terça-feira, novembro 06, 2007

O Lili-Canecismo pênsil



O fenómeno até teve honras de abertura de telejornal: os "antifascistas portugueses estão em marcha contra o Museu Salazar".

Isto, porém, só atesta da deterioração galopante -e preocupante - dos nossos antifaxistas de plantão. Uns antifascistas a sério, viçosos e competentes -como aqueles que a malta, aqui há trinta anos atrás, julgava chacinados e esquartejados pela tenebrosa Pide, mas afinal, para nosso espanto, brotaram vivinhos e vorazes de Silva mal o Abril floriu para todos eles - não perderiam tempo nestas melguices folclóricas. Nem um minuto. Faziam ao Museu como fizeram à Ponte: esperavam que os fáxistas gastassem trabalho, energias e tempo a construi-lo e depois, numa noite apenas, todos lampeiros, iam lá e mudavam-lhe o nome. Para Museu 25 de Abril, evidentemente.
O resto - o conteúdo, a função, a finalidade - como tudo, nesta paróquia, é irrelevante. Porque, bem no fundo, o que atormenta estes vígarozitos estridentes e regurgitantos nem sequer é o fascismo, coisa que até ignoram o que seja e nunca viram mais gordo, mas apenas a fachada. A cosmética. A mascarilha com que hão-de besuntar a fronha. E a farpela com que farão (e falarão) de conta, na passerelle mundana do rapa-tacho.
Ou estes antifas da tanga não continuassem agarrados à saia duma autêntica Lili Caneças ideológica. Sim, catrafilados que nem lapas: à saia do estafermo ultra-recauchutado e à teta da situação. Parasitas dos vivos e bolores dos mortos.

12 comentários:

chiça penico disse...

Conheço desde ha largos anos um 2antifaxista"típico:hoje com sessenta e tal anos,nunca fez nada na vida e sempre viveu à custa da mulher,que é funcionária pública,lugar arranjado pelo pc,que é o "clube" do chulo do marido.Isto é um "antifaxista" modelo,profissional das tais manifs..

Manhoso disse...

pois, ja que a nova PIDE foi criada,-e que nao pode ser falada- que diabo, façam-se tambem museus estatuas , eu sei lá ,apregoando a moral do pao e da guilhotina.
-E porque nao? numa nacinha omde tudo vale?!

Flávio disse...

Pelo sim pelo não, vou reservar já o bilhete.

camarada disse...

Estou em crer que o museu em santa comba dão, que como toda a gente sabe é a terra dum cabrão, até venha a desenvolver economicamente a zona, recebendo visitas do PNR, e visitas de estudo de todas as juventudes faxistas da europa.
Já que temos fátima porque não tornar santa comba dão num santuário a salazar( a avenida principal já se chama salazar);alias porque não chamar a terra de salazar, visto que é sempre bom lembrar o que é bom.

TheOldMan disse...

A falta que lá faz o "Centro de Formação Profissional Barbieri Cardoso", ou o "Orfanato Vanzeler para Meninas Desamparadas"...

;-)

dragão disse...

«em santa comba dão, que como toda a gente sabe é a terra dum cabrão».

O Álvaro Cunhal nasceu lá? Bem, nesse caso, em vez dum museu, deviam erigir um Santuário.

zazie disse...

Esse já têm subdividido em várias delegações e com campismo festivo por alturas do equinócio de Outono

zazie disse...

ó Dragaõ, deixo de novo aqui a famosa petição contra o fascismo para o caso destes camaradas quererem colaborar.

É um must que não deve ser esquecido.

camarada disse...

a ideia do santuário é minha...e estava a ironizar com o que os anarcas gritam nas manifestações

Eu axo mt bem que se estimule a economia no centro interior, mas outros paises tb nos estão a imitar:
-em itália vão fazer o museu do mossulini
-na alemanha o do hitler
-na georgia o do stalin
e em mts outros sitios se vao criar museus para os adoradores de tiranos, no iraque não sabem bem a quem, estão indecisos entre o saddam e o bush,já em israel fazem um por cada presidente.
Porque não erguer também um sitio de culto para os nossos faxistazinhos que até são simpáticos,tanto quanto se sabe são uns caniches q ladram, mas apenas morderam a um jovem no bairro alto, e já a mais de 10 anos
Viva o Salazar e tudo o que ele representa(colonilismo, censura, economia monopolista, licensa para usar esqueiro, e claro, a cereja em cima do bolo, policia politica que teimava em prender e torturar tudo o que comentasse a situação politica nacional)

Alexandre Lagoa disse...

E aprender a escrever?

Em Carcassonne, também há o museu da tortura, da Inquisição, e ninguém se chateia muito. Eu pessoalmente não sou muito do S&M, mas gostei de visitar o museu.

O que só mostra que a omnipresença não materializada, esse medo, essa sempre eterna referência mitificada, é mais uma razão para existir do que uma ameaça real. Leia o José Gil, pode ser que ganhe umas noções disto.

Os campos de Auschwittz são dos destinos turísticos mais populares na Alemanha, sabia? Veja as coisas pelo lado rocambolesco da coisa: as pessoas são necrófilas. Alimentem-se, pois, dos cadáveres. Cadáveres ao povo! A mim preocupa-me mais a múmia viva que preside a UE.

zazie disse...

"Veja as coisas pelo lado rocambolesco da coisa: as pessoas são necrófilas. Alimentem-se, pois, dos cadáveres. Cadáveres ao povo"

muito bem dito. A prova disso é que vão em excursão um museu da inquisição ou do hocausto com a mesma descontracção com que levam os filhinhos às exposições de embalsamados chinocas- por uma questão de "conhecimento científico" e para não se dizer que se "perdeu o nº".

Este aspecto é anestesiante e bem mais perigoso no que toca aos embalsamados chinocas que às vítimas de inquisições seculares.

Pelo que, quanto a mim, a única maneira de avacalhar oportunismos de rábulas de vitimização, é mesmo fingindo que as levamos a sério.

E depois, vai-se lá e faz-se a festa- à Monty Python. Porque não existe oportunismo citadino em tom de choro centenário que não se torne um bom pretexto para aliviar os maus-fígados.

Por esse motivo é que tudo o que é sério tem carácter de vigília muito restrita, em espaço próprio, e nunca poderá passar por "evento para educação turística".

Flávio disse...

«Já que temos fátima porque não tornar santa comba dão num santuário a salazar»

lol Mais as barraquinhas de algodão doce e dardos com a efígie da Rosa Luxemburgo.