quarta-feira, janeiro 31, 2007

Porcos a pérolas

O Dragoscópio vai publicar uma série de entrevistas sobre questões fundamentais da existência e do seu impacto na vida dos cágados de bossa e outros quelónios mais ou menos arborícolas.
Adianto desde já as perguntas e, dentro em breve, iniciarei a indigitação dos felizes, eméritos e importantões contemplados. O critério? Simples: ordem alfabética. Ab...


1. Se não fosses a porcaria que és, que outra porcaria gostarias de ser?
2. Normalmente, que porcaria finges ser, para camuflar a porcaria que és?
3. Achas que a porcaria que os outros são alivia ou ameniza a porcaria que tu és?
4. Consideras que a porcaria que és deriva da porcaria que fazes?
5. Entre a porcaria que és e a que achas que devias ser, calculas que haja uma grande diferença?
6. Convences-te facilmente que és a porcaria que fazes?
7. Estás todo vaidoso com a porcaria que fazes e deduzes que, assim sendo, és uma grande porcaria?
8. Pensas que há muita gente com inveja da porcaria que és?
9. És a porcaria que tens ou tens a porcaria que és?
10. As porcarias que cultivas na imaginação compensam-te das porcarias onde te anichas na realidade?
11. És porco porque vives uma vida de porcaria, ou essa porcaria de vida é resultado de existirem porcos como tu?

14 comentários:

Anónimo disse...

eheheheheh
o Dragão voltou

Anónimo disse...

ahahaha

ainda bem!!!

Oliveira da Figueira disse...

Para gente inteligente
Não se sabe bem onde.
O senhor Dragão pergunta
E quem é que responde?...

Será para medir o QI?
Ou para Tese Universitária?
Responderá quem sabe
Nem que seja uma luminária…


Para o Amigo Caguinchas
Um “tiro” bem certeiro.
Contente com o 2º lugar
E a caminhar para o 1º?…

A.H. disse...

ahahahah!

Afonso Henriques disse...

A propósito de "ordem alfabética"; então e o tão proclamado Dicionário Shelltox Concise de O Dragão? Ficou-se pela letra D? Passo horas à cata da continução do léxico draconiano e nada.
Acabou-se? ou está (só) em banho-maria?
Cumprimentos.

postscriptum (por extenso, por causa das merdas)
Eu sei, eu sei: o Dicionário Shelltox Concise de O Dragão é uma pérola que não se pode dar a porcos por aí...além.

dragão disse...

Majestade, quanto ao Dicionário, pode ser que lhe reserve uma surpresa. A ver vamos.

E, se calhar, à moda antiga.

Anónimo disse...

Phentermine
Phentermine search
Ringtone search
Tramadol
Phentermine
cialis

Akher disse...

Bom, sugeri que engolisses a Inspiração sem a matigar, porém, nunca pensei que lhe acrescentasses transtornos adictivos!
O resultado é nefasto: criação de porcaria, infecção por porcaria, destilas porcaria, infestas tudo de porcaria para não referir o teu estado enfermado em porcaria!

dragão disse...

Pelos vistos a cara totoina é técnica, quiçá perita, em engolir coisas. Tanto que se dá ao desfrute de me fazer sugestões nesse departamento. Bem, do mal o menos, esperemos que sejam espadas ou chamas aquilo em que, por passatempo ou profissão, mais exaure os seus ímpetos de jibóia. Porque se o caso é outro, se em vez de coisas são substâncias e, porventura, aguarda de mim descargas milagrosas, aviso-a desde já: bem pode ir tirando o esofagozinho da chuva. :O)

Akher disse...

Controla-te Dagrão! Ou devo tratar-te por Boogeyman?

dragão disse...

Dagrão não: Dragão. Faz favor de não me engolir as letras. :O)

E em matéria de super-heróis, se me concede opção, preferia ser Vlad, o Empalador.
Aliás. toda a gente sabe disso. Vê-se que é nova por aqui.

Akher disse...

Tens razão, Dragão, preciso resolver com urgência esta tendência para comer letras, tropeçar em vírgulas e calinadas ortográficas. Possivelmente, terei de recorrer ao word com ajuda do corrector. Após tantos anos sem escrever português não é fácil relembrar e raciocinar em português. No entanto, não consigo esquecer os defeitos estruturais, individuais e os sociais dos "tuguinhas": o desleixo, a improvisão, a relutância na higiene pela água e pelo exercício físico, o incivismo, a mândria no trabalho, a hipocrisia acasalada com a exuberância vã, a subserviência ante o estrangeiro, o desprezo pelo trabalho, o gosto pelo luxo e pela ostentação, a maledicência doentia, a basbaquice em matérias culturais, a credulidade, o miraculismo que vai das "aparições" em Fátima ao Euromilhões semanal, as formas de amar, odiar, de beijar, de insultar, de elogiar e de invejar, as formas espefícicas de comer e beber, o elenco dos apetites, para não falar nos vícios mentais, nos salamaleques e no excesso dos títulos mais diversos( nobliárquicos aos "srs.Doutores", e claro, o que mais me confunde pela sua originalidade: o ditongo ão! ÃO ou am!? Eis a questão!
Relativamente, ao Vlad, o Empalador, não te iludas! Não tens perfil nem sequer para Draculea!
Mal vi a tua foto, ocorreu-me de imediato o Boogeyman e assim como assim, ficas!( para mim, of course!)

dragão disse...

A trapalhada que para aí vai!... :O)
É uma no cravo e outra na ferradura.
Mas achei graça a essa do "subserviência ao estrangeiro". No fundo, é minha fã.

A.H. disse...

Porra, os portugueses dão-te a volta à cabeça pá (e a quem não darão?). Volta para casa, ou então vai ao Dr. da psico para te dar qualquer coisa para tomares senão não aguentas!
Isto é um "clima" inóspito e seleccionado só para portugueses de gema (e clara).
Olha que é dose forte agoniar em portugal, não é para todos!
Mas vieste ao blog certo, pois aqui Dragam-se todos!