sexta-feira, janeiro 19, 2007

Só por via das dúvidas...



... sempre vos digo Dez portugueses que considero veneráveis:

1. D. Afonso Henriques
2. D. João II
3. Afonso de Albuquerque
4. Fernando Pessoa
5. D. Dinis
6. Luís Vaz de Camões
7. Nuno Álvares Pereira
8. Infante D.Henrique
9. Bartolomeu Dias
10 Gil Vicente

É claro que há muitos mais. Mas, essencialmente, este é um país de reis, marinheiros, guerreiros e poetas. Ou melhor dizendo, foi.

17 comentários:

zazie disse...

Seu monárquico expansionista
":OP

Creio que subscrevia todos, mas era capaz de trocar o Afonso de Albuquerque pelo Padre António Vieira e havia de meter o Pedro Nunes em algum canto.

dragão disse...

Se me mexes no Afonso de Albuquerque, eu racho-te!... Sou-lhe extremamente afeiçoado. :O)

josé disse...

Voto no D. Dinis. E a seguir o D. João II.

Os outros, je m´en fous.

zazie disse...

Tá bem. Eu não lhe toco nem nas barbas. Também gosto muito dele. E acrescentava o Pêro da Covilhã que ainda teve uma vida mais aventureira. Aquele Cabo das Tormentas que passou a Boa Esperança deve-lhe muito.

O único detalhe é que parece que não há absoluta certeza de ser português de gema
eheheheh

F. Santos disse...

Muito bem, Dragão.

Women's lib disse...

Machistas inveterados. Filipa de Lencastre é daqueles eminências pardas que com a sua poderosa influência, fizeram o infante e consequentemente D. João II. Tá bem era inglesa, mas ninguém é perfeito...
Nunca se saberá a influência verdadeira e grande nas descobertas de outra mulher porque teve a desgraça de a fazerem santa. Isabel de Aragão!
E Luísa de Gusmão! Raios, não acerto numa mulher portuguesa, bolas!
Mas também concordo. João II e Afonso de Albuquerque são tudo aquilo que gostaríamos de ser e que nunca conseguimos ser. Determinados, metódicos e um coração de aço!

Anónimo disse...

Um apreciador da grande obra desse Grande Português que foi Afonso de Albuquerque? Este Dragão merece levar com uma boa sarda castelhana nas bentas. ;-) Na verdade Afonso de Albuquerque merecia ser muito mais honrado pelos portugueses vivos que muios luminárias agora adoradas em mortos. E não conheço nenhuma rua ou avenida portuguesa com o nome de Afonso de Albuquerque. Mas em compensação existe uma cidade americana com o nome dele. E os americanos é que são ignorantes! Glup! O que só mostra a ignorânica dos portugueses vivos.

posted by anti-comuna

PM Olá Zázie. Jinhos nas tuas faces luzidias. :-)

Anónimo disse...

Só um escralecimento adicional. A cidade americana com o nome do nosso heroi foi fundada por imigrantes hispânicos (incluindo portugueses). Há vozes hispânicas (ou no calão americano spaniard, cidadãos com origem no continente europeu em contraposição aos oriundos sul-americanos), em especial alguns na Califórnia, que garantem que esta cidade teve o seu nome devido ao respeito e admiração destes colonos por o A. de Albuquerque, um dos principais ideólogos da colonização europeia além-mar. Oficialmente os livros dizem-nos outras coisas. Por exemplo, a famosa Wikipédia, tal como a generalidade dos documentos oficiais, diz o seguinte:

"The village was named by the provincial governor Don Francisco Cuervo y Valdes in honour of Don Francisco Fernández de la Cueva, Duke of Alburquerque, viceroy of New Spain from 1653 to 1660. The first "r" in "Alburquerque" was dropped at some point in the 19th century, supposedly by an Anglo-American railroad station-master unable to correctly pronounce the city's name." http://en.wikipedia.org/wiki/Albuquerque,_New_Mexico .

