terça-feira, janeiro 24, 2006

A Taxanálise


Ocorreu-me o seguinte negócio: taxanálise.
O que é a taxanalise?, perguntará o leitor. Isto, obviamente, se for um ingénuo que incautamente por aqui vá a passar. Porque se pertence a essa elite da humanidade que devota a este blogue os requintes da visita habitual, prescinde da interrogação e avança logo para a conjectura marinada de certeza: "o que é que este bandido terá aprontado desta vez?"
Bem, para uns e outros, que todos somados não devem ultrapassar a dúzia, passo a explicar.
Dito grosseiramente, a taxanálise é uma nova e revolucionária forma de psicanálise. Contudo, dito em bom rigor, a taxanálise está para a psicanálise como a psicanálise esteve, há coisa de cem anos atrás, para a confissão católica. (Ora aí está. O leitor incauto começa já a vislumbrar uma pequena luz ao fundo do túnel; o leitor habitual, por seu turno, contrai as solertes feições num sorriso de sacanice cúmplice.)
Quer dizer, assim como aquele judeu muito esperto chamado Sigmundo descobriu que para sacar confissões a tansos era muito mais vantajoso deitá-los num sofá que sentá-los num banco de madeira, eu descobri (bem, eu e o sacana do Caguinchas) que sentá-los num táxi, às voltas pela cidade, peregrinando semáforos, engarrafamentos e viadutos, usufrui de proveitos ainda mais sobrexcelsos. Além de que se trata duma inversão, a todos os títulos vantajosa, dos termos em que decorrem geralmente as viagens naquele singular meio de transporte: em vez do passageiro ser matraqueado com as divagações –em tom por regra vociferante - do chauffeur acerca da péssima qualidade dos produtos extraconjugais das mães de políticos, árbitros e presidentes de clubes rivais deste país, passará a ser ele, o cliente (doravante paciente), a apresentar as suas queixas unilaterais acerca da amostra (neles bem patente) do resultado das fogosidades ilegítimas da sua.
Neste momento, para que este prometedor nicho de mercado não continue votado a uma negligência escandalosa, já entabulámos negociações para aquisição duma viatura apropriada. Uma daquelas espaçosas, solenes, que as Funerárias usam para trasladações derradeiras. Segundo o Caguinchas, permitem que o paciente se deite e viaje mais confortável. Sentir-se-á mais descontraído e sugestionado à retrospectiva. Fui forçado a concordar. Vamos até manter a urna e os arranjos florais. Basta mudar a pintura –talvez para amarelo torrado (o Caguinchas queria, por força, vermelho, mas eu vetei energicamente: "foda-se, Caguinchas, somos taxanalistas, não somos bombeiros!..") -, acrescentar umas luzes psicadélicas, o indispensável taxímetro, música ambiente e um terminal de vending (tabaco, cafés, chocolates, preservativos, etc). Não é preciso ser um génio para calcular que, dada a quantidade de mortos-vivos que infestam a cidade, estamos perante um empreendimento condenado ao mais estrondoso sucesso.
Que ninguém pense em roubar-nos a ideia. Já foi devidamente patenteada.
A partir de março, aproveitem. Numa fase inicial, de promoção, não vamos cobrar a bandeirada. E, sim, as nossas "urnas de viagem" serão ortopédicas, unissexo e amigas do ambiente.

9 comentários:

timshel disse...

violação das regras da concorrência

dragão e se começasses a assinar Sigmundo II, cristão-novo muito esperto?

dragão disse...

Caralho, pá, cristão-novo é que não!...
Isso é o Peixeiro Pereira, o Pina Moura e outros que tais.

Sílvia disse...

Carago, pá, também quero ser sócia dessa merda!... Vê-me lá isso...

Sílvia disse...

Desculpa, Dragão! Não fui eu quem escreveu o último comentário... Foi aqui o sacana do meu secretário a fazer-se a horas extraordinárias...
Como sabes, eu seria incapaz de fazer tal proposta.
Amigos, amigos, mas negócios à parte!

outro_curioso disse...

Dragão, pá!
Afinal tu és a Sílvia?
Ou ela é que se "amarrou a ti" para toda a vida?
Mas onde é que pára o Caguinchas?
Porqué qu'ele num bufa?
Sim, que essa de arranjar um heterónimo ou cesarónimo ou lá o que é não colou!
Conta tudo Dragão!
Vendo bem, olhando às tuas teorias da conspiração é assim...
Se calhar és a zazzie!
Ai que tormento.
Morro de curiosidade!
Mostra lá as escamas, o BI, a língua(tem de ser verde e bifurcada!) o currículum, e manda uma bufadela com cheiro a alho, carago!
Se fores mesmo tu reconheço-te logo pelas unhas das patas(inhas)!

dragão disse...

Outro_curioso, pá, também estou cheio de curiosidade. Afinal és o Imbecil?...
Vendo bem, olhando ao teu comentário, se calhar és o Cretinóide, o Paneleirote ou o Cabrãozito?...
Não, só por esse "ai que tormento" (ai não me toques...), o Paneleirote, sem qualquer dúvida.

Sílvia disse...

Caros Anónimos:
Vejam os olhos da Sílvia em www.vaitepoesia.blogspot.com
Como poderão verificar,qualquer semelhança com os olhos do Dragão é pura coincidência...

Sílvia Carmo

outro_curiosssssssso disse...

Aaaaaaaaaaaaaaaahhhhhh Dragão!
Ganhei 4 medalhassss tuassss num inssssstante:
"Imbecil"
"Cretinóide"
"Paneleirote"
"Cabrãozito"


Eh eh!
Ésssss messsssmo forreta, pá!

dragão disse...

Depois dos insultos ranhosos e manhosos que desfilou, estava à espera de quê? - da Torre e Espada?!...