sexta-feira, novembro 23, 2007

O Auto dos Nepotes

À boleia da Grande Loja, e do caro José, transcrevo uma notícia que devia merecer honras de monumento:

«O ministério da Educação contratou duas vezes o mesmo advogado para fazer o mesmo trabalho.

As considerações, melhor que eu, fá-las o José, com a mestria e o bom português do costume, lá no estaminé Limiano.
Aqui, nesta nefanda espelunca, limitar-me-ei a reproduzir o diálogo imaginário entre as figurinhas (deste presépio à beira-mal desplantado)...


Burrocrata ministerial - Então, já acabou o manualzinho?...
João Pedroso (em tom choroso) - Não, tive uma enxaqueca.
Burrocrata - Tadinho, pobre senhor! tem toda a razão, a culpa é nossa! Era trabalho a mais!...
João Pedroso - Pois era, sofri muito. E o stress? Nem imagina. Até ando a ansiolíticos!..
Burrocrata - Nem sei o que nos deu. Dar-lhe um tarefa destas. Nem um Hércules conseguiria num prazo tão curto.
João Pedroso - Senti-me um Sísifo. Cheguei a ter febre e arrepios.
Burrocrata - Um verdadeiro Cristo, é o que se deve ter sentido. Mas se prometer não nos processar por sevícias e tratamento desumano, vamos ressarci-lo desse horror por que passou.
João Pedroso - Ai vão? Não vejo como. Sou capaz de ter contraído um trauma para o resto da vida.
Burrocrata - Então, deste mal entendido não se fala mais. É uma vergonha para nós, que agradecemos não comente e tente esquecer. Vai receber o pagamento integral, é ponto assente...
João Pedroso - Nem dá para reembolsar o psicanalista, quanto mais a farmácia... 1500 euros por mês não é honorário, é caridade.
Burrocrata - Tranquilize-se. Faremos um novo contrato. 20.000 euros/mês, o que lhe parece?
João Pedroso - Para fazer o mesmo?
Burrocrata - Exactamente, para não fazer manual nenhum!
João Pedroso - Rigorosamente nenhum?
Burrocrata - Acha que consegue?
João Pedroso - Depende do prazo... Agora vou ter que tirar umas férias - o médico receitou-me um período de repouso e outro de convalescença. E repare, fazer manual nenhum já é difícil, agora fazer rigorosamente nenhum implica o recurso a esquipamentos e técnicas da mais alta precisão.
Burrocrata - Tem toda a razão. Sei disso. Como pensa que cheguei a este cargo? Nada de corridas. O prazo é elástico: comece quando quiser. Desde que, claro está, nunca acabe.
João Pedroso - O melhor então será mesmo nem iniciar. Assim nunca corro o risco de, por qualquer descuido inopinado, terminá-lo.
Burrocrata - Nunca lhe pediria tanto. Mas congratulo-me com o seu espírito de sacrifício. Teremos que pensar num bónus.
João Pedroso - E as ajudas de custo?
Burrocrata - A 100%, obviamente. Bem como subsídio de isenção de horário.
João Pedroso - Pois, nem me lembrava desse, veja só como tenho a cabeça exusta!... Vou fazer rigorosamente nenhum dia e noite.
Burrocrata - Ah, meu pobre doutor: nem imagina como me custa submetê-lo a uma lufa-ufa destas!...

3 comentários:

picha fria disse...

O mano enrabador tambem papava criancinhas aos pares

Anónimo disse...

Andam a refilar?Só gastam o vosso latim! E ainda por cima vamos desagravar o coitado do Dr com a sua nomeação para um grupo de trabalho de "como não fazer nenhum de dia e noite" e "ser pago acima da tabela"

Burrocrata

Outro disse...

Eles não se cansam?
Dói-me muito o cú, de tanto ser enrabado.