domingo, julho 01, 2007

NO PRELO! - O Dicionário Shelltox Concise do Dragão.

Está quase aí a rebentar o Dicionário Shelltox Concise do Dragão.

Para já, e antes de mais confidências, recordemos a penúltima letra a ser publicada neste abominável blogue...

C (factor~) – catalizador curricular; gazua; “abre-te Sézamo” das carreiras; calçadeira para a promoção; trampolim profissional
CABALA, s.f., interpretação alegórica, com laivos ocultistas, do Antigo Testamento, do Código Civil, Penal e da Constituição da República
CABALISTA, adj., pessoa dada às práticas da cabala; funcionário judicial
CABARÉ s.m., lugar ou estabelecimento onde se servem bebidas e se dança; ministério; embaixada ou consulado português
CABECILHA s.m., chefe de um bando; líder partidário; chefe de facção; Presidente do Conselho de Administração; pastor evangélico
CABELO s.m., ideário; convicção ideológica
CABELEIRA s.f., conjunto de ideias num deputado; trunfa
CABISBAIXO adj., português
CABOTINO s.m., cómico ambulante; actor reles; político em campanha
CACETE s.m., argumento
CACETEIRO s.m., retórico
CACIQUE s.m., chefe indígena de retórica contundente; autarca; presidente de governo regional
CACOFAGIA s.f., predilecção pelos alimentos repugnantes; adepto da fast-food; regime alimentar americano muito apelativo para crianças e adolescentes, bem como extremamente cómodo para a acídia apostólica dos pais
CACÓFAGO adj. adolescente ou teenager; gigolo especializado em jet-set
CACOSTOMIA s.f., halitose; político em genuflexão presepial, bafejando o Zé Povinho nas palhas deitado
CADAFALSO s.m., patíbulo; primeira página; ecrã; telejornal
CADASTRO s.m., registo criminal; currículo dum gestor público ou autarca; cartilha ou folha de serviços do “jota”
CADAVÉRICO adj., lívido; citadino
CÁFILA s.f., conjunto ou caravana de bem-pensantes
CAFRE s.m., condutor da cáfila
CÁFTEN s.m., empresário de prostíbulo; intermediário de multinacional que geralmente agencia e avença governantas de países
CAGA-MILHÕES s.m., novo-rico; pato bravo
CAGANIFRATE s.m., ver bonifrate;
CÃIBRA s.f., forte contracção espasmódica e dolorosa de certos músculos cerebrais, também conhecida por breca, que resulta geralmente em convicção dogmática, mas estapafúrdia
CALDEIRÃO s.m., camarote ou frisa no Além
CALIBRE s.m., diâmetro interior das bocas de fogo e da embocadura vaginal de certos coirões ou senhoras ditas finas mas, em boa verdade, grosseiros calhamaços
CALIPEDIA s.f., arte rara de engendrar filhos formosos
CACOPEDIA s.f., política de estado actual, que consiste em engendrar e criar grandes abortos
CALOIRO s.m., vítima; capacho; parvalhão todo contente e vaidoso de se ver achincalhado; féretro radiante; larva
CALVÁRIO s.m., suplício; vida adulta segundo as sociedades altamente industrializadas
CALVINISMO s.m., cristofobia; doutrina descabelada de Calvino, magarefe francês (1509-1564) que dotou o capitalismo duma “religião”, também conhecida como redenção pela riqueza; segundo ele, a Graça Divina, afinal, é uma Gratificação e mede-se em “dnheiro vivo”: quanto mais rico, o crente, mais gratificado e predilecto de Deus
CAMAFEU s.m., galináceo do jet-set; velha gaiteira; coirão com alardes
CAMISA-DE-FORÇAS s.f., traje de cerimónia
CAMISA-DE-VÉNUS s.f., fato macaco
CANCRO s.m., elite social; corte
CANGALHEIRO s.m., gestor público; ministro neoliberal
CANGAR v.tr., empregar; recrutar; jungir
CANHÃO s.m., boca-de-fogo, fixa ou móvel, de elevado calibre, destinada a projectar granadas, teses e argumentos, com base na força expansiva dos explosivos
CANIBAL s.m., selvagem antropófago; neoliberal
CANIBALISMO s.m., nova forma de liberalismo que concede ao Estado intervenção muito reduzida nos assuntos económicos, e liberdade absoluta às empresas para emigrarem - e se recrearem- para países onde pessoas, de todas as idades, possam desempenhar tarefas e receber salários em tudo semelhantes aos insectos; predação intraespecífica com intuitos alambazantes e açambarcadores
CANIL s.m., jornal; canal televisivo
CÂNONE s.m., decisão de congresso sobre matéria de fé ou disciplina partidária
CAOS s.m., estado confuso dos espectadores antes da intervenção dum analista
CARACOL s.m., molusco gastrópode vagaroso, pulmonado, nocivo, em muitos casos oriundo do Alentejo, que tem por hábito tomar de assalto as crucíferas e os quadros baixos e médios da administração pública
CÁRCERE s.m., casa hipotecada
CARCINOMA s.m., variedade de político
CARDÁPIO s.m., boletim de voto
CARDIOPUNCTURA s.f., picada no coração de certos animais, com fins experimentais; engate; namoro
CARÍBDIS (entre Cila e ~) s.f., mesmo que entre a espada e a parede; entre o PS e o PSD; fatalidade democrática
CARISMA s.m., conta bancária; sinal exterior de riqueza; dinheiro; ver também “charme”
CARISMÁTICO adj., que tem carisma, isto é, que tem dinheiro
CARNAGEM s.f., morticínio; hecatombe; África
CARONTE s.m., armador grego; organizador de cruzeiros mediterrâneos; agência de viagens póstumas
CARRASCO s.m., despachante oficial; curador público; aviador de presuntos; congelador; tira-nódoas
CARRO s.m., prótese ontológica; amplificador da essência social; agilizador de engate; desbloqueador de castidades
CARROCEIRO s.m., condutor do carro
CARTESIANISMO s.m., escolástica recauchutada
CASAL s.m., joint-venture – que designa empreendimento conjunto de duas pessoas com vista à exploração de um ou mais ramos comerciais que, embora susceptível de risco, se admite venha a ser do interesse mútuo
CASAMENTO s.m., pretexto para divórcio
CASAR v.tr. contratar; convidar dadores de prendas para boda
CASSETE s.f., ideologia
CASTA s.f. grupo de pavões
CATACLISMO s.m., novo governo eleito; pretexto para filmes e concertos beneméritos, onde superstars e megabiltres se auto-promovem pela enésima vez e ad nauseam, a título de caridade internacional
CATÁFORA s.f., letargia entrecortada por períodos de semi-consciência; presidência da república
CATALEPSIA s.f., perturbação psicomotriz caracterizada por mobilidade e inércia da mente, com tendência para manter as atitudes que lhe imprimem; bancada parlamentar
CATAPULTA s.f., engenho de arremesso de palavrões e ordinarices; trolha; camionista, automobilista
CATÁSTROFE s.f., programa de governo; plano de reformas; estudo científico
CATEDRAL s.f., igreja principal de uma diocese; local de culto religioso; estádio de futebol
CATIVEIRO s.m., estado ou tempo daquele que contrai empréstimo ao banco; escravidão
CATIVO adj., prisioneiro do banco; seduzido; sujeito à escravidão
CATÓLICO adj., crente em Sua Santidade, o Papa, e na respectiva carta de procuração exclusiva passada por Deus Nosso senhor
CAVALO-MARINHO s.m. auxiliar de governação indispensável em certos países
CAVAQUEIRA s.f., conversa amena e prolongada; discussão parlamentar
CAVILAR v.intr., planear enganos; reunir em congresso
CEMITÉRIO s.m., estabelecimento de ensino superior
CENSURA s.f., selecção arbitrária; em democracia: critério editorial
CERA s.f., aquilo que grande parte dos funcionários públicos fabrica nas suas colmeias
CERBERO s.m., cão tricéfalo que, segundo a mitologia grega, guarda a porta dos Infernos; porteiro de discoteca
CÉREBRO s.m., órgão situado na parte anterior e superior do encéfalo, que é sede das funções psíquicas excepto a inteligência e o pensamento autónomo ou um pouco mais elaborado; centro intelectual donde emanam as desordens e distúrbios crónicos ao ser humano
CEREBROPATA s.2 gén. pessoa que sofre de cerebropatia; neurasténico; homem moderno
CERNELHA s.f., forma de abordagem recomendável para certos políticos recalcitrantes ou viciados no poder
CESSAR-FOGO s.m., pausa acordada entre ambos os beligerantes para recarregar as armas e renovar as tropas
CÉU s.m., promessa eleitoral
CHACAL s.m., mamífero carnívoro, voraz, selvagem (da família dos mirones, semelhante ao homem), que experimenta grande volúpia diante de desastres sangrentos e mortíferos; jornalista; condutor automóvel (em Portugal)
CHACINA s.f., acto de civilizar; converter; educar; democratizar; espécie de higiene social; descompressão étnica; expediente demográfco
CHAFURDAR v.intr., ensaiar um cunnilingus ávido e alabregado; investigar a vida alheia; recordar misérias
CHALAÇA s.f., pilhéria; comunicação ao país
CHALADO adj., aquele que profere a chalaça
CHALRAR v.intr. falar muita gente ao mesmo tempo; falar à toa; gralhar em bando; discutir no parlamento
CHAMPÔ s.m., noticiário
CHARCUTARIA s.f., estabelecimento onde se vendem essencialmente preparados de carne de porco, suados ou fumados; health-club; ginásio
CHARLATÃO s.m., indivíduo que vende drogas nas praças públicas, exagerando-lhes as qualidades; publicitário; candidato em campanha
CHARME s.m., o mesmo que carisma
CHARRUA s.f., pénis de homem vigoroso
CHATO s.m., espécie de piolho púbico ou público que outrora infestava a região púbica causando prurido, mas que agora prefere os canais televisivos causando náusea
CHAUVINISMO s.m., instinto básico de auto-conservação e defesa; num país grande e poderoso: orgulho nacional; num país pequeno e dependente: fanatismo ou exagero patriótico
CHAVE-INGLESA s.f., utensílio que serve para desbloquear engarrafamentos, desligar buzinas ou explicar o código da estrada a teimosos impertinentes; ver também Chave-de-rodas
CHEFE s.2gén, indivíduo que tem sempre razão e que convém sabujar
CHEFIA s.f., acto de ter sempre razão e ser continuamente engraxado
CHICANA s.f., contestação capciosa; discussão entre democratas rivais ou concorrentes
CHINFRIM s.m., banzé; escândalo; debate pré-eleitoral
CHIQUE s.m., alarde petulante ou aleive afectado daquele que vive em chiqueiro
CHIQUEIRO s.m., curral de porcos muito vaidosos e ufanos; pocilga bizarramente decorada; vivenda de novo-rico ou escravo de banco com pretensões ou em trânsito para novo-rico
CHOCALHO s.m., espécie de campainha que se dependura de certos animais para denunciar a sua presença; telemóvel
CHOLDRA s.f, comício; jantar partidário com mais de 50 pessoas; agrupamento reunido para escutar arenga e receber comenda; conjunto de pessoas que se reúnem para celebrar uma determinada data que calha ser feriado
CHORAMINGAS s.2 gén., fadista; sindicalista; membro da oposição
CHORRILHO s.m., cópula agreste e ininterrupta de algo ou alguém sobre a mentalidade pública (pode ser política, literária e musical)
CHOURIÇO s.m., recém-nascido, no conceito moderno-científico
CHUCHA s.f., mama; chupeta; desfrute; mangação
CHUCHADEIRA s.f., política
CHUPA-CHUPA s.m., entretém para fedelhos com aspirações; secretaria de estado
CHUPETA s.f., enganadeira (para crianças); comissão parlamentar (também para imberbes)
CIBERESPAÇO s.m., pornosfera
CICERONE s.m., xenofilo
CICLISMO s.m., fornicação compulsiva; cópula ao sprint
CICLOMOTOR s.m., amante com automóvel
CICLONE s.m., revitalizador da construção civil
CÍCLOPE s.m., gigante fabuloso com um só olho na testa, donde se depreende que tinha cara de cu
CICLOTURISMO s.m., cópula agrária, bucólica e itinerante; sexo rural
CICUTA s.f., bebida típica dos filósofos
CICUTISMO s.m., embriaguez socrática
CIDADE s.f., conglomerado heteróclito e mais ou menos babélico de traumas, frustrações, taras, paranóias, fobias, lobotomias, e outras aberrações ou desarranjos mentais
CIDADE-DORMITÓRIO s.f., cemitério; necrópole; subúrbio
CIÊNCIA s.f., conhecimento certo e racional sobre mundos imaginários; investigação metódica das leis e fenómenos que podem ser subsidiados, comercializados e lucrativos; sofisma passageiro bem sucedido; cegueira deslumbrante; contubérnia da tecnologia
CIENTÍFICO adj., relativo à ciência; sem princípio nem fim; referente a um fragmento catalogado do acaso
CIENTISTA s. 2 gén. mercenário erudito e asséptico que não utiliza armas: apenas as inventa e desenvolve
CIGANO adj., economista
CILADA s.f., emboscada preparada para acometer ou atrair alguém; comício
CILHA s.f., livro de cheques
CILINDRADA s.f., coeficiente de inteligência medido a partir duma loura, dum adolescente ou dum pato-bravo (passe a redundância)
CIMENTO s.m., massa encefálica de certos regimes
CINANTROPIA s.f., estado patológico em que o doente se julga cão e procura agir em conformidade:; doença endémica a políticos, jornalistas, meliantes e diversas outras espécies de gangsters
CINEFILIA s.., perversão sexual que se traduz numa variante compulsiva de voyeurismo
CINEMA s.m., (na América) arte de assassinar bons livros e de vender maus; indústria sofisticada de fazer embasbacar as pessoas; estupefaciente autorizado; propaganda camuflada
CIO s.m., manifestação de apetite sexual, mais ou menos alarve, nos e nas adolescentes
CISMA s.m., confronto épico à volta duma ninharia ou frivolidades
CIVILIZAÇÃO s.f., conjunto de morticínios, rapinas e depredações (intra e exra-específicas), organizadas com determinados propósitos e para cumulação de determinados benefícios
CLANDESTINO adj. escravo contemporâneo de importação
CLAQUE s.f., grupo excursionista de vândalos
CLIENTE s. 2 gén., partidário
CLIENTELISMO s.m., regime democrático (em Portugal)
CLISTER s.m., reality-show; política de austeridade
CLOACA s.f., cavidade terminal do intestino, em certos animais, artistas e figuras públicas, onde se abrem simultaneamente os ductos defecante e genital
