segunda-feira, setembro 20, 2004

A Caverna

Jesus, que era cego e não via o mal, dizem, morreu por nós, que somos cegos e não vemos o bem.
O mal, o bem...De comum, aos sábios genuínos de todas as épocas, ficou uma convicção: apenas um deles existe.
Outros, mais esotéricos, entendem que Ele, o mal não o via pois escondia-se detrás do Bem; nós, ao Bem, não o vislumbramos, pois eclipsa-o o Mal.
Em milhares de anos o sol não nos ensinou nada. Continuamos a achar que é ele que viaja, quando quem viaja somos nós e a nossa visão junto connosco. O dia e a noite, o verão e o inverno, para o sol não existem.
Jesus via para lá do Mundo. Nós vivemos fechados nele. A tudo isso, Platão profetizou-o, na forma de uma alegoria: a da Caverna.

2 comentários:

Anónimo disse...

Aos Nove Dias do Mês de Agosto do Ano da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de Dois Mil e Quatro, realizou-se o Inquérito da RIAPA sobre os Incidentes em Matosinhos, entre dois Gangs do PS (Panascas de Sacavém), que levou à morte do senhor Sousa dos Frangos, mais conhecido como “O Homem da Orelha Anã”. Foram interrogados os senhores Narciso Cu-à-Banda e Manuel Se-Ábra. O Senhor Capitão Proveta, representante do Tribunal do Santo Ofício da RIAPA conduziu o Interrogatório.

Registo nº 1

General Tubarão – Eu, Tubarão dos Arcos, General do Exército Imperial, declaro, por Ordem Lacrada do Grandioso Comandante Guélas, aberta a Comissão de Inquérito do Tribunal do Santo Ofício da RIAPA. Serão ouvidas as seguintes pessoas:

- Senhor Narciso Cu-à-Banda (profissão indefinida)
- Senhor Manuel Se-Ábra (profissão indefinida)

como suspeitos da morte do senhor Sousa dos Frangos e

- Dr. Velhinho (Psicólogo Clínico da RIAPA)
- Dr. Bajoulo (Médico Legista)
como técnicos de apoio ao Tribunal.

Tem a palavra o Senhor Capitão Proveta.

Capitão Proveta – Chamo o Dr. Velhinho. Dr. Velhinho, pode explicar a esta Comissão porque é que o senhor Narciso Cu-à-Banda tem uma voz fininha?
Dr. Velhinho – Nas análises sanguíneas que lhe fizemos, foram detectadas muitas hormonas femininas.
Capitão Proveta – Este facto poderá influenciar o seu comportamento sexual?
Dr. Velhinho – Sim, ter uma forte inclinação para pessoas do mesmo sexo. Aliás, numa pesquisa que fizemos ao seu passado escolar, descobrimos que lhe foi dada a classificação de “Pega de Empurrão” (Escala Sexual do Cabrita), no Liceu, durante os “Teste Psicotécnicos” aplicados à População Escolar.
Capitão Proveta – Ainda se aplica essa “Escala do Cabrita”?
Dr.Velhinho – Não, depois do 25 de Abril foi substituída pela “Escala Sexual do Zé de Porto Salvo”.
Capitão Proveta – Explique a esta Comissão, sucintamente, a “Escala Sexual do Cabrita”.
Dr. Velhinho – Era constituída por 6 parâmetros:
A – Pega de Empurrão
B – Pega à Manivela
C – Urina Sentado
D – Bufa-se sem Barulho
E – Cruza as pernas quando se senta
F – Comportamento Sexual Normal
Capitão Proveta – Então o senhor Narciso Cu-à-Banda apanhou a classificação mais alta?
Dr. Velhinho – Sem dúvida. Não deixa dúvidas quanto às suas preferências sexuais.!
Capitão Proveta – E em relação ao senhor Manuel Se-Ábra?
Dr. Velhinho – As análises sanguíneas não detectaram nada, foi sujeito aos mesmos “Testes Psicotécnicos” na altura do Liceu, sendo classificado com um “C”.
Capitão Proveta – Obrigado Dr. Velhinho, pode sentar-se.
Registo nº 2

Capitão Proveta - Chamo o senhor Manuel Se-Ábra. O senhor foi às Peixeiras de Matosinhos comprar peixe?
Manuel Se-Ábra – Não, senhor Capitão, eu não compro daquele peixe. É todo pescado no Jamor. Eu fui dar apoio ao senhor Sousa dos Frangos.
Capitão Proveta – Dar apoio?
Manuel Se-Ábra – Protegê-lo das peixeiras.
Capitão Proveta - Protegê-lo? Porquê?
Manuel Se-Ábra – Fui informado de que as peixeiras lhe queriam fazer a folha!
Capitão Proveta – “Fazer a Folha”?
Manuel Se-Ábra – Constava na Concelhia do PS (Panascas do Samouco) que ele tinha uns enormes Túbaros, para compensar a orelha anã. A Natureza faz estas compensações! Pensámos que se alguém lhe devia pesar os Túbaros, seria a Concelhia.
Capitão Proveta – E como é que os pensava pesar?
Manuel Se-Ábra – Com as mãos e o nariz!
Capitão Proveta – E chegou a pesá-los?
Manuel Se-Ábra – Quando pus as mãos também lá estavam as do Narciso Cu-à-Banda, que me empurrou. Não tive tempo de tirar as mãos e dei um valente puxão nos Túbaros do senhor Sousa dos Frangos.
Capitão Proveta – Pode sentar-se.

