terça-feira, março 25, 2008

Um blogue raro

Há pasquins que não o são. Há pasquins que, por não o serem, vale sempre a pena serem lidos. Faz quatro anos que o jovem Corcunda ergue o seu monumento à coerência, à perseverança e à probidade. Mais do que gente que pensa como eu – nasci claramente no milénio errado -, já fico todo satisfeito quando descubro gente que pensa. O Corcunda é desses, dos raros. O tempo o lapidará.

4 comentários:

kommando disse...

Só leio o Dragoscópio. O resto é perda de tempo. ;OP

Anónimo disse...

Por onde anda o piso radiante?


Isabel

Anónimo disse...

Caro Dragolabaredista,

Conto com a sua ajuda para aperfeiçoar a arte do bloganço.
Se isso não acontecer, pode bem lapidar-me na praça pública.

Um abraço,

O Corcunda

dragão disse...

Não sei se vou ter tempo para ajudá-lo, caro Corcunda. Como sabe, ando sempre muito atarefado a defenestrar a verdade. E o pior é que quanto mais verdade defenestro, mais verdade aparece para defenestrar. Às tantas, até dou comigo a pensar se não estarei a defenestrar o Indefenestrável...