segunda-feira, janeiro 30, 2006

Punhetices


«Pacheco Pereira lança hoje livro sobre presidenciais»

Há gajos que tocam punhetas. Há gajos que até tocam punhetas ao espelho. É a primeira vez que vejo um gajo que, além de tudo isso, ainda usa o produto da ejaculação precoce para pintar auto-retratos.
Duas perguntas apenas:
1. Para quando o filme (em estilo documentário épico)?
2. Haverá alguém que compre uma merda dessas? (Interrogação claramente retórica: é o mesmo que perguntar "haverá alguém que veja o lixo da TVI?"...)

15 comentários:

josé disse...

Hesitei em escrever um postal sobre essa merda e acho acho que tens toda a razão. Parece-me uma vergonha tanta auto-comiseração.

COmo o gajo me atacou por via travessa de um postal manhoso em que se pôs a desconfiar da honorabilidade dos anónimos ( para ele e mesmo assim, nem sei), a hesitação ganhou corpo de rejeição, para não parecer hostilidade a mais. Aliás, como se costuma dizer em bom português quero mesmo que o gajo se foda. Sem hostilidade alguma, porque nem o conheço. Só conheço os escritos e esses bastam para dizer que é um medíocre. COmo eu, que é para não se dizer que me julgo superior. Mas eu pelo menos, não ando a publicitar o nome em revistas, jornais e tv´s para ganhar uns dinheiros com opiniões banais.

Além disso, parece de uma extrema hipocrisia atacar as capelinhas de exercício de crítica em rondó alla turca, vendo aí umn cisqueiro e carregar a trave á frente dos olhos que consistia, em duas páginas do DN de Sexta mais uma página hoje e editorial a condizer do director do Público.
Arre! Tudo, por causa de um livro sobre uma realidade passada e meramente opinativo acerca da...campanha eleitoral passada!
Umbiguismo mais umbiguista, não há.

Quem o definiu bem,nessa imagem pública que é transmitida, foram os do Inimigo Público de Sexta Feira, no qual repisam a obsessão do EU.

esgoto disse...

muito escreve este Pacheco! e muito fala e muito opina, uma Teresa Guilherme da política nacional.

josé disse...

Devo talves esclarecer que por "merda" refiro-me ao assunto da publicidade ao livro.

Não é ao sujeito em si mesmo que por não conhecer, nunca lhe pressenti cheiro ou cor.
E Deus me livre de tal. Teria que lhe dizer na cara umas certas verdades...

zazie disse...

I'm late, I'm late!

":O)))

dragão disse...

A Lebre Louca, ahahahah!... :O))

jorge disse...

CLAP! CLAP! CLAP!

zazie disse...

esta tem autoria do José ":O)))

Anónimo disse...

E não é que o livrinho foi editado pela dona Zita Seabra? Ah, pois é.

josé disse...

Zazie:

Tem piada, pois a propósito do postal que escrevi na Loja sobre a crítica aos críticos, num dos meus melhores esforços de sempre, procurei a imagem do Coelho da Alice. Encontrei, marquei e não entrou no blog.
Não insisti, mas agora vejo esta referência aqui a outra que fiz há bastante tempo.
I´m late! I´m late! É das melhores frase de ficção que conheço, se associada à personagem e obra de Lewis Carrol, desenhada por alguns dos maiores.

E dito isto, me voy que o dono da tasca, deve ficar passado com estas particularidades em pingue pongue que nada têm a ver com o postal...

Mas para ficar sossegado e não flamejar, aproveito para lhe lembrar que um dos melhores cronistas de jornal que temos, de seu nome VPV, iniciou a escrita em blog!
Ahahahahahahah!

dragão disse...

Quem deve estar satisfeita é a Zazie. :O)
Mas o VPV não me interessa muito. Até porque comparado aos Pachecos Pereiras e Delgados cá do burgo, é um génio. E depois há a questão estética, que não é de todo uma minudência. E aí o tipo redime-se: escreve, às vezes, as maiores cretinices com um belíssimo português. Todavia, não tenho acompanhado a figura, desde que o acesso às pérolas não é gratuito.
Não quer dizer que se ele as pedir eu não lhas dê. Basta acordar para aí virado.
De qualquer modo, é bem vindo. Deveras. Imagino o nervosismo que a esta hora grassa por esses "blogues de referência"...

josé disse...

O Pacheco tem direito a notícia na SIC; menção no portal da Sapo; no Diário de Notícias de sexta ou quinta, tinha duas páginas(!); no Expresso de Sábado, a capa da Actual sobre a "fábrica" ( de inanides ) ; ontem, mais ainda no Público; hoje, novamente no Público.

O enjoo é fatal e o gajo vai dar-se conta disso.

Tudo por causa de quê, afinal?

Um livreco de recolha de crónicas e "intervenções" na TV!
Pronto, não nego o direito ao marketing. Mas tanto! E por tão pouca coisa!

josé disse...

Escusado será dizer que por aqui, algumas crónicas, valem o livro todo do Pacheco!

josé disse...

Antes demais um esclarecimento ao anterior josé: eu não sou o josé josé, sou o outro josé, também ele josé, também ele anónimo. também não sou o josé, esse sim Pacheco e também Pereira, o josé da Marmeleira. sou um simples josé que não vai comprar esse novo livro do josé. é que o que o josé escreveu já eu, josé, o tinha lido embora não seja eu esse tal josé. vai-se lá a saber como...

zazie disse...

está visto que estou contente por o VPV ter aparecido na blogosfera. Quanto mais não seja para cobrar umas apostas com amigos que bem me chatearam a cabeça quando apareceu esta cena da blogosfera.

E é claro que o VPV incomoda muito mais gente do que se imagina. Para começar até incomoda os que passam a vida a citá-lo como arremesso de luta tribal.

Vamos a ver. Há para aí umas 3 questões que gostava que ele desenvolvesse. Uma tem a ver com a "regionalização" outra com os moldes do sistema eleitoral (democracia directa para os liberais...? que ele nunca defendeu) e outra com a velha questão dos impostos (que ele também não defendia como defendem os mesmos liberais)

Mário disse...

Independentemente do valor do livro o que eu acho interessante é a lestidão com que a coisa foi processada. è uma ideia interessante para outros conteúdos (mesmo se só digitalmente).