sexta-feira, dezembro 01, 2006

Sushi's ready



O encontro entre Litvinenko e Mario Scaramella, nas palavras do primeiro. Cortesia do European Tribune:

"Encontrámo-nos em Picadilly Circus", disse Litvinenko. "O Mário disse-me que queria sentar-se para falar comigo, e eu sugeri que fossemos a um restaurante japonês próximo."
"Mandei vir o almoço mas ele não comeu nada. Parecia estar muito nervoso. Entregou-me um documento de quatro páginas que queria que eu lesse imediatamente. Continha uma lista de nomes de pessoas, incluindo agentes do FSB, que era suposto estarem relacionados com o assassínio da jornalista."
"O documento era um e-mail, não era nenhum documento oficial. Não consegui perceber porque tivera ele que fazer toda a viagem até Londres para mo entregar. Podia muito bem ter-mo enviado por e-mail."

Os e-mails deixam rasto. O problema é que o plutónio 210 também.
No xadrez, desporto muito do agrado dos russos (que eu próprio pratiquei quando jovem réptil alado e mitológico), há uma artimanha deveras usual: chama-se sacrifício. Neste caso, do peão.

6 comentários:

ch'an disse...

o sushi da foto tamb+em tem mau aspecto.

dragão disse...

Ao contrário da minha cara amiga, que o tem sempre excelente!... :O)

Mas note que de sushi não percebo nada e tenciono morrer sem provar tal mistela.

zazie disse...

Isto é tipicamente russo.

e a ch'an tem um ar tão engraçado
ahahah

O diabo do sushi põe-me logo a babar. nem dou pelo mau aspecto.
Se fosse comigo morria com dose tripla de envenamento.

zazie disse...

E ainda por cima, em local de luxo e pago, era morte súbita acrescentada de indigestão

A.H. disse...

ch´an? De quê? Tcharãããã...nha??
Esta moça é muito estranha!

Anónimo disse...

O Legionário estava enganado!?
hum!!!!