quarta-feira, julho 25, 2012

Liberdade de Expressinha


Mais um caso da típica liberdade de expressão que reina no manicómio ocidental:


«Greek athlete expelled from Olympics for racist tweet»

Parece que mandou uma boca do género: "com tantos africanos que há na Grécia, ao menos os mosquitos do Nilo podem alimentar-se com comida da sua própria terra".

Francamente, não sei onde é que reside o tremendo racismo. Afinal, é do pleno conhecimento científico que os parasitas acompanham as manadas nas suas migrações. Os africanos trazem consigo os mosquitos; os italianos transportam a mafia; e os portugueses, que são um povo mais do tipo mentalmente hospedeiro, o Benfica.

20 comentários:

zazie disse...

O que é incrível é que os tipos fizeram devassa do tweet e transformaram uma cena virtual em qualquer acto público ou ofensa directa a alguém.

O politicamente correcto é uma tara perigosa.

A. disse...

O políticamente correcto é algo de tão ridículo que se tornaria....rídiculo da minha parte estar aqui a "bater no ceguinho".
Não devemos, no entanto, perder qualquer oportunidade para...ridicularizar o "dito cujo".
:)

" e os portugueses, que são um povo mais do tipo mentalmente hospedeiro, o Benfica."


:D

Agora me lembro!
Conheço relativamente bem a Europa. É um continente fantástico, de uma riqueza e diversidade a nível cultural e étnico absolutamente fabulosa.
Apesar de tudo o que de bom (e mau) que ví...é sempre um momento de enorme alegria voltar a Portugal.
Este país é o que Fomos, é o que Somos e é o que Seremos.
Este país é o que é e está como está.
Mas é a nossa Casa e a nossa Terra.

(perdão pela "pieguice") :)

A. disse...

O políticamente correcto é algo de tão ridículo que se tornaria....rídiculo da minha parte estar aqui a "bater no ceguinho".
Não devemos, no entanto, perder qualquer oportunidade para...ridicularizar o "dito cujo".
:)

" e os portugueses, que são um povo mais do tipo mentalmente hospedeiro, o Benfica."


:D

Agora me lembro!
Conheço relativamente bem a Europa. É um continente fantástico, de uma riqueza e diversidade a nível cultural e étnico absolutamente fabulosa.
Apesar de tudo o que de bom (e mau) que ví...é sempre um momento de enorme alegria voltar a Portugal.
Este país é o que Fomos, é o que Somos e é o que Seremos.
Este país é o que é e está como está.
Mas é a nossa Casa, a nossa Gente e a nossa Terra.

(perdão pela "pieguice") :)

pvnam disse...

--> Toda a gente sabe que existem 'n' piadas em sentido contrário!

--> A questão de fundo é esta:
- NAZIS DISFARÇADOS DE ANTI-RACISTAS: nazismo não é ser alto e louro nem é defender a sobrevivência da sua Identidade... mas sim... a busca sistemática de pretextos para negar o Direito à sobrevivência de outros!
--> Anda por aí muito pessoal numa busca sistemática de pretextos... para negar o Direito à sobrevivência de outros!

--> Concluindo: não vamos ser uns 'parvinhos-à-Sérvia'.......... antes que seja tarde demais, há que mobilizar aquela minoria de europeus que possui disponibilidade emocional (e coragem) para se envolver num projecto de luta pela sobrevivência... e SEPARATISMO-50-50!...

lusitânea disse...

Hoje as invasões bárbaras têm direito a subsídio...

lusitânea disse...

Entretanto por cá os ex-descolonizadores devidamente entachados no Estado tudo fazem para que agora sejamos devidamente colonizados.E com direitos!

Anónimo disse...

RESISTÊNCIA!

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

O politicamente correcto é o progressismo que, por falta de sentido de humor, se transforma em reaccionário.

zazie disse...

É uma ditadura e tem Poder na ONU e na UE

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

O chefe berra com o funcionário, o funcionário chega a casa e berra com a mulher, a mulher dá um estalo no filho e o filho dá um pontapé no gato. O politicamente correcto é o pontapé no gato. Tem poder na ONU e na UE, mas esse poder não se exerce sobre a BP ou sobre a Goldman Sachs. Só sobre as pessoas de carne e osso, que são as que estão no fundo da pirâmide.

zazie disse...

O politicamente correcto é uma ditadura que consegue colocar o mundo às avessas naquilo que é muito mais profundo, nas tradições.

E é uma forma de policiamento tal e qual como o Dragão descreveu- permitem tudo em nome da liberdade para depois perseguirem e inventarem culpados.

A Goldamn Sachs não faz isto. Aquilo que faz é jogar sem moral, porque este é o terreno que a puta da "cidadania laica" já preparou.

E esta tem eleitos, onde eles também se incluem.

zazie disse...

O que está em baixo é igual ao que está em cima, e vice-versa.

O problema não é existirem bancos mas existirem lobbies e o politicamente correcto é um lobbie (gerido até pelos mesmos dos simulacros financeiros e de mão-dada com os neotrotskistas).

O grande paradoxo nesta destruição foi a escardalhada do mundo às avessas andar às cavalitas dos ogres que dizem combater.

zazie disse...

O politicamente correcto é a Inquisição dos nossos dias.

E mais cínica porque se apresenta como uma protecção aos coitadinhos e sempre com a mentira da democracia e da liberdade de expressão em pano de fundo.

zazie disse...

Mais outro:

http://desporto.publico.pt/Londres2012/noticia/suico-morganella-e-segundo-atleta-dispensado-por-tweet-xenofobo-1557002

Isto é falta de sentido de humor?

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

Não, não é falta de sentido de humor, é falta do mais elementar bom senso. Mas as duas coisas costumam andar juntas, e continuo convencido que a propensão de muitas pessoas para se levarem demasiado a sério é um ingrediente indispensável na poção mágica que transforma intenções "progressistas / humanistas" em comportamentos reaccionários.

JOSÉ LUIZ SARMENTO disse...

Uma das expressões favoritas do politicamente correcto é a famosa "tolerância zero." Como é que uma pessoa com sentido de humor poderia alguma vez adoptar esta aberração como regra de conduta?

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

José Luís,

Quando uma questão passa a ter leis na ONU e UE e vai ao ponto de devassar pessoas e as expulsar por aquilo que dizem no twitter (algo semelhante a conversa de telefone) ainda insiste que é um problema "das pessoas"?

Não foi "uma pessoa" que adoptou uma conduta. São lobbies poderosíssimos que se encavalitaram numa moda criada na América e que agora têm mais poder que a Justiça de um país.

zazie disse...

O que podia perguntar era outra coisa:

Como é que a partir desta tara se formam patrulhas de consciência e meio mundo tem medo de fazer qualquer brincadeira que possa ir para o Index.

Isto é o pensamento totalizante feito sob a capa de bondade e protecção aos coitadinhos.

E o que me assusta é que a imbecilização geral das pessoas transforma-as facilmente em matilhas.

zazie disse...

A tolerância zero, que me lembre, foi uma forma de combater as cavalgaduras do asfalto e quem a criou- o Manuel João Ramos, perdeu uma filha dessa forma.

Mas tem razão, o politicamente correcto desconhece a tolerância e transforma tudo em crime mesmo que sejam apenas bocas.

E se v. não perseguir os outros passa a criminoso.