CLUBE s.m., sociedade recreativa ou de alta recreação (neste caso, também partido)
COACÇÃO s.f., acto de informar nas sociedades modernas e liberais
COALESCÊNCIA s.f., vida partidária
COBAIA s.f., aluno; consumidor; paciente; contribuinte
COERÊNCIA s.f., crime de índole política ou ética;
CÓIO s.m., lugar onde se ocultam malfeitores; valhacouto; alfurja; sociedade secreta
COLECTA s.f. esbulho de otários
COLECTÁVEL adj. 2 gén., não inscrito em nenhum clã, família ou seita registada no Regime Geral de Isenções Vitalícias
COLETE-DE-FORÇAS s.m., fraque para reveillon
COLGADO adj. pendente; enforcado; o “povo português” por antonomásia
COMEDOURO s.m., lugar ou vaso em que se dá comida aos animais e pequenos tachos aos políticos juniores ou aos famiiares
COMÉRCIO s.m., a liberdade, segundo os liberais; ídolo sanguinário e insaciável que reclama diariamente vítimas humanas
COMETA s.m., deputado cabeludo dado a órbitas excêntricas
COMÍCIO s.m., reunião de famintos para discussão de cardápios; cilada
COMITÉ s.m., sínodo, banquete
COMPRAR v.tr. aliviar-se; celebrar a eucaristia liberal; sacrificar ao Comércio
COMPULSÃO s.f., forma predominante de pensamento
COMPUTADOR s.m., aparelho electrónico desviante que serve essencialmente para divulgar pornografia
COMTISTA adj., relativo a Augusto Comte, mentecapto francês, 1798-1857, autor dum anedotário famoso
COMUNISMO s.m., regime político, económico e religioso caracterizado pela comunhão do trabalho pela maioria esmagada das pessoas e das mordomias e luxúrias por uma minoria esmagadora de indivíduos
CONCEPÇÃO s.f., descuido; azar; contrariedade; motivo para remoques
CONCERTO s.m., reunião de surdos broncos a pretexto de escutarem música, mas com o propósito efectivo de desfilarem indumentárias e penteados; (em caso de música pop) acrescentar ganzas
CONCORRÊNCIA s.f., sacanagem
CONCRETO adj. que existe na imaginação a título de realidade; singular
CONCUBINATO s.m., coligação partidária
CONDÓMINIO s.m., presídio discreto
CONFEITARIA s.f., editora literária
CONFESSIONÁRIO s.m., consultório psiquiátrico
CONJÚGE s.2 gén., sócio
CONSEQUÊNCIA s.f., algo que nunca existe; em política: aquilo que nunca vem depois do acto
CONSTITUCIONALISMO s.m., doutrina que os ingleses encontraram para se governar tornando os outros países ingovernáveis
CONSTITUIÇÃO s.f., conjunto de fábulas jurídicas, óptimas para adormecer crianças
CONTÁGIO s.m., transmissão de conhecimentos, crenças ou teorias por contacto mediato ou imediato; transmissão de vícios no pensamento e no raciocínio; corrupção intelectual; ensino
CONTORCIONISMO s.m., exibição de contorções e revoluteios; governo
COPROFAGIA s.f., ingestão de excrementos; visionamento compulsivo de certos programas televisivos (telenovelas, reality-hows, telejornais, entretenimento matinal, etc)
COREOGRAFIA s.f., audiência em tribunal; parada militar
CORROMPER v.tr., gratificar
CORRUPÇÃO s.f., exercício dos diversos tipos de poder; esmola liberal
COSMÉTICA s.f., pensamento contemporâneo; alternância democrática; pluralismo
CRENÇA s.f., opinião
CRETINO adj. e s.m., indivíduo ou designativo de indivíduo dotado de absoluta incapacidade mental, estética, política, ética, tudo excepto um vociferar ininterrupto de opiniões e estados de alma acerca de notícias, denúncias e outras atoardas
CRIME s.m., pobreza; falta de perícia na execução de sacanice ou malfeitoria; mau planeamento; azar
CRIMINALISTA s.2gén., parasita; indivíduo seboso que aparece na televisão; escrevinhador monopolista de telenovelas
CRIMINOSO adj. e s.m., desastrado; azarento; aquele que se deixa apanhar; pequeno delinquente; pilha-galinhas; rouba-carcaças; pessoa que comete atrocidades, pilhagens ou homicídios a título individual
CRIPTOCEFALIA s.f., monstruosidade caracterizada pela ausência de cabeça ou pela apresentação de cabeça mais ou menos oculta; ver também “delgadismo”, “helenamatismo” e congéneres
CROMOSSOMA s.m., entidade fabulosa da ordem dos gnomos, mas bastante mais pequena, não lobrigável à vista desarmada
CRUCIFICAÇÃO s.f., grande reportagem; guerra de audiências
CUBISMO s.m., borrão imperscrutável mas valiosíssimo
CULTURA s.f., presunção
CURRÍCULO s.m., requisito formal irrelevante, quando não catalizado; objecto de contemplacão mórbida e perplexidade crónica para desempregado; fetiche; regra geral, é inversamente proporcional competência


