quarta-feira, julho 18, 2007

O Metavoyeurismo


(imagem fanada aqui)

Alertou-me a Zazie para mais uma ratice da minha amiga f.
Sempre na brecha, a f, não me canso de repetir. Agora, descobriu uma velhinha de 82 anos que, do alto da sua vasta experiência de vida, menoscabou valentemente o sexo na versão extra-missionária. A senhora, imagine-se, duvida mesmo das virtudes civilizacionais do felatio e da sodomia. Nestes tempos modernos, isso é arranjar sarilhos. E é também fazer vista grossa à história da humanidade, Idade Média incluída (onde a sodomia conjugal foi efectivamente um método contraceptivo). Os mediavais eram infinitamente menos moralões do que a burguesia moderna. E, à sucapa, rir-se-iam da respeitável senhora. Se descessemos à Antiguidade, então, seria galhofa pegada. Dir-me-ão "bem, daqui a nada estamos nos chimpanzés"; sim, mas isso não fica para trás, tudo indica ficar é mais adiante. E marchamos em bom ritmo. Mas vamos às minudências...
Não me desiludiu, a f. Nunca desilude. Na segunda-feira de rescaldo a mais uma "vitória histórica" da sua tribo, em vez de nos vir falar dos velhinhos arrebanhados pelo PS por essa província afora, veio denunciar-nos uma anciã de gostos bizarros e peregrinações aberrantes. Compreende-se; com uma vetusta destas, a malta já nem pensa mais nos outros. Não pensa nem fala. F também é de frete. Ou de fita.
Por outro lado, entende-se a atracção fatal de f por Patrícia, a idosa extra-terrestre. Entende-se mesmo na perfeição. f, mais que uma semelhante, encontrou um espelho mágico: que lhe desvela, sem qualquer máscara ou maquilhagem, como será daqui a quarenta ou cinquenta anos (fora algum imponderável nefasto, Deus a guarde e o Santo Padre por ela interceda).
Resta acrescentar que a senhora dona Patrícia tem todo o direito a não apreciar sexo oral e anal. Imagino até como o anillingus, que é uma joint-venture de ambos, deve aborrecê-la. Gostos não se discutem. Mas não se pense mal, sobretudo não se pense que a senhora é uma anacrónica obsoleta e bota-de-elástico. Isso sou eu e ela não é nada parecida comigo. Não, desenganem-se; estamos até diante duma perpétua jovem, surfadora desembaraçada numa poça de sempre-viçosa modernidade; uma - acreditem que eu nunca minto!- neófita garrida duma perspectiva avançada do deboche: enfada-a o sexo anal e oral entre pessoas porque a excita sobretudo o sexo anal e oral -e, quiçá, até manual - entre países. É este requinte de perversão que a maralha não compreende. O metavoyeur, quando alcança o nível do país, desinteressa-se dos indivíduos. E a Patrícia está farta de explicar: o sexo anal é mau, faz mal à saúde, excepto quando praticado activamente pelos países anglo-saxónicos e passivamente por todo o restante planeta; tanto quanto o sexo oral é péssimo, excepto quando exercido, sofregamente, por todos os países ao semper-erectus Estado de Israel. Especialmente na versão anilingular. As leis rigorosas gozam sempre de excepções meticulosas. E providenciais.
Vós todos, ó charilas, ainda tendes muito que aprender com a Patrícia. (A quem aproveito para daqui enviar as minhas cordiais saudações).


PS: Proponho que façamos uma entrevista colectiva, sobre estes protuberantes temas, ao Engenheiro Ildefonso Caguinchas -única entidade viva capaz de dilucidar acima de qualquer suspeita todos estes enigmas sexuais que nos assombram. Depois do estágio para o Salão Erótico de Lisboa, está agora em rescaldo (e caldo de galinha) a tentar recuperar, aos poucos, a consciência, a memória e a demografia testicular. Mal se restabeleça, acredito que produzirá o aguardado relatório e responderá, com clarinanimidade, aos nossos inquéritos ou preces. Fica aberta a caixa de comentários a quem queira participar - e eu até estimava que o fizessem. Até porque não gostaria, mais tarde, de ser acusado de açambarcar o oráculo.

9 comentários:

FPM disse...

Exactamente. E vai na volta a F. o que sente é um certo recalcamento, por motivo de não ver correspondido o sentimento mais belo, o amor que gostaria de sentir da parte de Patrícia...

gauleiter de chelas disse...

Helas!

É claro que a «azia» teria de vir por causa do «semper-erectus».
E dos «Filisteus», claro.

Os fetiches são assim mesmo :o)

Anónimo disse...

Oh Dragão, não vale!!
Há 10m que estou e continuo a rir :))

Lusgon disse...

As duas senhoras deliram com a sua própria inteligência, as duas me irritam com essa sua estupidez.

zazie disse...

"O metavoyeur, quando alcança o nível do país, desinteressa-se dos indivíduos"

ahahahaha

a voz disse...

«o aguardado relatório»

Ele que venha, Ele que venha!!!!!!!!!!

MP-S disse...

"O metavoyeur, quando alcança o nível do país, desinteressa-se dos indivíduos."

O' Dragao, bem visto!, foste o unico a conseguir retirar uma maxima verdadeiramente esclarecedora daquela salada de disparates.

A.H. disse...

E o leiteiro da zona J (de chelas) que não respingasse! Até parece que é mentira o que Dr. aqui diz.

5 dias 2 vacas. Os outros 3 não conheço, mas para por lá andarem devem ser umas ricas "figuras" devem.

Só mesmo uma aberração como a Nhanha Macacâncio para nos vir brindar com uma coisa destas. Porra, já nem os velhos escapam. Agora têm de andar todos, ou rotos (quando não usam o tampão) ou com o sabor a peixe ou merda na boca!
Livra!!

Da-ssse e que tal se ela fosse mas é trincar cavilhas a granadas?

zazie disse...

Os outros são piores. Esse é que é o grande pavor. Há por lá um, o Figueira, que é o maior grunho que já apareceu por estas bandas. Provoca efeitos olfativos de chulé à distância