domingo, novembro 27, 2005

Crucifixofobia, ou A Seita dos Adoradores da Cadela Laica

«Ministério retira crucifixos da escola».

E faz muito bem. Dada a qualidade do ensino que hoje se pratica naqueles estabelecimentos, o crucifixo constituía um obstáculo significativo à concentração dos jovens aprendizes de vampiro, bruxo, metaleiro satanista, feiticeiro hiphoper e demais mestrados em "Harry Potter". Com um objecto daqueles em exposição, não admira que todo o esforço docente saísse torpedeado e o nosso aproveitamento escolar andasse pela cauda da Europa. Agora, certamente, passará para os cornos (não só da Europa, mas do próprio Mundo).

Entretanto, a tal Associação República e Laicidade (ou Seita dos Adoradores da cadela Laica, sua denominação esotérica), prepara-se para novos e inauditos cometimentos, bem como proezas viçosamente mirabolantes. Segundo foi comunicado pelo seu presidente -o conhecido professor Alexandrino -, aquela digníssima Seita vai, já de seguida, exigir a retirada imediata de todos os crucifixos dos campanários das igrejas, capelas, mosteiros e, sobretudo, das campas e jazigos dos cemitérios, de modo a não prejudicarem os petizes durante as aulas práticas, ou de campo (aliás, campa). Também o Vice-presidente daquela Associação laica, o não menos lendário Sô Zé, aproveitou para verberar contra o estado vergonhoso das nossas igrejas, todas elas exibindo, pública e despudoradamente, as suas cruzes nuas e descompostas. No que uma voz cavernosa -que, subitamente, se apoderou da Secretária Mística, uma tal de Linda Reis-, irrompeu, em tom acagaçante e imperioso: "E depois não se esqueçam de passar aqui e levar o meu esquife, que já me doem os joanetes!"
Pelo bizarro lembrete, tanto quanto pela forma zombificada como de imediato todos se prostraram, bramindo: "Sim, Mestre! Sim, Poderoso Mestre!...", atrevemo-nos a deduzir que se tratava, no mínimo, do Conde Drácula e diligenciámos por-nos ao fresco o quanto antes.
Ao mesmo tempo, no Ministério, era nomeada uma Comissão para Saneamento, Prospecção e Estudo dum símbolo alternativo, sucedâneo na cabeceira das salas para o crucifixo ora despejado. Constituída, entre outros mongolóides clarividentes, pelo Sexólogo Murcão, pelo opinion maker J. Castelo-Branco, pela jornalisca sibilante F, pelo quiropolitólogo prof. Karamba e pelo emérito macaco Adriano Darwin Esperança, a dita cuja lançou-se avidamente sobre a tarefa e não demorou a apresentar o seu Relatório e Sugestões. De entre estas, segundo fonte bem informada, há três insígnias heráldicas que parecem congregar, desde já, as maiores chances de virem a ser eleitas (aguarda-se apenas o despacho final da Ministra): um preservativo, uma ferradura e um chuncalho. De resto, duma tal brainstorm, prodígio menor não seria de esperar...

- Senhora Doutora Ministra, Excelência, não perca mais tempo! Trata-se duma prioridade transcendental. Adopte não um, mas os três em coro, em bloco, em altar! Congregação emblemática mais feliz não seria possível: o preservativo para lhes forrar o espírito; o chuncalho para anunciar à devida distância o gafo mental que aí vem; e a ferradura para lhes calçar a substância que mais garantidamente desenvolvem ao longo da frequência de tão estrebariada academia: Cascos, Sr Drª Ministra, nem mais.

E lá por Jesus ter nascido num estábulo, não vamos agora exigir-lhe que passe o resto da eternidade encafuado noutros. Já lhe basta a cruz e os pregos com que o lá espetaram. Poupemos-lhe, ao menos, o fedor perpétuo da bicharada.

Deus vos abençoe a todos, ó Adoradores da Cadela Laica! E que também ela, a cadela, esteja sempre convosco!...

Um feliz natal para todos. Que façam muitas compras e recebam muitas prendas.

13 comentários:

josé disse...

Pá! Protege-te na caverna que a seita vai incinerar-te o estaminé...ou eu não me chame josé.

zazie disse...

ahahahaha boa Dragão. Mas olha que o bode velho-professor macaco é o grande mentor da cadela. Só é pena que o gajo também não entre em rodopio na estratosfera. Pelos altos serviços à pátria que vem praticando há décadas bem merecia. Sempre passávamos a ter um satélite tuga- republicano e laico, como convém.

nelson buiça disse...

Salut et fraternité!


aos
6 de Frimaire de CCXIV


ps- Darwin estava certo. A Teoria da Evolução é correcta, aliás, correctíssima, por mais que doa aos Jeovás; a Terra não é plana; o Sol não gira à volta da Terra; o mundo não foi criado em 6 dias....etc...etc....

timshel disse...

josé

a seita não se mete com o dragão

a seita (as seitas) fogem daqui (até a minha - às vezes - só cá venho pelo estilo) como se o dragão em vez de labaredas deitásse um fedor a alho

mas, tal como eu de vez em quando tenho uns engulhos com o que o dragão escreve e não deixo de vir cá admirar as labaredas (devo ser um pirómano) assim também os adoradores da cadela laica podiam cá vir ao menos apreciar o estilo

mas penso que os estetas adoradores da cadela laica só o são enquanto o esteticismo lhes lambe o cú

timshel disse...

uma coisa é certa

este é mais um post de antologia

Anónimo disse...

Sarábá minha gente!
ugah! ugah!
Onde está o elo...perdido!?
Oh! Lucie!

E vós que me condenais, estais mais assustados do que eu...


Legionário

MP-S disse...

"Um feliz natal para todos. Que façam muitas compras e recebam muitas prendas."

Esta frase final fez-me dar umas boas gargalhadas! :)

TR disse...

Quanto a mim, há muito que deviam ter sido retirados das escolas dos hospitais, dos sítios públicos. Por mim, podem fazê-lo em qualquer altura. Se todos nós ficarmos mais contentes se for no Verão, então esperemos pelo Verão!
Sinceramente, acho mesmo que podem aproveitar e mudar a bandeira e o hino!!

takitali disse...

OB-LA-DI, OB-LA-DA ...
Life goes on bra/on/.../bra/on...
Brrraaa..ON quando for preciso!

Anónimo disse...

Vão provocar até onde puderem...
Querem saber também, em concreto, quem são os verdadeiros inimigos...
Um dia vamos ter que lhes partir os cornos. Porque castrados já são.
Interregno(JSM)

zazie disse...

diz o josé:
«Pá! Protege-te na caverna que a seita vai incinerar-te o estaminé...ou eu não me chame josé. »

mas não, não se atrevem, com o Dragão não se atrevem eles nem niguém, essa é que é essa.

É claro que o mérito está no brilhantismo da escrita.
No entanto, fosse a escrita brilhante mas flácido o espírito, desse ele o flanco ou andasse com eufemismos e preocupações em não desagradar a fulano ou sicrano e chateavam-no pois. Chateavam-no como chateiam os outros.

O grande trunfo do Dragão é ter compreendido há muito que acerca daquilo que não toleramos só resta gozar e deitar abaixo sem nos preocuparmos com complacências que não merecem.

Mendo Ramires disse...

Este texto é - simplesmente - genial! Bravíssimo!

Anónimo disse...

Talvez não seja a cadela Laica... Durante a reportagem, entre os doutos fazedores de Leis essencias como esta, estava ua convidade especial... nõa, não era a cadela Laica! Era a Ester Mucznic. Seria por acaso?

Ana