segunda-feira, agosto 20, 2007

No Jardim-escola à beira-mar...

Nada disto me surpreendeu: nem a destruição do milho pelos eco-coisos; nem a escolta proporcionada pela GNR para o efeito; nem o ministro da GNR, com aquela fronha que ele tem, a proclamar que a dita GNR "fez exactamente o que deveria ter feito". Para ser sincero, surpreendente foi o facto dos eco-coisos, gado tipicamente urbano, terem conseguido distinguir o milho das couves ou dos girassóis. E mais assombroso -de pasmar mesmo com toda a minha alma! - foi ter tomado conhecimento de que ainda existe alguém que se dedique à agricultura neste campo de golf à beira-mar desplantado. Não admira que o governo, perante tamanha resiliência, se veja forçado a promover e subsidiar estas eco-jornadas.
Quanto aos clamores irados do costume contra estes jovens vândalos encapuçados, só me fazem sorrir. As velhas ralhadoras de serviço -como o Bruto, por exemplo - deviam comer menos queijo. Talvez assim a memória não lhes falhasse tanto e tão sistematicamente. Todos sabemos que se o Bruto tivesse a idade daqueles jovens, muito provavelmente teria também lá estado, de garruço e charro no bolso, a pisotear a plantação ao rústico. À falta do "nem mais um soldado para as colónias!", agarrava-se, é mais que certo, ao "nem mais um trangénico para a metrópole!".
O filme já é antigo. Cada fornada tem as suas vias peregrinas. Temos que encarar estes jovens activistas das boas causas com uma certa ternura, com incomensurável longanimidade. Aquilo, meus amigos, faz parte da praxe. Parece um recreio, mas na verdade é um estágio. Um ritual de iniciação, melhor dizendo. Afinal, é dali que vão sair as nossas elites e -melhor ainda! - os nossos governantes do amanhã. Estão só a prestar as primeiras provas. A dar os primeiros passos.
Estes, está bem de ver, começam por espezinhar milho. Os anteriores, mais impacientes, começavam logo por espezinhar a bandeira.

5 comentários:

A.H. disse...

Lol,
cada um espezinha o que está na moda pô (...rra)!
O "há Bruto" já está velho. Aquilo é tudo inveja, de não poder lá estar com os outros a pôr em práctica os conhecimentos adquiridos nas acções de formação (em desobediência) do bloco (de charros).
Quanto a pisar a bandeira, eles até a pisavem, só que pisar milho e ver um desgraçado ter um ataque cardiaco dá muito mais gozo!

zazie disse...

"nem mais um trangénico para a metrópole"

ahahahahahahah

beijocas e saudades, rapaz

lusitânea disse...

Está já a decorrer mais um "não arrastão"Estes tipos do BE são especialistas na técnica estalinista de fazer desaparecer o pessoal da fotografia...
Agora aquilo da "desfolhada" foi por ocorrência espontânea...

dragão disse...

Zazie, sua bandida!... Por aí a laurear o queijo e eu que me lixe.
Só aqui o velho mitológico é que não tem direito a férias. Agrilhoado ao blogue, que nem Prometeu aos penhascos... Irra, que puta de sina a minha!...

:O)

Boas férias e caçadas às gárgulas!

zazie disse...

ehehe, tu est'as 'e de olho nas "rebajas" e a laborar no segundo volume...

Beijocas da favorita do soba