segunda-feira, dezembro 04, 2006

Uma questão de meios

Do que o mundo me ensinou, a esquerda e a direita não se distinguem nem nos princípios nem nos fins. É apenas nos meios. Quer dizer, um tipo é de esquerda enquanto não arranja meios para ser de direita. E em muitos casos, nem isso: ser de esquerda não passa duma forma desenrascada de arranjar meios para ser de direita.

3 comentários:

josé disse...

O principal fedorento, o que rapeia umas merdas, aparentemente e segundo confissão do próprio, será comunista.
Há pouco tempo, declarou que gosta muito de dinheiro e que os comunistas não são contra: são a favor de que todos o tenham...

Não será isso mesmo o que distingue a direita da esquerda? Ou seja, a solidariedade?
Uns, os de esquerda, são solidários nas desgraças; outros, os de direita, são-no na prosperidade. Vivem e convivem muito melhor com os anafados da sorte material...

É claro que o rapista, já não será bem de esquerda, mas solidário, lá isso será.

Anónimo disse...

que ganda labareda, dragão! e que cheiro a queimado...

A.H. disse...

Ehehehehe!
Correctíssimo.