que depois vão servir a Guerra e o Poder da morte.Quanto mais fraca a família, menos resistência à manipulação.

Mas ó Dragão, quem gosta de crianças, que atire a TV pela janela fora (enfim, de preferência não literalmente...)e ESSE problema pelo menos fica resolvido. Funciona perfeitamente (para as crianças) - para si próprio, a história pode ser outra.
Eu cá paguei caro, como tudo, hehe. Ainda sou perseguida por isso e outras do género.
Mas outros terão mais sorte que eu - só têem que sacrificar o seu próprio vício em notícias e demais.
Cptos

Dragão disse...

A televisão cá em casa só tem um canal e funciona uma média de 45 minutos por dia. Não estou a brincar.
:O)

a voz disse...

Imperial César Augusto

E quando joga o Glorioso, onde é que o Engenheiro Ildefonso Caguinchas vê o jogo?
É que os 45 minutos nem dá para uma parte, que tem sempre mais uns minutos!

Cumprimentos...

kommando disse...

TV?

Eu me recordo de ter tido isso, mas não lembro mais para o que servia.

:OP

Dragão disse...

Caríssimo,

O Engenheiro vê os jogos no Estádio ou na tasca. E convém que assim seja e o faça o mais longe de mim possível, porque nesse aspecto somos inimigos figadais.

Terpsichore E. M. disse...

:) Ele disse a média, Mário :)

Terpsichore E. M. disse...

A TV é uma caixa especialmente inventada para fazer Darwin ter razão, com um pequeno engano apenas - na ordem das coisas.

a voz disse...

Caríssima Terpsichore

O Senhor Dragão é Benficafóbico...
Por isso tenho a maior estima pelo Grande Engenheiro Ildefonso Caguinchas, que, ao ser do Glorioso, é de certeza um Bom Chefe de Família!

Cumprimentos.
Mário

o pastor disse...

S� tem um canal? Que funciona 45 minutos por dia? E v� tudo isso?
� preciso ter azar!

Dragão disse...

Basta ver um telejornal num dos canais, não?...
Parece, que os outros são todos iguais. É a liberdade de informação. Ou será melhor dizer "uniformidade"?

pastor disse...

Dr. Dragão,
eu venho chateá-lo uma vez por ano, + o - ;não me arreganhe o dente, s.f.f. Não é melhor do que só ter lacaios? Não sente uma lufada de ar fresco perpassando?

gotika disse...

Era bom que não tivéssemos de ter medo pelas nossas crianças mas infelizmente não é o caso.