quarta-feira, janeiro 17, 2007

IVF, a solução



Mas... permitam-me apergunta:
Porque é que em vez da "interrupção voluntária da gravidez" (IVG) não reclamam antes a "interrupção voluntária da fertilidade" (IVF)?...
E assim, desse modo auspicioso, legítimo e soberano, em vez de embriões alienígenas causadores de tanta polémica, removiam os próprios ovários e sanavam o problema duma vez por todas. Acabavam-se as controvérsias. Quando se diz que são donas da barriga, não contesto. A barriga efectivamente é delas. Quer dizer, o útero e os ovários são delas. Mas os espermatozóides não. Podem despejá-los se lhes convém? (Do estilo: "aquele gajo despejou-mos aqui, e eu vou despejá-los uma - duas, três, quatro, ene - semanas depois no lixo.") Efectivamente, não vejo como impedi-lo. No fundo, trata-se dum despejo em segunda-mão. Não houve qualquer intuito de constituir família, nenhum especial envolvimento amoroso: o tipo despejou os tomates, a gaja despeja o útero. Ele aliviou-se; ela desembaraça-se. É um problema duplo, de que se persiste em só reparar na última fase.
Mas as chatices inopinadas que se evitavam, se ela propagasse às entranhas o vácuo cintilante que transporta na cachola!... O que é uma histeroctomia para quem vive na maior com uma lobotomia? Tremoços. Aquilo, além dum estorvo, é uma armadilha. Um albergue para vírus invasores, digo espermatozóides indesejados.
A verdade é que entrámos na Idade da Punheta Assistida: do homem-queca e da Mulher-vazadouro. Esfregam-se um no outro, sendo o outro uma mera prótese masturbativa conveniente. Isto, todavia, não apoquenta as nossas feministas de plantão. Só as obceca que o vazadouro seja convertido em aterro-sanitário. A bem da higiene e da paisagem.
Razão tem o Caguinchas quando proclama: "Dragão, eu, putas, não hesito: prefiro as profissionais."

14 comentários:

Thoth disse...

O caro Dragão deve ter uma costela cínica, entenda-se cinismo puro, destinado a pôr a nú as vergonhas das gentes.
Parabéns e cumprimentos

dragão disse...

Não é uma costela, é um esqueleto inteiro. Cínico, à maneira de Diógenes.

Saudações

zazie disse...

o vácuo na cachola eheheh acredita que deve ser isso mesmo.


É o feminismo da opção pelo vazio

Mas olha que ando intrigada com o silêncio do Caguinhas. Ainda anda nos festejos?

zazie disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Humm, que Kitsch, Dragão!
Bom, perante tanto entusiasmo, resta-me acreditar na reencarnação!
In-satisfeitos, in-acabados, com medo...eis a conclusão.

Live

dragão disse...

O Caguinchas ganhou uns dinheiros na batota e foi-se trancafiar, em monástica clausura, no "Elefante Branco". Não sai de lá. Jura que se lhe acabará o dinheiro antes da tesão. Desculpa a brutalidade do termo, mas foi assim que ele anunciou o místico retiro à malta.
Amanhã já deve estar cá fora. Isto, se entretanto não se transferir directamente de lá para a penitenciária.

zazie disse...

ehehe

Pois é, lá se vai apanhando as loucuras que esta história atrai e algum sentido para onde caminham.

Fica o resto mais pragmático, que é bem capaz de ser outro tanto muito mais complexo que nem eu sei...

";O)

Mário Martins disse...

Como sempre, brilhante.
E até faço minhas as sábias palavras do Caguinchas!

Abraço.

xatoo disse...

vem mesmo a calhar, o mundo estar repleto de filósofos, óh ilustre Dragão - Diógenes que se auto-intitulava "o Cão" mijar-lhes-ia prás pachachas conforme o Bocage lhes acenaria de longe com a porra

Anónimo disse...

Pois, pois, a masturbação! Actividade sexual primária do gênero humano. No século XIX, era uma doença; no século XXI, é uma cura.
Interessante e revelante sobre os Dragão(s).

The mind

MP-S disse...

"interrupção voluntária da fertilidade" (IVF)

Entao, o' Dragao, qual era a desculpa que restava para ter as relacoes ...hum... ...humm... sexuais?

E' que se nao for para reproduzir, e' pecado.

Grande hereje que me saiste.

kommando disse...

Caro Dragão, concordo com você em 99% das vezes, porém você não acha que o planeta Terra já está superlotado de seres humanos? Certamente 6 bilhões de humanóides já é demais da conta. Se a guerra, a peste e a fome não aliviam a superpopulação, vamos deixar que as próprias pessoas deixem de se reproduzir.

Quanto mais homossexuais e abortos, melhor para o Mundo. A natureza agradeçe. ;O)

Anónimo disse...

Por mim concordo. Acho que quem quiser aborte à vontade, Já temos antihomofóbicos, lesbianas, comunas, abortos e chatus a mais, e cada aborto que se faz diminui a possibilidade de lhes aumentar a hoste.

ringthane disse...

Das cabras hedonistas
Ouvido na SIC:

"Eu tive filhos, mas eses foram desejados, quando não se deseja um filho ele não é um filho, não existe, não é nada."

Portanto fiquei informado sobre este facto científico de real cutting edge: o ser humano faz o colapso da função de onda de Schrodinger: transforma a realidade objectiva naquilo que bem entender. Quando é desejado, é verde. Senão é roxo, mesmo que seja verde apesar da puta da subjectividade, ou da subjectividade da puta.