terça-feira, janeiro 02, 2007

Crocodilos de esgoto

É sempre instrutivo verificar que aqueles répteis anfíbios de grande porte e pele escamosa que mais lágrimas vertem pelos massacres do passado, são aqueles que mais hermeticamente fecham os olhinhos, enquanto vão palitando a dentuça, às chacinas do presente.

4 comentários:

Arrebenta disse...

Bom Ano, por aqui. Como o Dragão sabe, duvido seriamente, mas não custa nada desejar... Abraços

ab disse...

Tem razão no que escreve...

...mas...

nos últimos dias, temos assistido ao 'espectáculo' de 'estalinistas' (e toda uma panóplia de outros 'istas') a indignarem-se a a carpirem pela execução de Saddam, enquanto verbera a pena de morte.
Chega quase a ser cómico ver tão vasto conúbio de grandes 'virtudes' e uma tão ampla 'feira de beatitudes'.
Que bonzinhos que são todos de repente!!!

Eu sou contra a pena de morte (seja ela promovida por governos da Esquerda, da Direita ou do raio que os parta) e, por isso, acho lamentável a execução do ex-presidente do Iraque, assim como acho lastimável o que passa actualmente naquele país mas não acredito (e penso que o Dragão também não) nas 'lágrimas' de tudo quanto é 'carpideira militante' que por aí anda.

Os EUA, esses, com estas políticas, cobrem-se de opróbrio e sobem no ridículo.

dragão disse...

Na verdade, este postal não tem que ver com a pena de morte nem com o linchamento do Saddam.
É mais sobre o detalhe deveras interessante de se deparar a cada esquina com santarrões beneméritos a ladrarem aos genocídios do passado (do Hitler e do Staline, só para citar os exemplos mais emblemáticos), e a dizerem ámen às carnificinas do presente.
Deduzo que o massacre só é mau à posteriori.

A.H. disse...

Sem dúvida ó Dragão, é o chamado estado post-mortem pelos vesgos e "desinteressados humanistas".

Mais ridículo ainda é quando se dizem defensores da grande civilização branca ocidental (ou será antes: do estilo "moderno" e "progressista" dos vícios e fraquezas "ocidentais") e se chamam a si próprios de democratas multiculturais (desde que seja à maneira, "correcta", "tolerante", viciada e consumista deles), que atacam o inimigo lá fora (que também não sabem bem quem é) e em compensação sobra-lhes tanta tolerância interna (a chamada sensibilidade anal exacerbada) que dão o cú (devidamete lubrificado claro está, senão seria "xenofobia"), ao inimigo cá dentro!
É que nem só de bombas e tiros "vive o homem". E quem tiver cérebro e não apenas cornos, que entenda!