quinta-feira, setembro 20, 2007

The Fog





É um rumor já com dois anos...

(...)
«According to OSCE, free speech on the Internet provides an unprecedented forum for purveyors of hate, i.e., those who criticize matters Jewish or homosexuality. Accordingly, B’nai B’rith has created the International Network against Cyberhate (INACH) to research and implement legal, political, and technological means to end the free speech of such “haters.” Such “haters,” of course, include the many free speech talk radio hosts who might criticize homosexuality or Israel or make use of the Internet to reach an international audience.
Of course, B’nai B’rith’s definition of hate is very different from everyone else’s. In the anti-hate bureaucracies which they are establishing throughout the world, “hate” equals “bias” against federally protected groups, especially Jews and homosexuals. Curiously, while ADL/B’nai B’rith has no problem with exercise of free speech by homosexuals and pornographers on the Internet, it has a huge problem with those who criticize homosexuality, the state of Israel, or matters Jewish.»

Para conferir se havia nisto alguma verdade, fui verificar se a tal OSCE existia...
Bem, não só existia, como na press release da home page se podia ler:

Mesmo em Portugal, este país de brandos costumes, o crime de "racismo" parece que já é mais grave que violar continuadamente crianças e acarreta penas de oito anos de prisão. Há qualquer coisa de muito turvo e nebuloso nisto.

15 comentários:

Anónimo disse...

Org. para a Coop. e Seg na Europa!
É aquela rapaziada que fez aquelas intervenções e incursões na ex-Jugoslávia (Kosovo e afins)
Gafanhotos vorazes ...

Anónimo disse...

Atão até na Wiki já existe "Activismo pedófilo".

http://pt.wikipedia.org/wiki/Activismo_ped%C3%B3filo

"violar continuadamente crianças", isso vai passar a estória

O progresso á la BE, é assim Dragão, qualquer dia as-de perguntar ao Eng.Caguinchas o que ele acha do assunto...


Estebes Moscatel

F. Santos disse...

São já muitas as entidades oficiais, empresas, etc., que bloqueiam o acesso à net a certos sites por meio de filtros. «You are not allowed to access this site. Category "Racism and Hate" is filetred.» Não percebo muito de informática mas se calhar é possível um "provider", Netcabo, Sapo, Clix, etc., bloquear igualmente certas páginas. Aí - chapéu, volta-se aos tempos dos cadernos, das fotocópias, dos livros passados às escondidas...

F. Santos disse...

"filtered" e não "filetred".

Anónimo disse...

Caro Dragão
Quando a defesa é o contrário do apregoado.
Suécia (Apenas um exemplo.)
“The purpose behind the law against incitement of ethnic hatred was to ensure legal protection for minority groups of different compositions and followers of different religions. Cases where people express themselves in a critical or derogatory way about men of ethnic Swedish background were not intended to be included in this law.”
http://www.jihadwatch.org/dhimmi
watch/archives/003436.php
Convém ler a notícia na integra.
Do meu ponto de vista o que estas leis e este grupos defendem é a ausência de defesa dos nativos europeus.
Noutros países europeus, por exemplo, já nem os padres podem citar passagens da bíblia. Etc, etc.
Carlos

zazie disse...

O que é a etnia sueca?

O que eu não percebo é juntarem judeus e homossexuais. Que raio de coisa, então agora temos lobby conjunto?

Anónimo disse...

Dona Zazie
“...Que raio de coisa, então agora temos lobby conjunto?” Agora? :)

Como sabe a definição étnica é difícil, daí a sua pergunta. Também não sei, o uso e abuso de termos cria situações complicadas e/ou confusas, mas essa questão para o caso acho que é secundária. O que tentei focar é que os estrangeiros/imigrantes podem fazer afirmações racistas para com os nativos, mas os nativos não as podem fazer para com os estrangeiros (daí ter dito para se ler o artigo na integra). É aí que reside o problema/questão.
http://www.britannica.com/eb/articl
e-259776/Sweden
http://www.britannica.com/eb/articl
e-9047172/Sami
Carlos

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

Palavra que estava a leste dessa irmandade e ainda me estranha.

A propósito de racismos, temos para aí a mongalhada toda histérica e denúncias dos maluquinhos do SOS racismo por causa daquela história do comércio da Baixa.

A Côncio e o Tavares já aproveitaram para desenvolver, nos jornais, o que aprenderam na licenciatura em "anti-facismo" contemporâneo. Ao Tavares já me atirei, mas v.s bem que podiam dar uma mãozinha, né?

":OP

zazie disse...

Por acaso também recebi um fwd a propandear a criação de um santuário animal em Lisboa. A causa pode ser muito bonita mas, cá para mim, a semântica é que anda toda trocada.

zazie disse...

correcção: propagandear.

Anónimo disse...

D. Zazie
Não sei qual a amplitude da irmandade, ou se ela existe. O que julgo saber, é que, parece que de quando em quando surgem interesses comuns
http://acrisedeportugal.blogspot.com/
Carlos

kommando disse...

"Antes aqui o homossexualismo era proibido, agora passou a ser tolerado. Vou embora antes que se torne obrigatório."

Vou morar no Irã!

Freire de Andrade disse...

Embora pessoalmente prefira o "love" ao "hate", reconheço que odiar, por muito odioso que seja, é um direito que assiste a qualquer cidadão, ou devia assistir. Proponho até que seja incluído na Declaração dos Direitos do Homem, o direito de odiar, incluido o de odiar judeus, homossexuais, caucasianos, heterossexuais, etc..

zazie disse...

o problema é que a palavra é uam tradução redutora.

Qualquer embirração ou mera antipatia, ou mera crítica a grupo, ou até à simples política de imigração passa a ser considerada uma manifestação de ódio.

Isto é que uma imbecilidade perigosa. Todas as reacções leves, naturais terem a tradução num sentimento que muita gente desconhece- eu não tenho ódio a ninguém.