sexta-feira, dezembro 07, 2007

Falta de ocupação, isso sim.

«Opinar sobre a sexualidade alheia é falta de educação», diz o Rui, num postal absolutamente certeiro que subscrevo integralmente, à excepção desta frase inaugural. Porque eu, com franqueza, diria diferente. Diria que, mais do que falta de educação, revela falta de ocupação e falta de sexualidade própria. E isto todo o "opinar" - não só sobre o pinar alheio, mas sobre tudo e mais alguma coisa. Acho que, bem vistas as coisas, a blogomania transformou-nos a todos num bando de comadres quadrilheiras, a gralhar à janela - e ao despique - a telenovela da TVI em que se transformou este país e, para guião dele, o próprio mundo. Sou sincero e por mim falo: acabo de escrever este postal apenas porque não possuo meios de fortuna para estar neste momento a rebolar-me com duas ou três ucranianas. Ou, pelo menos, com uma. Se houvesse já não direi justiça mas um mínimo de decência neste país, esta porcaria de estado parasita (que delapida o dinheiro dos contribuintes pobrezinhos com hordas de chulos e sanguessugas) armava-se de dois pingos de vergonha nas fuças e atribuía-me um justíssimo subsídio para tão indispensáveis fins. Medrava a humanidade e ganhávamos todos: ganhava eu, que me sentiria devidamente recompensado em vida; ganhavam as ucranianas, que seriam fogosamente afagadas até à morte (minha, claro está); e, sobretudo, ganhavam as pessoas que não teriam que arcar com o flagelo de ler os meus postais, os quais, tudo ponderado, não passam de escape para a minha legítima indignação, e retaliação pertinaz e juramentada ao, para além de gatuno, ignóbil incumprimento estatal. Dos milhares de milhões de injustiças que - a todos os minutos - se perpetram por esse mundo fora, e são todas elas clamorosas, nenhuma chega aos calcanhares desta. Pode até parecer que me insurjo e barafusto com as outras, mas é apenas esta que me preocupa. Onde está o meu subsídio? Repito -e jamais me calarei! -: onde pára a renda mensal a que tenho pleno direito? Em que pedofilias, sado-masoquismos, chuvas douradas, bichanices e outras mixórduras que tais, andam - os tarados que nos desgovernam - a gastá-lo?
PS: Notem que a pergunta final é retórica.

5 comentários:

zazie disse...

ahahahaha

Podes crer, é mesmo desocupação de porteira. Enquanto isto durar, eu e o musaranhos estamos barricados.
Foi decretada a proibição de abrir o browser a todos os blogues onde esta palhaçada decorra.

Anónimo disse...

Caro Dragão, sei que poderá ficar ofendido, mas sendo assim, como afirma, que com o subsídio se piraria, logo, não mais haveria Dragoscópio, então, que se lixem as ucranianas... que não haja subsídio...viva o flagelo... (já estamos habituados) :):):):):)
Carlos

lusitânea disse...

É isso Dragão.O mundo está cheio de injustiças.Aqui o nosso estimado governo deveria atribuir , logo à nascença, não só um diploma de engenheiro, como um subsídio de cidadania.Que desse para ser redistribuido conforme os gostos de cada um.Uns certamente fariam como Nero.Arranjavam uma grande piscina de leite com uns varões africanos como companhia.Nada a opôr.Eu seria mais como o democrata Kadafi.Uma companhia de seguranças femininas, escolhidas segundo os seus méritos claro, que serviriam, enmtre outras coisas para me aquecerem no inverno... como ele deve estar agora a fazer.Nisto estou de acordo com o MST.Sou invejoso!

xiribi tátá tátá disse...

Sempre metido com ucranianas, dragão?
Então e brasileiras não dá?

linfoma_a-escrota disse...

oh essa é fácil,
andam aqui:


WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM