sábado, março 29, 2008

Blogo-patologias

Bem que eu suspeitava: sou um doente mental. Mas o que mais me chateia até nem é isso - ser doente mental, nestes dias que correm, tendo em atenção os monumentos de sanidade que desfilam nos governos, administrações, caixotes televisivos e demais vazadouros da lucidez, até é capaz de constituir motivo de orgulho. Não, leitores, o problema é que, de todo, não estou sozinho. E como eu sou pouco inclinado a bandos, mesmo de doidos e lunáticos, isso, de certa forma, desgosta-me. Estou a falar de quê? Ora, estou a falar disto, de sarrabiscar num blogue. É uma descoberta recente e mirabolante do Dr. Jerald Block. Num artigo científico no American Journal of Psychiatry, o ilustre psico-tarólogo certifica: «pessoas que enviam excessivos textos e emails podem ter uma doença mental.»
Na verdade, raramente pratico emails, nunca manipulo telemóveis, nem messengers, nem faces não sei quantos, nem ebays, nem nenhuma dessas estupendas maravilhas que estão sempre a cogumelejar para regalo do consumidor. Mas isto dos blogues, só por si, deve indiciar caso muito grave, demente e infeccioso. Ainda mais, quando é público o meu abuso crónico na prosopopeia.
Todavia, declarada a maleita, ressalta logo, tanto quanto a angústia, a questão: terá cura?
Suponho que sim. E não será difícil adivinhar qual seja.
Em vez de endoidecer e doidejar para aqui, defronte do monitor, tenho que me ir desintoxicar diante da televisão, do vídeo, do ecrã do cinema, das montras dos shoping-coisos, das camcorders em viagem, dos best-sellers do dia, da top-music das noites, etc, etc. Dir-me-ão, que essa medicação já os junkies do SMS, do messenger, do Face-não-sei-quantos, do ebay et al fazem e, pelos vistos, não resulta. Bem, fazem eles, mas não faço eu. Pode ser que comigo resulte.
E agora desculpem, mas tenho que ir a correr tomar o Telejornal.

5 comentários:

Anónimo disse...

Looooooooooooooooool!!!!

A.H.

josé disse...

Tive a ler o textículo do psi. Percebo o ponto de vista. O excesso é resultado da adição.

Juntando momentos agradáveis ao prazer de descobrir, a serotonina, expele-se nos neurónios ( ou lá onde
é), de modo a sossegar e satisfazer a libido intelectual.

Mas isso, acontece com tudo o resto. Com a comida; com a bebida; com o prazer de conversar; com o convívio de quem se gosta; com o descanso, em frente a um écran; com a visão de imagens impressas ou pintadas; com a leitura de jornais, revistas e livros; com a frequência de lugares de jogo e disputa; com aquela coisa que nos atrai no sexo oposto e nos leva a repetir, sem cansar; com as viagens, etc etc etc.
O psi, tocou apenas num ponto: o da escrita virtual, compulsiva em alguns casos.

Nada de grave, parece.
Mais grave dever ser a mania de tentar classificar comportamentos de acordo com padrões...e que o leva a observação voyeurística de atitudes alheias.

kommando disse...

Estranha essa mania dos psiquiatras de acharem que os outros é que são loucos.

Psicopato disse...

Dizem que reconhecer a maleita é meio caminho para a cura...
Talvez se assistires a dois ou três debates com o José Lello ou o Jorge Coelho sem vomitar te dêem alta.

timshel disse...

não te aflijas dragão

dobra a medicação que ficas normal como eu

só acho os teus textos por vezes inutilmente longos quando a ando a tomar regularmente