sexta-feira, setembro 30, 2005

Rescaldo de um debate

Bem, de tudo o que aqui foi dito sobre os inefáveis "blasfemos", entre esconjuros e apologias, sobressai uma minudência panegírica que, por não ser a primeira vez que a topo, me desafia e intriga. É onde se diz: «aguentam todo o tipo de embates com aquele fair play que só quem tomou muito chá à nascença é capaz de ter».
Aqui chegado, cumpre-me confessar, publicamente, as minhas abissais limitações nessa matéria. O chá. Efectivamente, não sei, desconheço com quantos neurónios tenho, se aqueles rapazes tomaram chá à nascença, ou se, em contrapartida, preferiram biberão de papas ou se contentaram, como faz o vulgo plebeu, em chuchar no nutritivo e aveludado úbere materno. Da mesma forma que também ignoro, em grau e intensidade semelhantes, se são de raça ariana pura ou se tiveram parentes próximos encarcerados aos cuidados da famigerada PIDE/DGS.
Mais adianto que o pouco que domino desse assunto, o chá, resume-se a saber que é um meio privilegiado para a diluição do arsénico. Ou da estricnina. Que, como todos sabemos, em quantidades controladas, pode ser um afrodisíaco.
Dada a compulsividade e facilidade com que se masturbam, eu inclinar-me-ia mais para a segunda hipótese.

3 comentários:

timshel disse...

dasse
dragão

tu és fodido

a torres ferreira http://atorresferreira.hi5.com disse...

a masturbação é fixe.

Ovelha Tresmalhada disse...

Quando o dragão morde, morde mesmo! Se eu fosse "blasfemo", até corava de vergonha - e lá se ia ou o paradoxo, ou o blasfemo.