sábado, novembro 25, 2006

25 de Novembro



"Sempre generoso na vitória e paciente na adversidade, o verdadeiro Comando trata com solicitude, acarinha e estimula aqueles que lutam e sabem vencer todos os obstáculos. Não admite a mentira mas respeita os estóicos e abnegados que servem sem preocupação de paga ou de satisfação de interesses de qualquer natureza.

O Comando não foge ao perigo, não evita as situações que possam acarretar-lhe incómodos. Incumbido de uma missão, põe no cumprimento dela todas as suas possibilidades de actuação, todas as suas forças físicas, intelectuais e morais."

(- fragmentos do "Código Comando")

Há dois detalhes subtis sobre o 25 de Novembro de 1975 dos quais nunca se fala:
1. Que a "operação" recebeu luz verde para 25 porque a Independência de Angola já tinha sido declarada a 11;

2. Que o Partido Comunista, que era para ser ilegalizado, acabou por ser habilidosamente poupado. Dizem as más línguas, por causa duns certos ficheiros da DGS que foram tranferidos para Moscovo, e onde constavam certas taras pedófilas et al de figurões do "Novo regime".

Em 25 de Novembro, já não se salvou grande coisa. O mais importante já tinha ido às urtigas: as condições objectivas para a existência efectiva duma Independência Nacional.

3 comentários:

JSM disse...

Sim, os comissários internos já tinham satisfeito as exigências e os intereses dos seus patrões externos, e portanto, foi a vez de recolocar a geo-política no seu devido lugar. Os interesses de Portugal, esses, como diz, é que já não poderiam ser satisfeitos. A base da nossa sobrevivência, da nossa independência estava a partir daí sériamemte comprometida, como se vê pela gravura do quotidiano.
Mas, como as coisas nunca são lineares, haveria ainda a hipótese de um golpe militar apoiado pelo PCP com data prevista para 26 de Novembro. Os serviços secretos Ocidentais, a guerra fria ainda estava em vigor, terão alertado as forças que se anteciparam em 25 de Novembro, gorando assim aqueles intentos. É uma suposição como outra qualquer. Em Portugal, aliás, é sempre difícil distinguir os bastidores das luzes da ribalta, porque os actores são sempre os mesmos.
E como Roma perdeu o hábito de não recompensar os traidores...nunca saberemos verdadeiramente quem são.
Um abraço.

dragão disse...

Em 25/11/75 já se podia acabar com a balbúrdia porque a balbúrdia já tinha cumprido as suas finalidades.
O resto são histórias da Carochinha.

Saudações portuguesas,caro JSM.

A.H. disse...

E viva os comandos!