sexta-feira, novembro 17, 2006

Minhoquices e contrafacções

O escândalo da semana, candidato ao óscar de horror do ano, deflagrou na terça-feira. Em pleno telejornal, a coqueluche das Papoilas Saltitantes, entregou-se ao queixume: alguém - em tom áspero - o havia medonhamente aviltado. O tremendo e assassino vitupério: durante a visita do SLB ao estádio com o meu nome, uma voz off na turba epitetou-o de "preto". Aproveitando o tempo de antena, o neogladiador dos relvados, foi também revelando que tinha muito orgulho em ser preto, mas que, não obstante, numa outra visita à Pérola outrora do Atlântico e agora do Jardim, perante idêntica invectiva descabelada, até tinha lacrimejado. Portanto, Mantorras é preto, tem orgulho em ser preto, mas quando lhe chamam preto, chora. Debulha-se em lágrimas. Que melindrosos que são estes atletas benfiquistas! Que frágeis e delicadas flores!
Convenhamos, se o Mantorras, que é naturalmente preto -e orgulhosamente também, segundo proclama -, chora porque alguém lhe chamou preto, então que fará ele se lhe chamarem "escarumba", "sardão", "barrote queimado", "macacão", "borrão ambulante" ou qualquer um desses mimos tradicionais com que o pagote desfruta da espécie humana oriunda das Áfricas? Entra em depressão? Torna-se agorofóbico? Mergulha em trauma cataléptico? Suicida-se com a vergonha?
Bem, atiraram-lhe ainda moedas e mandaram-no para a terra dele. Pois foi. Meu Deus, que coisa arrepiante!... Imagine-se, então, que lhe atiravam bananas, amendoins, pevides e o mandavam para a dama de beira-estrada que o pariu...! Isso seria, então, o quê? O prelúdio a um novo Holocausto, neste caso um Melanocausto?!...
Sinceramente, por mais que mire e remire a protuberante minhoquice de todos os ângulos, possíveis e imaginários, não consigo vislumbrar onde é que a constatação dum facto pode constituir uma ignóbil ofensa. A não ser, claro está, quando enumera uma diminuição... Por exemplo, a um paralítico chamarem-lhe "aleijadinho" ou "entrevadinho"; a um claudicante, chamarem-lhe "coxo", "deixa-qu'eu xuto!"; a um tipo de muletas chamarem-lhe "4x4"; ou a um obeso alcunharem-no de "chouriço", "badocha" ou "paquiderme chinês" (como certo colega meu dos tempos de liceu, já não falando no "Samuel Cabeça-de-Autocarro", adivinhem lá porquê...). Nestes casos, ainda por cima nada raros, está-se a reduzir o portador à deficiência. Como se esta em vez de mero acidente passasse a constituir exaustiva essência.
Não me digam que alguém ser de raça negra constitui deficiência?
Pois parece. E que certos fanáticos do pedigree assim pensem, não me surpreende. Ao menos não escondem, não se mascaram. Agora que aqueles que é suposto montarem sentinela à sacristia da Nova-Fé - toda a manada de vaquinhas e burrinhos de presépio que velam e bafejam, freneticamente, de roda do pretinho núcego e desamparado - o corroborem veladamente, já me parece uma perversão digna de denúncia e afixação em editais por toda a comarca. Porque, visto com atenção, é isso que se passa: temos que protegê-los, temos que criar estatutos de discriminação positiva, estufas de adaptação, acessos facilitados, próteses ortopédicas de amparo, enfim, todo um burodispositivo guarda-parque, pois, bem no fundo, são aleijadinhos, são deficientes, são desgraçadinhos à mercê de predadores oportunistas e caçadores furtivos, sempre prontos a vitimá-los e brutalizá-los sem dó nem piedade. Que seria dos pretinhos sem todas estas bobi-sitters de plantão? Toda esta parasitarquia do handicap? Todos estes oxiúros escuteiros do desfavor?!...
Só conheço uma merda pior que a direita burguesa: a esquerda burguesa. Isto, claro está, partindo do princípio que alguém, fora o Diabo que as pariu por desova homozigótica, conseguia distingui-las.

16 comentários:

A.H. disse...

Ehehehe!
Este Dragão é implacável, mas tem sempre razão.

Ze disse...

