quinta-feira, outubro 19, 2006

Lójica au jumentine

...


Juízo de valor:
Fulano é cretino.

Juízo de facto:
A cretinice sequestrou Fulano.

Conclusão: O calcanhar de Aquiles de qualquer putativa objectividade é a linguagem.
Solução: (Wittgenstein e o Zé Povinho corroboram-se) caladinho é uma virtude. Em matraca fechada, não entra mosca nem sai asneira.

Juízo de Dragão: a mãe de Fulano, além da boca, devia ter fechado as pernas. Não entravam germes, nem brotavam asnos.

5 comentários:

Acoral disse...

Eheh, e eu até sei para quem é a boca, veio tarde, mas veio a tempo, pelo menos à tempos houve uma discussão do género. É muito bem enfiada, gosto do último juízo!!!!

josé disse...

Juízo de Direito:

O sequestro dos factos

Anónimo disse...

Isto não tem nada que ver com as caralhadas e os fodasssss e puta que os pariu, da blogosfera, pois não?

dragão disse...

Não.
Que questão melindrosa vem a ser essa?
O assunto é suculento, mas não estou a par. Alguma nova questão fracturante?...

Anónimo disse...

Dragão,(copiado do sexo anjos)
Os Confrades Jansenista e de Combustões levantaram recentemente a questão do “palavrão” e do correntio uso da obscenidade que afecta a blogosfera, com um efeito que chamaríamos de cloaquismo crescente, impúdico e injustificado. Faz parte da mediocratização das gentes e do abaixamento cultural, manifesto sobretudo na perda da noção do equilíbrio e da subtil utilização da obscenidade na linguagem e na literatura.

Aguardemos...o Dragão!!