terça-feira, abril 15, 2008

Dark Side

Bem, enquanto o pára-raios, o meu computador, os antibióticos, os satélites (não militares) e tantos outros prodígios devem - segundo a lógica soberana dos seus devotos - ser plenamente creditados à Ciência, já o que se segue, presumo, deve ser creditado à religião, à filosofia, à literatura e à mitologia...

«O Admirável Mundo da Monsanto...»

É longo, mas acreditem que vale a pena ver até ao fim. Lá pela 1H11m, não percam: quando aparece a "gene-police". Ainda a malta se queixa da ASAE...

11 comentários:

timshel disse...

ó dragão

faz lá um resumo que eu não tenho tempo para ver essa merda toda

(agora em vez de logorreia directa saída directamente das entranhas do dragão temos verborreia em ventriloquismo?)

mama eu quero disse...

Toda a gente odeia a Monsanto. Até os seus accionistas odeiam a Monsanto. Até os administradores da Monsanto se odeiam a eles próprios. Até o bicho-da-seda odeia a Monsanto.

Quem não os odeia são os políticos republicanos dos EUA que estão sempre a defende-los ao ponto de colocar nas chefias dos organismos reguladores desse mercado advogados da própria empresa e a desenvolver leis completamente absurdas. Tipo se a tua quinta biológica for “contaminada” por produtos geneticamente modificados da Monsanto que foram levados pelo vento tens de pagar multa à Monsanto por possuíres produtos deles sem sua autorização. Mas eles perdoam-te as multas milionárias se tu passares a usar os seus produtos (as plantas e os herbicidas) com contrato assinado por 10 anos ou 15 ou lá o que eles pressionam. Tudo isto porque os republicanos alteraram as leis da para defender os interesses da Monsanto. Os “biológicos” é que têm de criar condições para impedir que o vento leve os produtos da Monsanto para lá. O vento e os insectos e pássaros que “cagam” sementes. Construir um muro de uns quilómetros de altura e de modo a que não tape o sol portanto. Tudo isto porque esses políticos de pacotilha acreditam que assim a América está em vantagem competitiva nos produtos alimentares em relação ao resto do mundo. Na verdade acreditam que podem com isso ter os melhores produtos (vegetais e insecticidas) para impor ao resto do mundo. Até já alteraram as leis das patentes para se poder patentear vegetais não geneticamente modificados que estão na natureza aos séculos. A Monsanto já tinha os papelinhos todos prontos para levarem o carimbo. Até a Europa se vergou a isto. Os poucos que não vão na conversa são os indianos que andam a estrebuchar faz uns anos. E os chineses, que nem lhes passam cartão.

(Não vi o vídeo mas deve ser sobre esta Monsanto)

É esta a tua tentativa para mostrar o quão ruinzinhos são os homens da ciência?

Sei lá podias dar exemplos dos gajos que fizeram os carros e as estradas que são de longe quem contribuiu mais para a mortalidade de seres humanos. Muito mais que a Monsanto e os fabricantes de armas e todas as guerras juntas. São aos milhões por ano à volta do mundo.
Onde queres chegar? Que não devíamos ter carros?

PMN disse...

Bem, enquanto o pára-raios, o meu computador, os antibióticos, os satélites (não militares) e tantos outros prodígios devem - segundo a lógica soberana dos seus devotos - ser plenamente creditados à Ciência[...]

Haveria hipótese de serem creditados a carpinteiros?
Estofadores? Ou a dragões?


Que falácia pobre. Uma coisa é o produto da ciência, outra é a forma incorrecta de a usar (que ocorre em todas as áreas), sendo o seu uso algo que está fora do campo da ciência.

Anónimo disse...

A religião com as inquisições, autos-de-fé, lapidações, cruzadas...

Sendo que um dos principais problemas
actuais a nível global, deriva de problemas religiosos.

mama eu quero disse...

Este tipo de diálogo baseado em “tu és mais mauzinho que eu” não leva a lado nenhum.

Crédito contudo à divulgação dos "esquemas" da Monsanto.

Já disse que odeio a Monsanto?
E que a Monsanto de odeia a ela própria?
É que nunca é demais repetir...

PMN disse...

Este tipo de diálogo baseado em “tu és mais mauzinho que eu” não leva a lado nenhum.

Não leva devido a não ter sentido no que respeita à ciência. Não é campo da ciência a gestão da utilização do seu produto. Se isto lhe causa confusão...

mama eu quero disse...

PMN,
não me causa confusão nenhuma e concordo consigo.

O Dragão não gosta da Monsanto.
Eu não gosto da Monsanto.
Ninguém gosta da Monsanto.
Cientistas do campo da genética trabalham para a Monsanto.
Ninguém gosta de cientistas?

Não. É só para sublinhar que há cientistas mauzinhos que andam a soldo de quem lhes dá emprego.
Vendidos!

Isto é que é reduzir. De sexta para primeira. Só pode dar asneira.

Anónimo disse...

"Sendo que um dos principais problemas
actuais a nível global, deriva de problemas religiosos."
Ó anónimo da 1h54, explique-me lá o que é que o petróleo, a falta de água e o trabalho escravo na China tem a ver com a religião? É que grande parte dos problemas actuais derivam destes problemas. Ou ainda não tinha dado por isso? Ainda acha que é por causa de uns comerem carne de porco e outros não?
Xico

Dragão disse...

Alguns leitores já parecem uma grafonola.
Eu só estou a levar o vosso argumento às devidas consequências: se a ciência é os seus benefícios, como a toda a hora não se cansam de repetir, então a ciência é também os seus malefícios. Se é frigoríficos e aviões, também é lixo, poluição e bombardeiros. Ou não será?
O argumento é vosso. Aliás, é o vosso argumento principal. Eu limito-me a achar-lhe piada. Mas é revelador da parcialidade sectária e mitomaníaca com que os devotos encaram a coisa.
Fora isso, é evidente que não gosto da Monsanto. Parece-me que aquilo já é um cancro global, bem pior que a Al-Caída.

mama eu quero disse...

Grafonola presente.

Ó Dragão, vamos então não fazer nadinha de nada.
Não mexe. Não respira.

dragão disse...

«Ó Dragão, vamos então não fazer nadinha de nada.»

Fazer menos merda não é opção? Tirar os doidos dos comandos, já vi que não.