Dragao do C48h4lho !! p4p01lh4 es tu!!!

S4lVO 0 M3U B3NFIC4 T3NS TOD4 A R4SAO

Dragonis disse...

Sem corantes nem conservantes... Brilhante!

Anónimo disse...

Você está a ser agora um pouco ingénuo, caro Dragão perdõe-me a franqueza.

A questão não está em "onde é que a constatação dum facto pode constituir uma ignóbil ofensa", mas sim na "forma" como lhe chamam preto! O rapaz sentiu-se humilhado ou talvez não?

Vê-se logo que nunca praticou desporto de alta competição e foi insultado até ao limite!..

Afinal você vive numa redoma ou qualquer coisa do género? A falar de barriga cheia, também!!

E aquele palhaço do A.H. deve estar cá com uma vontade de lhe fazer um bico!!!!tem "sempre" razão fds deves ser cá uma peça!!

Cá para mim vocês são todos uma cambada de meninos da mãmã e uns copinhos de leite que valha-me Deus, a ver jogos no conforto do lar!!!fds

dragão disse...

Já agora, que desporto de alta competição é que vosselência pratica e onde é insultado até ao limite?
Xadrez? Bridge? Minigolfe? Carrinhos de choque?...

A.H. disse...

"
E aquele palhaço do A.H. deve estar cá com uma vontade de lhe fazer um bico!!!!tem "sempre" razão fds deves ser cá uma peça!!

Cá para mim vocês são todos uma cambada de meninos da mãmã e uns copinhos de leite que valha-me Deus, a ver jogos no conforto do lar!!!fds
"

Fds digo eu pá!
Meu caro, se quer discutir alguma coisa arranje um "nick" e não chame panasca aos outros.

Felizmente sempre gostei da minha mãe. Lamento que não goste da sua.
Quanto ao "insulto" "copinho de leite", não o sou, mas esteja à vontade se quiser: esbranquiçado, desbotado, claro, branco,... (é só escolher).

O dragão além de artista tem uma lucidez espantosa! Tem feito um excelente blog e isso merece ser reconhecido!
Quanto aos ditos "bicos", não deixe para os outros aquilo que voçê próprio gosta de fazer!
Especialmente quando eu já escrevi aqui (não sei se sabe ler?) o que penso de amostras de "homem" que passam a vida a falar dos ditos e a defender os que os fazem os uns aos outros. Se para você isso é práctica comum, então felicidades! Obrigado, mas eu dispenso.

Os que chamaram preto ao preto estavam lá e não mandaram mensagens pela internet. Pelo menos não eram cobardes.

De resto borre-se lá à vontade, que o mau cheiro não chega cá!

Nota: Eles tardam, mas aparecem sempre e em "posts" diferentes!

acoral disse...

Chamar de preto (como é q se designa a raça? negro?) acompanhado de uns uuuuuu (som de macaco) e de "vai para a tua terra" é desagradável!!!!

Anónimo disse...

Caro Dragão para sua informação joguei 8 anos no escalão máximo de uma competição nacional, para não falar do resto e continuo a estar ligado ao desporto, por isso em relação ao futebol e à pressão que um jogador sente numa situação destas você sabe 0!

O A.H. diz que os que chamam "preto" ao Mantorras não são covardes, pois não olhe que ideia; centenas de pessoas numa claque com as costas quentes e a chamar "preto" a uma única pessoa é um sublime acto de coragem!! Alguem lhe chamava "preto" se estivesse sózinho? fds que observação tão perspicaz e profunda a sua!!

Vocês devem passar mesmo os dias fechados em casa a ver o mundo pela net e televisão! Abram a pestana, o mundo real esta cá fora! E eu a pensar que isto era um blog "diferente"!

P.S. Nenhum de vocês de certeza absoluta aguentava 1 mês num clube, é sempre mais fácil dar aulas ou estar num escritório!

dragão disse...

Depende do clube. Se for um clube de streap-tease, eu aguento meses lá dentro. O difícil é arrancarem-me de lá. Se for corrida de meio fundo atrás das putas, também me safo razoavelmente.

Não obstante, gosto sempre de aprender com tipos mais sábios que eu. Você dá cursos de vida onde, ó garnizezinho atleta? Que é para eu me matricular.


