sexta-feira, novembro 03, 2006

Os podres e os pobres

Nos Estados Unidos, os podres de ricos estão a enriquecer a um ritmo muito maior que os pobres ou remediados.
Este é um quebra-cabeças para o Timshel, numa daquelas suas mesas redondas virtuais, resolver.
Aproveito para deixar já aqui o meu contributo ao debate:
Tão cabeludo fenómeno tem uma explicação muito simples. Chama-se Justiça Social. E gramatical também. Senão, repare-se, é toda uma dinâmica que está contida e é inerente aos próprios conceitos: os ricos enriquecem; os remediados remedeiam-se e os pobres empobrecem. Não fazia o mínimo sentido os ricos empobrecerem, os remediados enriquecerem e os pobres remediarem-se. Instalava-se o caos. Era a balbúrdia social.
Tirar aos ricos para dar aos pobres também não resulta. A primeira coisa que os pobres fazem, mal recebem, é ir dar aos bancos. Quer dizer, não adianta nada tirarmos aos ricos para dar aos pobres (ou até aos remediados), porque eles devolvem logo tudo a seguir. E com juros.
Não admira por isso que os maiores accionistas das revoluções sejam os super-ricos.
Por outro lado, os podres de ricos sofrem, em elevado grau (mais elevado é mesmo impossível) duma variante particularmente virulenta e invertida de anorexia económica: diante do espelho acham-se sempre pobres. Esqueléticos.
«Espelho meu, espelho meu...há alguém mais necessitado do que eu?"


PS: Na notícia, prestem atenção a este reveladora passagem: «The soaring pay enjoyed by top CEOs, athletes and entertainers also has added to the widening income divide.»

12 comentários:

Anónimo disse...

"Justiça Gramatical" eheheheheeh

eis o mistério do mundo!

Colateral

timshel disse...

não é uma mesa redonda

é um púlpito

josé disse...

Uma das melhores piadas anárquicas que conheço, é esta:

Os pobre que paguem a crise! São muitos e já estão habituados.
Dantes podia ler-se este humor sentido, nas paredes das faculdades. Não sei se hoje em dia, há humor para sentir isto do mesmo modo.

dragão disse...

Ah, bem me parecia:
é púlpito fiction.

A.H. disse...

"Tirar aos ricos para dar aos pobres também não resulta. A primeira coisa que os pobres fazem, mal recebem, é ir dar aos bancos. Quer dizer, não adianta nada tirarmos aos ricos para dar aos pobres (ou até aos remediados), porque eles devolvem logo tudo a seguir."

Loool!
Um certo "político" disse uma vez que: "se devia acabar de vez com os ricos". Esse queria fazer uma grande "tourada" no campo pequeno.
Se os outros deixassem, claro.

Mas, digo eu, não era melhor acabar antes com os pobres e remdiados?
Senão vejam bem:
-Os pobres não tomam banho. Os remediados 1 vez por semana (é caro).
-Provocam sessões de sauna aromatizada nos transportes públicos.
-Não comem (poupam).
-Bebem (divertem-se).
-Fumam (divertem-se).
-Vêm telenovelas (portanto são os responsáveis pela falta de qualidade das TVs)
-Enchem os shoppings aos domingos para cobiçar montras.
-Compram jornais.
-Acreditam em todas as tangas das "notícias" que lhes despejam pelos olhos adentro.
-Estão condenados a votar sempre nos partidos mafiosos do sistema, e a pensar: É desta que vou deixar de ser pobre!
-Vêm a floribeta, o joão boião (de m...), o dança com verrugas, etc.
-Enchem os (des)governos com os impostos.
-Vão aos concertos da merdona.
-Gostam de ser constantemente enrabados por filósofos.
...
Enfim um rol de "virtudes".

Conclusão: os pobres são um perigo para a sociedade!

dragão disse...

Caramba, este a.h. ainda é mais radical do que eu.

timshel disse...

essa dos pobres não tomam banho

vivo num país cujos habitantes são ricos e porcos

só par dar um exemplo

ha uns tempos apareceu por aqui um anúncio de um desodorizante que apregoava que com o dito produto já não era necessário tomar o banho semanal

Anónimo disse...

"os ricos enriquecem; os remediados remedeiam-se e os pobres empobrecem. "

Talvez aqui seja assim. Nos Estados Unidos todos enriquecem só que uns mais devagar do que outros.

dragão disse...

E porque não mais depressa?

Aliás, isso é o mesmo que dizer nosEstados Unidos todos vivem bem, só que uns menos bem que outros.

Ou Nos Estados Unidos todos são felizes, só que uns menos felizes que outros.

E por aí adiante.

Não me interprete mal: é brilhante! Estou plenamente de acordo. Com comentários destes, até apetece apagar o postal.

Anónimo disse...

À vontade. Eu só repeti o que estava escrito no título do post.

francisco t. disse...

Lá está - os "entretainers" a desequilibrarem a balança

estranha sociedade esta que paga os bobos e palhaços a peso de ouro.

Anónimo disse...

aqui são de graça ;)

Colateral