quinta-feira, novembro 17, 2005

Canções -II. Homem



E as estrelas no céu,
e a lua sobranceira,
o mar que ao longe avisto
- saberão que eu existo?

E a nuvem passageira
o vento sem eira nem beira,
o raio, a chuva, o corisco
- saberão que eu existo?

E a turba interesseira,
o formigueiro sinistro,
A Deusa e a rameira
- saberão que eu existo?

E a Causa Primeira
e a Terra toda inteira,
a mim, poeira, cisco
- saberão que eu existo?

E a Fortuna milagreira,
a Santa Padroeira
e o Pai de Jesus Cristo
- saberão que eu existo?...

Só a Negra Ceifeira
o Erro, o Tempo, o Imprevisto
velam fiéis à cabeceira
e nunca esquecem que eu existo.

2 comentários:

Anónimo disse...

lapidar!

ass: renegado.

ch'an disse...

e a conexão eléctrica que zomba
sem saber se é partícula ou onda
numa terra com um cheiro esquisito
será que percebe mesmo disto?