PS: Cá para mim você é uma papoila saltitante, com os melindres da tribo, a armar aos cágados.

Anónimo disse...

Neps neps, tá enganado. Sou da cidade do Porto, mas não suporto humilhações!

O Dragão pode ter razão em algumas coisas, mas que o rapaz se sentiu mal sentiu!

Vá lá saía do sofá, ponha o charuto e o whisky de lado e ponha-se no lugar dele! Ainda para mais, Dragão vidente que pensa que é sou sócio do F.C.P há 20 anos mas não me identifico com ralé que grita F.C.P. Há que ter cabecinha! Cafds

Anónimo disse...

Anónimo,
Concordo consigo. Há pessoas muito racistas que tratam mal os pretos. E estes não têm nada a atitude de se vitimizarem. Pelo contrário, defendem-se bem e podem dar uma lição a qualquer branco em sobrevivência. Mas por causa dos racistas, os outros sentem necessidade de protegê-los.

dragão disse...

Bem, eu não sou do Porto (nem teria nenhum prazer especial nisso), não sou sócio do FCP, estou-me cagando para o futebol e as suas flores de estufa e se o rapaz se sentiu mal,penso que a ideia era essa: fazê-lo sentir mal. Acho que é o que todos os adeptos, em todos os estádios, pretendem fazer sentir aos atletas rivais, digo,inimigos.
Aquilo que o pagode em todos os estádios também chama aos árbitros, deve fazê-los sentir bem à brava. Aquilo que a macacada dum clube chama à macacada do outro clube (as ditas claques) também deve ocorrer com intuitos beneméritos. E aos presidentes, às mães dos presidentes, etc, etc. Em resumo,num ambiente de manicómio desses, vamos agora meter o Mantorras numa estufa incubadora porque alguém o mimoseou com um dos produtos típicos da região. Tadinho. As pessoas vão descarregar os maus fígados, as frustrações, as ululâncias recalcadas para os estádios. Não é para isso que eles servem?
Vamos extrapolar daí o quê? Teorias gerais da sociedade?
Se vosselência não percebe o que lê, arranje um explicador. Não use só a cabecinha, provavelmente para dar com ela toques de bola: tente usar o que tem dentro dela. Desenvolveu os músculos? Óptimo, já é um perfeito bruto. Tente agora desenvolver as ideias.

A.H. disse...

Tem talvez razão, sendo claques inteiras (que não sei se foi o caso), talvez eles sejam tão cobardes como aqueles que vão chamar anonimamente (pois claro) panascas aos outros que dão a sua opinião em blogs na net!

Para desportista que diz ser, falta-lhe talvez alguma experiência do que é a realidade em desportos como o futebol.
Nisto temos aparentemente algo em comum.

Vive no porto, diz que já participou em competições (em sonhos provavelmente), mas escapam-lhe algumas realidades óbvias!....

kommando disse...

Aqui no Brasil, como a maioria dos nossos jogadores são pretos e pardos - e a torcida idem, ao invés de insultos eles partem para a agressão com socos, pauladas, pedradas e tiros.

kommando disse...

"Michael "Richards, de 57 anos e conhecido por seu papel como o extravagante vizinho Cosmo Kramer na famosa série, usou adjetivos racistas ao ser interrompido por dois membros negros da platéia, no clube Laugh Factory, oeste de Hollywood.

Uma filmagem caseira do incidente, divulgada pelo site da internet sobre as estrelas Tmz.com, mostra Richards reagindo furioso depois que os homens gritaram que ele não era engraçado.

"Fala, Fala agora seu valente filho da puta. Que o deixem falar. É um negro! É um negro! Olhem, há um negro!", gritou o comediante depois de uma série de epítetos, utilizando o termo "nigger", muito insultante nos Estados Unidos."

http://youtube.com/watch?v=nziM7oWMLaU

Anónimo disse...

Exacto, mas ele depois pediu desculpa porquê viu que reagiu a quente! Claro que os palhaços que estavam a dizer que ele não tinha piada nem sequer deviam estar ali. Ele fez a parte dele, arrependeu-se e mostrou que é um grande homem! E em vez de fazer figura de palhaço, saíu por cima! Grande Richards


http://youtube.com/watch?v=EI5dGM_l9l8&mode=related&search=