quarta-feira, julho 04, 2007

Abaixo a reacção!

«... o Ministério Público convocou alguns jornalistas - dos muitos que estiveram no local a fazer a cobertura do Conselho de Ministros informal que naquele sábado se realizou na cidade berço - para tentar obter mais fotos, declarações ou outro material que pudesse conduzir à identificação de manifestantes.»


O país é extremamente tolerante para emigrantes ilegais, para traficantes ilegais, para abortadeiros ilegais, incendiários ilegais, construtores ilegais e outros que tais. Para manifestantes é que não. Isso agora, ajuntamentos e arraiais desses, desabafos corais em público, só com a devida autorização e o beneplácito das autoridades.
A democracia tem que defender-se, ora essa. Desses arruaceiros faxistas sempre prontos a atentarem contra o normal funcionamento das instituições.
Por outro lado, o Conselho de Ministros que naquele dia se realizava, como especifica a notícia, era informal. Já a manifestação não podia sê-lo. Inadmissível, chocante, superlativamente melindrante aos olhos ultra-sensíveis de Sua Excelência, terá sido, de certeza, que os manifestantes, no mínimo, não tivessem comparecido em "traje de cerimónia"- eventualmente de "ir à ópera".
Imagina-se até o pungente diálogo que não há-de ter culminado a desagradável peripécia:
-"Difamaram-no muito, os ingratos, Excelência? Menoscabaram-lhe a digníssima mãezinha, foi, os atrevidos!?..."
-"Qual difamaram nada, ó coiso!... Ofendem-me lá palavrões e vitupérios!... Ofensivo e super insolente foi o modo com se apresentaram diante de mim: você reparou que mal vestidos? Irra, a maioria nem uma gravata se dignou jungir para vir falar ao Primeiro-Ministro da nação!... E o cheiro? Mas nem uma porcaria dum desodorisante decente esta gente usa? Reparou decerto no pivete... Mais parecia que planeavam intoxicar-me."
-"São estes pedintes modernos, excelência. Estão cada vez mais arrogantes e malcriados. Antigamente, prostravam-se e suplicavam; agora, partem logo para o insulto, a ameaça e a exigência descabelada. Em menos de nada, barricam-se e fazem reféns!..."

3 comentários:

A.H. disse...

É o 25 de abril, a "democracia", a liberdade, a liberdade, a liberdade, ... , de reprimir o estúpido do povo que continua e sempre a votar neles para que a "mama" do crédito bancário não acabe nunca. Ora só os tolos é que não sabem que nada dura para sempre!

Veja-se agora as eleições para lisboa, arranjam-se uns independentes que se fingem amuados e "contra" os seus partidos para voltar a enganar os estúpidos!:
Helena Brocheta
Mona-lisa Rodrigues

Depois há outros "independentes" que passam a vida a aliciar os restantes idiotas e a gente de esquerda "fina" (com e sem piolhos), com visitas a instituições parasitárias que sugam o erário camarário. Alguém viu este cab#%& a dizer alguma coisa sobre a miséria em que vive a terceira idade?:

O Joséfa Fernandes

E esta besta tem o apoio do arquitreta Ribeiro Telles e de toda a esquerda caviar.

Então e aqueles que são mandatários de uns e dizem que vão votar noutros!!? Lindo!!

...

Corrupção, "liberdade" e "democracia" sempre!!!

kommando disse...

O país é extremamente tolerante para emigrantes ilegais, para traficantes ilegais, para abortadeiros ilegais, incendiários ilegais, construtores ilegais e outros que tais. Para manifestantes é que não.

É o pavor de que um hora dessas o povo tom gosto pela coisa e uma manifestação acaba terminando em revolução. Na França já teve uma. ;O)

kommando disse...

O país é extremamente tolerante para emigrantes ilegais, para traficantes ilegais, para abortadeiros ilegais, incendiários ilegais, construtores ilegais e outros que tais. Para manifestantes é que não.

É o pavor de que um hora dessas o povo tome gosto pela coisa e uma manifestação acaba terminando em revolução. Na França já teve uma. ;O)