Registo nº 3

Capitão Proveta – Chamo o senhor Narciso Cu-à-Banda. Senhor Narciso, porque é que foi à Lota?
Narciso Cu-à-Banda – Porque sabia que o “Cu de Senhora”, o senhor Manuel Se-Ábra, ia lá fazer a sua campanha com as peixeiras.
Capitão Proveta – Campanha?
Narciso Cu-à-Banda – A campanha do “Peso dos Túbaros”. Se alguém os tinha de pesar, tinha de ser a Câmara.
Capitão Proveta – E chegou a pesá-los?
Narciso Cu-à-Banda – Quando pus as mãos, também estavam lá as do Manuel Se-Ábra. Ele deu-me um empurrão e eu caí, não tendo tempo para as tirar.
Capitão Proveta – Pode sentar-se.

Registo nº 4

Capitão Proveta – Chamo o Dr. Bajoulo, Médico Legista do Centro de Saúde “Irmã Quitéria Barbuda”, da Terrugem. Dr. Bajoulo, confirmaram-se os Túbaros do senhor Sousa dos Frangos?
Dr. Bajoulo – Uns autênticos melões, senhor capitão. É por isso que ele andava inclinado para a frente.
Capitão Proveta – Ambos os suspeitos disseram a esta Comissão que lhe puxaram violentamente os Túbaros. Isso pode ser a causa da morte?
Dr. Bajoulo – Eles não tinham somente as mãos nos Tubaros, estavam abraçados a eles. Aqueles Túbaros numa situação normal chegavam aos joelhos e quando o “presunto”, perdão…o senhor Sousa dos Frangos me foi entregue, vinha com eles a arrastar no chão. Os meus auxiliares chamaram-lhe logo “o passarinho ui ui com a orelha anã”. Os suspeitos de certeza que só os largaram quando se aperceberam que o homem estava frio.
Capitão Proveta – Obrigado pelos seus esclarecimentos, que foram muito úteis.

Registo nº 5

Capitão Proveta – Senhor Narciso Cu-à-Banda, afinal não foram só as mãos. Tem alguma coisa a declarar?
Narciso Cu-à-Banda – Eu sou um obcecado por Túbaros. Na minha infância, quando ia para a quinta dos meus avós, adorava os bois de cobrição. Eu sou um homem doente que necessita de tratamento. Peço clemência ao Comandante Guélas.
Capitão Proveta – Fico contente com a sua confissão, será tomada em conta. E o senhor Manuel Se-Ábra, tem alguma coisa a declarar?
Manuel Se-Ábra – Eu tenho um apetite por tenrinhos e quando soube que o Narciso ia pesar os Túbaros ao senhor Sousa dos Frangos, não quis ficar atrás em termos políticos. Peço ajuda à Comissão, salvem-me do Monomamalhudo do PS, que me anda a desencaminhar outra vez para o Restelo.
Capitão Proveta – Dr. Velhinho, o senhor Se-Ábra está um pouco confuso!
Dr. Velhinho – Está completamente confuso. Fala de coisas que parecem reais, mas que não têm ligação com este caso.
Capitão Proveta – Declaro encerrada esta Comissão, a sua Acta será entregue ao Exmo. Comandante Guélas que proferirá uma decisão.

Registo nº 6

General Tubarão - Em nome do Exmo Comandante Guélas, Potestade da Net, declaro os senhores Narciso Cu-à-Banda e Manuel Se-Ábra culpados da morte do senhor Sousa dos Frangos, sem o terem desejado. Serão internados na Clínica de Saúde Mental “Irmão do Milhas”, rua das Pias, nº 44, 2890-153, Cantinho das Putas Velhas, Fontainhas. Durante o tempo de internamento estarão sempre acompanhados pelo irmão do Milhas.

Viva o Comandante Guélas

RIAPA ou Morte

www.riapano.sapo.pt

Night time disse...

como muito bem diz o Dragão: jesus via para lá do mundo.
Talve seja fruto da minha juventude, ou inocência (não me parece, esta última) mas desde tempos imemoriais que autores escrevem acreca dos males do mundo. Deste mundo. Tenho de dizerque, de tudo o que li até agora, apenas um m'abriu os olhos a uma visão completamente diferente, a olhar para lá deste mundo, observá -lo de fora: Carl Sagan.
Este tinha várias frases caracteristicas dele, mas uma delas ficou: quando observado da lua, este mundo, azul, todos os problemas, rivalidades e mesquinhices humanas parecem insignificantes; pois só assim nos damos conta de que, afinal, vivemos todos num pedaço de terra, todos juntos. (a minha assinatura provém do estilo de argumentação do Carl)

Tanto quanto sei, Carl deu -nos uma nova visão do ser humano, muito para além das retoricas de Aristóteles, das alegorias de Platão e argumentações de Sócrates.
Uma visão cientifica, nua e crua; com soluções a acompanhar.
mas Teoria é uma coisa, prática é outra...
Caro Dragão: por acordo á noite a pensar: "ignorance is a bliss" e fico sem saber se preferia viver na ignorância. Que me diz a esta?