domingo, outubro 14, 2007

Sem direito nem avesso



«Sou judeu. Eu e a minha família estamos muito gratos a Portugal e a Salazar pelo asilo que recebemos durante os anos terríveis da II Guerra Mundial.
Por isso não posso deixar de protestar contra o infame programa da SIC querendo denegrir esse grande Homem. Um figurão com orelhas de burro e sem um mínimo de dignidade, atreveu-se a dizer que "... Salazar não era português". Simplesmente fantástico! Soube depois que esse figurão era "advogado" (?) é uma figura grada do governo actual. Se Salazar "não era português", quem são para o tal figurão os portugueses? Serão os traidores, os espiões, os agentes do estrangeiro, os cretinos, os canalhas!
Tenha juízo! Respeite os portugueses. É lamentável que outros políticos não se tenham manifestado contra a asneira e a infâmia. Como Portugal se degradou, meu Deus!
Escreveu alguém, creio que Guerra Junqueiro, que "o povo português era um povo de escravos, tão infelizes, que se julgavam livres, e aplaudiam os seus senhores, os seus capatazes e até os seus carrascos". Os políticos actuais julgam-se muito espertos, e afinal não passam de escravos promovidos a capatazes.
Desde 1974 que o povo português é submetido a uma lavagem ao cérebro e serve de cobaia aos sociólogos da propaganda americana. É por isso que os anões não gostam de Salazar. Salazar era demasiado grande para a sua pequenez. Daí a causa da sua raiva paranóica"
Pela amostra desta infâmia da SIC e do silêncio de tantos, sou obrigado a concluir que todo o auxílio recebido de Portugal é unicamente devido ao grande Estadista e grande Português que foi o doutor Oliveira Salazar. Os "portugueses" de agora ter-nos-iam vendido aos nazis!
Deus acuda a Portugal, são votos de um judeu amigo de Portugal.»

- David Baumgarten

Pois se eles vendem a sua própria gente - o chão, a história, os antepassados, o futuro dos filhos - sem qualquer pejo nem escrúpulo, fará agora os judeus!... Embalavam-nos e exportavam-nos prá Alemanha, em menos de nada. Era só o "vento da História" dar-lhes de feição. Especialmente, estes judeolatras espalhafatosos -fariseus ululantes! - que agora lambuzam e hossanam o "povo eleito" apenas porque acham que é ele quem distribui as lotarias e joeira os convites. Fossem os mata-judeus a mandar e era vê-los num virote, numa lufa-ufa, a transferirem-se de almas e bagagens. Vira-casacas militantes? Nem isso. A trampa não tem direito nem avesso.
E perfeitos e zelosos bridões dos "torvelinhos históricos" só existem mesmo dois esmerados acólitos: o lixo da civilização e o fedor dos oportunistas.

6 comentários:

Anónimo disse...

Um judeu da Europa central que deu em skinhead português.

Anónimo disse...

A maioria dos canhotos (e alguns pseudo-qualQuerCoisaDeDireita) de Portugal não sabem o que é o fascismo, o social-nacionalismo, nem o que foi o regime totalitário de salazar. Se soubessem, pelo menos abominavam o que tambem verdadeiramente desconhecem: o comunismo e um dos seus heróis o che-che entre outros, que são bem piores do que os acima referidos...

A ignorância é terrivel. A desinformação não ajuda. E o que acontece é ver uns "anónimos" a chamar de skinhead a um suposto judeu... isto já não me espanta


Estebes Moscatel

Anónimo disse...

a confusão é geral, sacar é o fim em si mesmo, realmente a TRAMPA não tem esquerda nem direita, nem centro!

Anónimo disse...

O moscatel ainda ia.
Agora o estebes não estou para o aturar.

Flávio disse...

Algumas correcções ao que, por ignorância histórica clamarosa, disseram esse senhor Baumgarten e um dos comentadores anónimos:

a) Salazar emitiu em 1939 uma portaria que proibia expressamente a entrada dos judeus e apátridas em Portugal.

b) O regime do Salazar não era totalitário mas sim autoritário (vide o que o Professor Jorge Miranda escreveu a este respeito)

A.H. disse...

O flácido já nem a opinião dos seus "eleitos irmãos" respeita.

Daa-sse então como é? Andaram ou não por cá a passear os narigudos?
Decidam-se quer alho! Então as leis do ditador eram letra morta?