quinta-feira, agosto 25, 2005

Dêem-lhes de comer!

Segundo o "Diário Digital":
«Um estudo realizado por uma organização não-lucrativa norte-americana, a Trust for America`s Health, revela que os americanos estão cada vez mais gordos, com a obesidade a crescer a ritmos nunca antes vistos.»

Protesto! São atoardas, invejas, malquerenças!... Minha rica América!... Não são eles que estão a ficar mais gordos, o resto do mundo é que está a ficar cada vez mais magro, ora essa! Cambada de alter-anoréticos, é o que é!...
Pelo contrário, os querubins americanos, aqueles nenúfares da humanidade, são gente dinâmica, activa, tenaz, agenciadora. São meninos de muito alimento, aqueles príncipes. Gastam tremendas calorias nesta lufa-lufa global, de patrulhar o mundo, de proteger-nos dos extraterrestres, de ventrilocar governos, de democratizar à bruta, de vencer olimpíadas e Tours de empreitada, de saltar ao eixo-do-Mal no recreio da escola, etc, etc. Tudo coisas que abrem o apetite. Experimentem e vereis se não vos apetece tragar um boi logo de seguida! (Um boi, que digo eu, uma manada inteira!) Por conseguinte, é preciso que comam, que enfardem muito, os pequenos, cada vez mais, dia e noite, a todas as horas, até rebentarem, não vá dar-lhes a fraqueza.
Mas no fundo, acho eu, o que eles querem mesmo é suplantar os Árabes, seus rivais do momento. De que modo? Ora, simples: Se estes se fazem explodir com bombas à cintura, os américas vão mais longe, refinam e avançam: querem fazer estoirar-se com pneus.

1 comentário:

Capitão Maconha disse...

Um inconveniente obóvio de quem coma muito é que também irá cagar muito. No entanto isso não obosta a que se assista a uma engorda generalizada.