quarta-feira, março 12, 2008

Purga é pouco

O actual PSD é uma nulidade. Parece-me um facto evidente. Pode-se pois dizê-lo à vontade e sem grande temor de erro. O que não se pode é dizê-lo como se isso fosse uma catástrofe excepcional, ou seja, como se os anteriores PSDs também não o fossem. Como se alguma vez tivesse existido um PSD que não fosse, mais que essa nulidade, esse sítio mal frequentado, esse antro de malfeitores vorazes a quem substancialmente devemos esta Ribeira dos Milagres que actualmente somos. Aliás, a proeza cíclica e fatal do PSD é colocar no poleiro a única porcaria que ainda é pior e mais malfeitora que ele: o PS. Da última vez, com requintes de maioria absoluta. (Eventualmente o PCP, ou o PP poderiam ainda ser piores, mas faltam-lhes recursos humanos para isso; o BE, em contrapartida, seria excelente pois ocasionaria uma pronta e alegre guerra civil, que é o que isto anda a precisar há muito tempo).
Agora, se o cacique actual da tribo, o tal Menezes, anda a fazer purgas intestinas, sobe já na minha consideração. Viva o Menezes! Purgas, sangrias, razias, desinfestações, desratizações, podas camarárias, linchamentos, chacinas mau-mau, limpezas Tide são soluções - mais que abençoadas. - urgentes. Se pecares, ó Menezes, será sempre por escassez. Como na simples purga, por exemplo. Pressupõe drenar uma coisa que, entre insectos rastejantes e parasitas intestinais, não abunda nem complica: sangue. Ora, a substância da complicação é outra e não se resolve com simples purga. O ideal é mesmo o clister. Todos os dias.

4 comentários:

joshua disse...

Também sou dos que não dramatizam as purgas: gente que nada tem a dizer, que nada intervém, que não nos defende, que não nos leva em conta, puta que os pariu!

Engordaram durante anos mamando-PSD o Estado e desinteressaram-se quer do País quer do seu Povo: andam ocupados, muito ocupados, com eles mesmos e com os seus negócios.

Uma das coisas mais dramáticas dos últimos anos foi a inexistência de oposição, compostas de vozinhas efeminadas e isoladas. O País e as pessoas eram violentados, atirados uns contra os outros, desinformados e manipulados. O que faz o PSD? Nada.

Pacheco Pereira usa essa palavra dentro da conotação fascizante das facas longas e longas cretinices ideologizantes a merda do Passado. Mas o Pacheco, nestas coisas, não é nada inocente.

Perante a anomia de um Capucho e dos demais coelhos só agora com gemidos, talvez nada melhor que passar adiante, cilindrando insípidos. Rui Rio insípido, dez notáveis insípidos, a acordar agora de uma longa e infecta letargia.

PALAVROSSAVRVS REX

douro disse...

Foi tão giro ver o Ribau: fartei de me rir com o jeito que ele tem para a palhaçada. Acha que ele aceitaria vir abrilhantar o nosso sarau de reformados da Arca d'Água? Então se trouxesse o de Gaia seria fantástico. A gente precisa de rir mais, de esquecer por momentos a escumalha do governo. O Sr. Dragão parece ser pessoa com conhecimentos e podia ver se o Menezes e o Ribau quereriam vir ao nosso sarau. Vá lá, dê uma ajudinha, somos reformados e não temos dinheiro para ir ao circo.

proletário disse...

ó Joshua, mas purgas é com Vocês! olha o que o Trotsky e a camarilha judaica fez na União Soviética...

catrapimba disse...

Clister,clister é que é!Melhor dizendo:no cu,que é onde eles gostam.Mas clister de 5 litros,das Caldas.