Nota: Trata-se duma reposição, pelo que os cinco primeiros comentários são referentes a Janeiro de 2005, aquando da primeira postagem.

9 comentários:

Afonso Henriques disse...

Caro Dragão,
Excelente, como era de prever!
Lembrei-me de repente de uma palavra para a lista anterior:
BIDOM, adj., pessoa com dupla ascendência aristotrática.

Night time disse...

Hummm... e Carrasco caro dragão? Estou curioso...

MP disse...

Como sempre, excelente! :)
Faça o favor de considerar, seriamente, a publicação.

Anónimo disse...

Caro Wannabe,
A sua curiosidade será satisfeita. Agradeço-lhe a lembrança. Não sei como pude deixar escapar tão inefável substantivo.

Cara Margarida,
Benévola e simpática como sempre!...:O)
Vamos lá a ver se consigo chegar ao Z, e depois logo vemos....(Cada letra que passa, a coisa fica mais difícil).

MP disse...

:)
Um Dragão nunca se fica!
O caminho até à letra Z, será feito com diligência e tempo; sem pressas! Mas, com a certeza de uma tarefa cumprida!
Os Dragões alimentam-se de temeridade!
Boa empreitada :)

A.H. disse...

Lool!!
Eu tb vou tentar:

Cromo - idiota; espécime único de colecção.

Caridade - descargo de consciência pesada; dar migalhas para os ver lamber o chão; vício de fazer o bem

Chuto - pontapé; (sala de .) enfermaria de graça e com todas as comodidades mas sem enfermeiros, centros de saúde modernos

Carraça - comichão de cão, vendedor, político em campanha

Canudo - engano; (ver por um .) já era; habilitação literária para concorrer ao subsídio de desemprego

Cobra - animal esguio e rastejante; sogra; sra. de sociedade; jornalista; sra. dedicada à política

Cravo - flôr de cano e lapela; (verbo) tomar algo emprestadado; o contrário de ferradura; instrumento
musical

Cova - buraco; território de ex-colónia; habitação social temporária

Crédito - pão; empréstimo mal pago; caridade feita por instituições de beneficiência

Cavalo - animal quadrúpede com crina; pessoa muito amável; relinchante; medicamento moderno

Cama - Local de actividades noturnas

Tortor disse...

Um pequeno contributo, já a pensar nas letras D e J:
Desembargador - um juiz que não morreu entretanto.
Jornalista - alguém que só preterintencionalmente contribui para o bom funcionamento da democracia.

Flávio Gonçalves disse...

Já disponível a Wikipedia nacionalista:

http://pt.metapedia.org

Anónimo disse...

Cardenal Richelieu......."Papa dos Calvinistas" ?