sexta-feira, setembro 14, 2007

À falta de napalm

Está na hora de acabar com o recreio.
Dizia o Almada que se o "Dantas é português, eu quero ser espanhol". Sigo a metodologia para esta bosta mal cheirosa que se auto intitula "identitária" e é simples:
Se esta coisa é anti-católica, eu quero ser católico; se é anti-tradicionalista, eu quero ser tradicionalista; se é anti-imperialista, viva o Império!; se é anti-colonialista, abençoado colonialismo!; se é anti-salazarista, eu quero ser salazarista, salazarengo, salazarão!; se é democrata, eu quero ser ultra-fascista; se é anti-globalização, então a globalização, afinal, até deve ter um monte de virtudes; se é contra o sistema, eu quero ser do sistema, o mais possível, se me deixassem até ia já candidatar-me à polícia de Choque! Se é isto ser branco, antes ser preto, é mais honesto! Se são estes os neorevolucionários do balde e da lixívia, não estou, fui às putas desforrar-me nas mães!
Em resumo, o que quer que esta bosta mal parida seja, eu quero estar nos antípodas. O mais longe possível.
Todos os insultos e injúrias oriundos de porcaria deste quilate serão para mim encómios, elogios, coroas de glória. Entre isto e o Bloco de Esquerda, não reconheço diferença rigorosamente nenhuma. A estirpe é a mesma: a estirpe dos filhos da puta!... Uns a lamber os pretos, outros a cuspi-los, mas lá no fundo todos a trabalhar pró mesmo. Todos à cata do voto ao otário. A semear discordiazinhas de cabeleireiras, cismazinhas de varinas, assuadas de matilha rafeira. Vermes de caixão, caruncho da raça, epígonos do refugo de Alcácer-Quibir! Apenas com a diferença que os Bostas de Esquerda são ligeiramente mais inteligentes. A distância que vai do protozoário à lesma.
Registem lá isto na cassete zombi que vos serve de mioleira, ó cagalhões, para que fique bem claro: eu, César Augusto Dragão, à falta de napalm, escarro-vos em cima.
Estamos conversados.

PS: Censura? Repressão? Tanta quanta possa, podeis ficar seguros. Só pela volúpia de vos ouvir chiar. Mas será sempre escasso, ficará sempre aquém do merecimento: empalamento é que vos ficava bem.

PS2: Em todo o caso posso ponderar publicação de arrotos, desde que iniciados por "Meu Fuhrer" e terminados com "A Bem da Nação".

7 comentários:

zazie disse...

ahahahahahah

Em beleza.

Se queres que te diga acho que é uma personagem forjada. Não bate certo. Até pela forma como redige. É tanga.

Anónimo disse...

"Se queres que te diga acho que é uma personagem forjada. Não bate certo. Até pela forma como redige. É tanga."
Tem razão menina Zazie. E só é pena que o sr. dragão tenha caido na esparrela de confundir o estrume-caturro (eu sei quem lhe paga) com o joio.

Thoth disse...

Este mortal Dragão anda a deitar fogo há república dos tugas!

Cumprimentos do céu

Estebes disse...

Hó Dragão! Que estáis iluminado, tenta tirar os teus leitores da sombra e diz pelo menos por onde começar a proucurar o caminho da luz que te ilumina!

kommando disse...

Aceita uma mãozinha?

Flammenwerfer

:OP

Anónimo disse...

o que tem carne e sangue no seu corpo precisa de aCEITAR ALGUMAs COISAS QUE NÃO TAVA A ESPERA- mas quem nao tem nada dentro vive a afastar tudo o que se lhe aproxima- e nem mesmo a luz consegue chegar perto!!!!!!!!!!

JA PENSASTE QUE VENS DE UM MISTERIO- O NASCIMENTO- E QUE CAMINHAS PARA OUTRO MISTERIO?????????????

Príncipe das Trevas disse...

Nunca me tinha ocorrido uma coisa dessas. Estou perplexo!...