segunda-feira, abril 09, 2007

3º Round - Ponto da situação

Dos leitores deste batel danado eu desconfiava que eram poucos mas bons. O que eu desconhecia é que eram tantos. O resultado foi que a 1ª edição do "À Queima-roupa" ficou esgotada mesmo antes de estar disponível. Em consequência, tive que implementar uma ampliação no número de exemplares.
Decorre daí que o nefasto volume, que era suposto começar hoje a ser despachado para os excelentíssimos kamikazes que o encomendaram, só o será a partir do próximo dia 15, contando eu, um optimista inveterado como todos sabem, concluir os envios por volta de dia 23. Outra contrariedade entretanto surgida prende-se com a "pele de lagarto" da encadernação. O encadernador só dispunha de material para 25 exemplares. Perante a necessidade de mais 25, aconteceu o horror e a tragédia: o importador também não tinha mais e a fábrica não poderia fornecer mais, porque, cóio duns filhos duma grande senhora de vida fácil, havia descontinuado o padrão. Intrepidamente, como é meu timbre e o planeta inteiro me reconhece, não desmoralizei: após bramir uma descarga tonitruante de pragas, palavrões e impropérios, morder vários tapetes avulsos e espancar umas quantas peças de mobiliário incauto, ordenei um up-grade na encadernação - se não havia "pele de lagarto" suficiente, então iria ser mesmo "pele de dragão". Um verdadeiro luxo. Para todos. Mas, tranquilizai-vos, não vou vendê-la cara, a pele. Se bem que a mim ela me custe um pouco mais, o preço, essa obscenidade, mantém-se. Como, pelos vistos, e ao contrário do que eu inicialmene pensava, não vou ter que ficar com metade dos livros, o prejuízo minimizou-se. O que me permite até estas gentilezas para com Vosselências. No fim disto tudo, caso a prole completa me desampare a loja, ainda ganho para pagar uma caneca ao Dino e um pires de tremoços ao Caguinchas. O encadernador, esse, se bem que esfalfado, chilreia. Por ele, quer-me parecer, ficava ali o resto do ano a alfaiatar livros. O resto do ano, senão mesmo o resto da vida. É fodido o amor à arte.
Em resumo: vilipendiem-me! Eu mereço. Mas a culpa também foi vossa. Não tinham nada que me entupir o email daquela forma assaz barbaresca. Nós, os audazes flibusteiros, prezamos muito as abordagens, mas não propriamente na qualidade de vítimas.

PS: Todos as encomendas serão precedidas dum email a avisar o destinatário de que o livro vai ser enviado no dia seguinte. E nunca esqueçam: a pressa é inimiga da perfeição. Devagar se vê ao longe.

1 comentário:

Tortor disse...

Em pele de dragão, de jacaré ou de qualquer outro sáurio, envie-o o mais rápido possível.