quarta-feira, janeiro 11, 2006

O Último Tango

Intrigado por um comentário do Musaranho, vesti o escafandro e dei uma volta na bostolândia. A certa altura do percurso, por entre galerias fantasmagóricas de icebergs submersos, deparou-se-me o seguinte resíduo sólido à deriva:
«"A MEC de saias" é a Carla Hilário de Almeida Quevedo.»
Esta descoberta assombrosa, verdade ofuscante só ao alcance de mentes prodigiosas, é da autoria dum tal FMS -Francisco Mendes da Silva, segundo depreendi. Diante disto, que podemos mais fazer senão mergulhar num êxtase inaudito? Cristo a caminhar sobre as águas empalidece. Retira-se vexado e apupado.
Que perspicácia superlativa! Chamar-lhe neo-ovo de Colombo é exíguo. No mínimo, é uma omolete completa - a omolete do Chico da Silva, que a posteridade há-de celebrar e o Guiness Book of Records, a esta hora, pulverizado, já regista. Como é que nunca ninguém tinha ainda reparado numa coisa tão óbvia?
Mas é evidente, pois claro: «A "MEC de saias" é Carla Hilário de Almeida Quevedo», Deus a abençoe. E o Chico da Silva é a "Agustina Bessa Luís de calças". Ou então a "Lídia Jorge em fato macaco". Ou, quem sabe, a "Margarida Rebelo Pinto em samarra e caneleiras alentejanas". Aceitam-se apostas.
Em todo o caso, se não é o MEC que deu em drag-queen, então é a Carla Hilário de Almeida Quevedo Cervantes & Góngora que, em delírio george-sandesco, se entrega, feérica, à androgenia. E, nesse caso, taxá-la de "MEC de saias" não lhe presta -nem de perto, nem de longe- a merecida justiça. Às segundas-feiras acordará certamente um "MEC de saias", admito; mas às terças, estou capaz de jurar, despertará, em apoteose, um "Lobo-Antunes de combinação e chinelas"; e às quartas, ninguém duvide, ei-la, radiosa, num "Vasco Graça Moura de corpete e cinto-de-ligas"; e às quintas, podem apostar, desabrocha feita um "Pacheco Pereira de culottes e espartilho"; e às sextas, é garantido, amanhece um "José Rodrigues dos Santos de babydoll" (saliente-se que pode manter o orelhame do MEC, só tem de mudar a língua com donaires camaleónicos); e aos sábados, se Deus quiser, triunfará num "Francisco José Viegas de noiva hebraica e burka, a ensaiar a dança do ventre"; e, finalmente, ao domingo, até ponho as patas no fogo, se não há-de descerrar as pálpebras, já pronta e maquilhada, deslumbrando num "Paulo Coelho travestido de Maga Patalógica em lingerie e fio dental"!...
Nitidamente, este Chico da Silva -aliás, esta "Lídia Jorge em fato macaco"-, subestima o guarda-roupa da senhora Dª Carla Hilário de Almeida de La Vega e Quevedo Cervantes e Góngora Cela. Já não falando nos penteados, joalharias, marroquinarias, perfumes, pinturas, botoques, peelings, leasings, hamsters, etc, etc, gastaríamos aqui, provavelmente debalde, a noite inteira e várias cafeteiras. É preciso não esquecer que a única ditadura que esta gentessete democrática e liberal considera - não só tolerável, como obrigatória - é a da moda.
Quanto ao fenómeno assaz compulsivo -e verdadeiramente totemístico!- de passarem os dias a barrar manteiga uns nos outros, como explicá-lo?
Confesso que me intriga. Assim, de repente, dada a quantidade desarvorada do ingrediante, dir-se-ia que preparam ou um banquete...ou uma orgia.
Ora, estando esta gente nos antípodas duma Última Ceia, resta-nos suspeitar que se trata, muito provavelmente, de um Último Tango.

12 comentários:

Anónimo disse...

PREPARE-SE QUE ELA VAI FAZER TUDO PARA O IDENTIFICAR, A VÍBORA. AQUILO É DO PIORIO.

Sílvia disse...

Bom dia, dragãozinho!...
Olha, hoje acordei terrivelmente loira...
Porta-te bem!

Dunyazade disse...

LOLOL!

Ó pá, bolas, quem me dera escrever assim.

Que autores é que o senhor lê?

josé disse...

Je connais( je l´ai vue une fois et je l´ai parlé) la diva de la blogosphère qui s´appelle, elle même, "bombe". "Intelligente". C´est un calembour, évidemment. Et vide: il ment!
Mais c´est une petite garce qui est bien gentille même si elle attire toute l´attention sur elle dans presque tout ce qu´elle écrit.
Je l´appellerais bombe inconséquente.
Comme c´est une fille je ne dirais plus que ça.

josé disse...

E a escrita volta a ser... Hilariante( et pour cause).

josé disse...

E por acidente, motivado por este postal, fui ler ao Acidental, o leit motiv.
Li:

"MEC é, por excelência, o escritor de Portugal e dos Portugueses. Fala de nós com superioridade, mas com ternura. Com distância, mas com amor. Puxa por vezes pela erudição e pelo pedantismo, mas o resultado é sempre a compreensão e a exaltação das nossas maneiras de ser."

Oribem! Sobre o MEC muito há a dizer. Muito mesmo( a escrita, só a escrita, entenda-se). Não chega um lugar de caixa de comentários. Ando, aliás, a pensar no assunto, há já alguns dias. Talvez saia algo para me equilibrar as sinapsesa neuronais.

Charlotte disse...

Dragão, perante a histeria da anónima e do comentário em franciú do josé (?), que teve a sorte de chegar à fala comigo uma vez (diz ele, porque eu que não faço a mais pequena ideia de quem seja) e que depois vem falar disso numa caixa de comentários (desagradável), chamando assim a atenção sobre si próprio, gostaria de comentar. Li o seu texto. Muito engraçado. Gostei particularmente da designação "Vasco Graça Moura de corpete e cinto-de-ligas". Também achei graça a "Carla Hilário de Almeida de La Vega e Quevedo Cervantes e Góngora Cela" e da sequência "penteados, joalharias, marroquinarias, perfumes, pinturas, botoques, peelings, leasings, hamsters". Olhe, vai já para o destaque. Boas bloguices!

josé disse...

La "bombe" s´éclate! Et il n´y a pas de l´humour là dedans...

Alors?! J´ai dit que vous étiez gentille, madame! Et jolie, aussi, je pouvais bien dire. Maintenant, c´est dit. Vous êtes une fille gentille et jolie, avec très peu d´humour. Et c´est cela, la preuve de l´intelligence, vous savez...et c´est pourquoi vous êtes inconséquente.
Découvrez l´humour e vous verrez lo monde et les autres de l´autre coté et peut être que votre écriture sera bien meilleure.

Comme ça, vous vous essouflez dans les vulgaires "get a life"...

Sílvia disse...

Homem-aranha viens ici, s'il vous plaît!...
Je vous en prie!

Homem-aranha disse...

Mademoiselle Silvie, je viens mais je ne parle pas français. I would much rather speak English. Who is troubling you? That horrible Corcunde de Notre Dame again? Or is that rude man by the name of Dragão? I am going to sort things out right now! Atendez pour moi, ma belle...

Sílvia disse...

Hurry up or you'll miss the train!

Anónimo disse...

Oh chefe é favor dizer aí à flausina em causa que eu sou muito homem sou portanto UM ANóNIMO e tenho idade para ser pai dela. já conheço os achaques e as birras e os nepotismos. Ela que morra longe de Portugal que até já fede!