Mas pessoa amiga, que estuda as origens da colonização europeia da califórnia e sul dos USA (antigas colónias espanholas e depois México), garantem que Albuquerque tem origem no fascínio e admiração dos colonos ibéricos pelo antigo Vice-Rei português. E na sua forma inovadora como tentou colonizar e "iberizar" as possessões portuguesas, em especial no Índico, no Estreito de Ormuz, no Golfo Pérsico, etc. Essa mesma pessoa amiga foi a que me chamou a atenção para a enorme injustiça dos portugueses actuais para com o "descobridor" da califórina, Castillo, um português, com direito a monumento nacional americano em Lama Point. (Bem próximo da base naval americana de S. Diego.)

Esses colonos era adeptos da miscigenação com os nativos, ao contrário do defendido pelas autoridades espanholas do seu tempo, mais xenófobas que as portugueses. E, relembre-se, A. de Albuquerque tinha como política oficial o incentivo público e Real para o casamento entre nativos e oriundos da Europa, para evitar guerras suicidas e conseguir estabelecer colónias portuguesas mais duradoiras e estáveis no tempo. Como sabemos, o seu inimigo fidagal na Corte tudo fez para desacreditar ((através de conspirações sabujas) este grande visionário português e logo que tomou conta do lugar tudo fez para destruir o magnífico legado de A. de Albuquerque. Talvez por isso, mais tarde, seriam os ingleses e os holandeses os maiores beneficiários do desbravar de Albuquerque.

Como podem ver, acredito mais na versão deste estudioso português (que vive em S. Francisco), que Albuquerque tem o seu nome devido ao fascínio e admiração pelo nosso ex-Vice-Rei que a litografia oficial.

Fica aqui melhor explicado o porquê da referência à cidade americana com o nome do Grande Português Afonso de Albuquerque.

posted by anti-comuna

martelo disse...

lamentavelmente o D:A:Henriques deu valente porrada na mãe, pelo menos consta... daí o macho latino.

futuro sem futuro disse...

Sousa Mendes é uma figura menos polémica, com uma acção humanitária. Sem inimigos.

JAIME NOGUEIRA PINTO

Anónimo disse...

o Herculano? O Damião de Góis?

A.H. disse...

Na minha o Afonso Albu. passava a 10º (sorry ó dragão). O Nunálvares passava a terceiro seguido pelo Dinis e pelo Eça, o Egas Moniz, o Luis Vaz e finalmente o Infante com o Pessoa à perna.
Os dois primeiros são intocáveis!
Os outros, uns dias mais, outros menos...

A.H. disse...

Egas o médico.

pvnam disse...

«Ou melhor dizendo, foi»

-> Um 'país' que deixa de proceder à Renovação Demográfica... e que opta por mudar a Lei da Nacionalidade - para mais facilmente nacionalizar imigrantes -, não é um país... mas sim... uma mera Formalidade Burocrática!
{ nota: os naturalizados (...) são Predadores Insaciáveis -> ambicionam Ocupar e Dominar mais e mais novos territórios }


SEPARATISMO NA FORMALIDADE BUROCRÁTICA:
-> [antes que seja tarde demais] É urgente constituir um movimento a nível europeu (por toda a Europa) ... no sentido de reivindicar o legítimo Direito ao SEPARATISMO Étnico Autóctone (a divisão dos 'países'):
------> 1) um espaço ( 50% ) de Competição Global: será um espaço para os 'Globalization-Lovers';
------> 2) outro espaço ( 50% ) de Reserva Natural: será um espaço destinado à preservação/sobrevivência das Identidades Étnicas Autóctones.

hajapachorra disse...

E o P. António Vieira?

hajapachorra disse...

Porra, a zazie havia de me estragar a lembrança... Não me admira.

zazie disse...

eheh Hajapachorra “:O)
............

beijoca repenicada, anti-comuna. Não conhecia essa história referente ao Albuquerque.

(Fartei-me de rir com aquela do outro dia- do "V.c tem de dar um desconto que eu também sou meio analfabruto"

ahahahaha Eu gosto do rapaz mas é verdade que aquilo não dizia nada)