segunda-feira, novembro 26, 2007

Xenocultura


Visto que um tipo com um coração humano está condenado a levar uma vida de cão, depreende-se que, uma vez equipado com o coração dum porco, veja as suas perspectivas existenciais melhorarem consideravelmente, bem como a sua qualidade de vida disparar para níveis e requintes próximos do semideus.
Um coração de porco, uma alma de macaco, um cérebro de galinha, uma língua dum papagaio, um sexo de ornitorrinco e uma coluna de molusco bivalve - eis a perfeita assemblagem, o Admirável Homem Novo!...
Só não percebo que se designe o transplante dum coração de porco para certos sujeitos como "xenotransplante". Em muitos casos, mais do que seria até recomendável, é de um genuíno "isotransplante" que se trata. Nalguns até podiam substituir aquela porcaria pelo intestino grosso do suíno que ninguém notava a diferença.
De facto, o que mais para aí abunda, ao contrário dos tempos antigos em que se fazia das tripas coração, é gentuça que faz do coração uma tripa. Transplantem-lhes a mioleira dum chimpanzé, mesmo em avançado estado de putrefacção, que há-de ser um grande progresso. Nisto de incrementos e enxertias da raça, nada como recorrer ao fontanário ainda não mestiçado da estirpe.

3 comentários:

Terpsichore E. M. disse...

Bravíssimo Dragão!!!
Ironizar ao máximo a cambada de idiotas cientistas. Caramba!! ULTRAPASSAM TUDO! NÃO POSSO MAIS!!!
E eu posso tanto, podes crer.

Dir-se-ia que não teriam qualquer necessidade de corações de porcos... com tantas outras ''fontes de material'' que estão a construir. Mas é que acham piada!

E além disso, filho - aquilo não vai - lá nos planos deles - haver escolha nenhuma: tens um acidente, poem-te a dormir - e no dia seguinte acordas com coração de porco quer queiras quer não - que o cientista é que sabe, claro.

E que saudável, que saudável! E que bom sentimento, depois ter filhos... olha filho...somos...meios porcos...

Cumprimentos

Terpsichore E. M. disse...

''ao contrário dos tempos antigos em que se fazia das tripas coração, é gentuça que faz do coração uma tripa.''

Fantástico!

Esta para mim é crucial...
Devia ser para todos, caramba. Bem que penso muito nessa nossa frase ''fazer das tripas coração'' - é que é tão autêntica, é tão autenticamente assim. Enfim. Mas não aquela gente. Esse nada percebem de coraçãoes. Só percebem de BOMBAS.

Dragão disse...

Cara Terpsichore,

basta atentar na desvalorização que esse órgão humano tem padecido desde a Antiguidade até hoje.

A coragem, por exemplo, é uma virtude do coração. O herói distingue-se pelo seu enorme coração, pela sua capacidade de arrostar perigos, desafios e sacrifícios. Ao contrário do cobarde, da vítima profissional, como hoje é celebrada em toda a parte: escravo do cálculo, da mioleirazinha espertalhona e da vida feita contabilidadezinha no deve/haver, que é como quem diz do "come & caga" (perdoe-me o plebeísmo) que alterna com o "come & cala". Se tanto, grunhe. Tal qual porcos. Duma qualquer Circe.