segunda-feira, novembro 07, 2005

Monólogo de um Velho

Estou irritado. Estou desempregado há quatro anos, ninguém me dá trabalho só porque tenho mais de quarenta anos, tive que vender a vivenda, o carro, vivo de biscates –entenda-se, faço traduções para gajos que me pagam uma bagatela, assinam depois e embolsam louros e pecúlios -, vivo no limiar da penúria, a mulher só não me deixou porque é uma desgraçada tão estúpida como eu, não vou ao cinema, não janto fora, ando mal vestido, não desbundo noite adentro, não sou cool, nem jovem, nem gay, nem preto, nem árabe, nem judeu, nem maçon, nem beato, nem a puta que me pariu. Sou uma merda dum português, pobre, honesto, estúpido e estou farto. Sinceramente, que descriminem pretos, árabes ou o caralho que os foda, não faltam madres teresas a acudir em pranto, lavadas em lágrimas; turistas da caridadezinha sempre prontos a tocar pívias à consciência por alma do alheio distante. Mas que me fodam a mim, não há estafermo nenhum que realmente se preocupe. Tenho fome, estou fodido. Vou só ali queimar uns carros e já volto.
Parece que é assim que funciona.

9 comentários:

Afonso Henriques disse...

Já uma vez tive que aqui vir ao teu tugúrio zurzir-te os lombos com imprecações e esconjúrios.

"(...)ninguém me dá trabalho só porque tenho mais de quarenta anos(...)"

Escreve Dragão. Escreve, caralho!

E, sobretudo, não deites tudo a perder numa má hora qualquer, inspirada numa qualquer noite de putedo com Caguinchas e Cia., regada com trotil de Sacavém. Guarda o que escreves e um dia,ou uma noite, sem te dares conta disso, tens uma puta de uma obra feita.
Foda-se!

zazie disse...

loooooollll ":O)))))

este Dragão é louco ahahahaha

Anónimo disse...

No limiar da realidade.
Pois é, aos quarenta já nos consideram velhos e, se não tivermos uma qualquer diferença, ninguém nos liga nenhuma. De resto, ninguém se importa com os mais idosos. Arrecadam-nos nuns asilos tipo lares ou, melhor, casas de repouso e que fiquem aí sem chatear muito; e estes são, mesmo assim os velhos com sorte; dos outros nem se fala...
Lamento discordar, em parte, do Afonso HenriquesSr. De facto, o Dragão escreve melhor do que a maioria dos que são editados. Tem um pequeno problema: não é politicamente correcto e parece-me ter um segundo problema: não se vende a esta merda de gentalha.
É por isto que, diariamente, continuamos a ler o Dragoscópio e que o Dragão se encontra um bocado atrapalhado. Neste país, a miséria é o preço da excelência !...

Anónimo disse...

anime-se, caro tradutor-biscateiro! dado que, actualmente,a esperança de vida já ronda os 80 anos, pode ser que tenha a sorte de prolongar essa vida sem esperança por mais uns 30 e tal, ou mesmo 40! ponha os olhos na vidinha invejável dos idosos deste país, seja sensato e não se exalte: esmoleje no metro, junte os trocos para comprar antibiótico eficaz contra essa irritação que o domina e já agora, se o dito fizer efeito, passe palavra. e se por acaso me souber indicar remédio realmente eficaz no tratamento da Grande Náusea, eu ficar-lhe-ia muito grata.

morggie

Flávio disse...

eh eh eh Também a mim, Dragão, também a mim. E eu ainda vou nos 20 aninhos!

Anónimo disse...

Um guião para (finalmente) um bom filme português. Podia ser a minha vida. O primeiro carro a incendiar seria o meu, que já tem 15 anos.
Interregno (JSM)

r disse...

Querendo, tem esse "Velho", seja ele ficcionado ou real, companhia na "lide ígnea", que de "misérias" semelhantes está esta cabeça farta. Um abraço, caro Dragão.

ch'an disse...

não penses nisso.

ringthane disse...

Foda-se e eu a levar com 12 putos por dia e a tentar explicar aos gajos que, se por um lado "eles fizeram buraco ardeu três casas" não é uma frase coerente, também um projéctil não cai para cima porque o centro da Terra se encontra no sentido oposto?