sexta-feira, setembro 07, 2012

Vista da porta da minha caverna,




As árvores (fora os eucaliptos), plantei-as eu, bebezinhas...

15 comentários:

mujahedin مجاهدين disse...

Rais parta os eucaliptos.

Um gajo tira uma fotografia em Portugal e parece que está na Austrália...

Xico disse...

Isso está mal, caro Dragão. Deu-lhe para pieguice?

Ricciardi disse...

Muja, nao diga isso. Benditos eucaliptos que me dão lenha para a caldeira nova que troquei pela modernissima a gasóleo que não posso por a funcionar porcausa do preço do combustivel que está a 1.45 euros e que me gastava uma fortuna porque fui enganado pelo governo há 12 anos que me garantiu que o preço do gasoleo de aquceimento nao ia subir mas subiu dos 0.30 euros para os 1.45 euros. aii.
.
Além disso é arvore que nao está com coisas. Cresce rapidamente e em força e, mais do que tudo, se a cortamos ela volta a crescer da raiz.
.
Cereja em cima do bolo, a australiana não entope, dizem, a chaminé da caldeira. Deve ser porque não é resinosa como o pinheiro.
.
Quer coisa melhor, caraças?
.
Só é pena a minha mulher nao gostar dessa arvore, porque senao punha a quinta toda a eucalipto. Ela só gosta de Carvalhos. Carvalhos pá. Que demoram 50 anos a ser alguém.
.
Rb

mujahedin مجاهدين disse...

A sua senhora é mais sensata que V., Rb.

Os eucaliptos dão-lhe jeito... Pois dão. A si, e muita gente, senão não os havia tantos por Portugal fora.

Agora lá porque uma peste dá jeito, não deixa de ser peste. Os eucaliptos são altamente prejudiciais à flora endémica portuguesa (ou o que resta dela). São árvores sôfregas de água e impedem o crescimento de outras espécies nas redondezas.

São extremamente inflamáveis e contribuem muito para os incêndios que vamos tendo.

Nada disto se passa com as árvores endémicas. Aliás, há uma estratégia de cercar os pinhais e eucaliptais com carvalhos ou castanheiros, para retardar a progressão do fogo. Mas a malta quer o dinheirito rápido... depois perde tudo.

E o Rb é que está a ver mal. Carvalhos e castanheiros, masi do que pinheiros, são dos investimentos mais seguros que pode fazer. Eu não sei ao certo quanto custa um pé, mas não é nada descabido pensar em lucros de 500% ou mais por cento, por árvore. Demora vinte anos, é certo, mas se pensar bem, não há produto financeiro que lhe chegue aos calcanhares... Nem em retorno, nem em segurança.

Essa porcaria de eucaliptos nem sombra dá...

mujahedin مجاهدين disse...

Aliás, no outro dia vi um americano a defender exactamente o mesmo, lá na televisão dos russos (Que na deles, só se fosse para gozarem com ele...)

Dizia o gajo que em se apostando num carvalho qualquer lá deles, cada pé saía a $5 e uma árvore adulta, ao fim de 15 ou 20 anos já não sei, nunca valia menos que $1000...

Ricciardi disse...

Concordo consigo MUJA. Estava a ver apenas o lado positivo da coisa.
.
Na verdade, agora que mudei o sistema de aquecimento da casa, andei pelos montes à procura de arvores para me venderem a madeira. E nos locais aonde antigamente andava de mota aos saltos e que era tudo mata de pinheiro e carvalhos agora é de eucaliptos. Até os meus trilhinhos foram abafados.
.
Pronto, é isso. Mas o eucalipto dá mais jeito para uma economia aonde a merda do gasoleo nao pára de subir e é boa lenha... fora se boa para papel.
.
A coisa tem que ser mais equilibrada, concedo, não pode o eucalipto dominar tudo, mas caramba eu tambem nao posso esperar 50 anos para o carvalho crescer. Tem que haver um equilibrio entre a economia de curto prazo e a de longo prazo.
.
Tenho para aí uns 20 Carvalhos e uns 40 Castanheiros. Enormes. E é engraçado que o MUJA tenha falado em investimento a longo prazo, porque uma das coisas que tenho pensado é investir na plantação de carvalhos para colher na reforma.
.
Ando até a ver terrenos para o efeito.
.
Agora, para me aquecer amanha preciso de eucaliptos, bolas.
.
Rb

Ricciardi disse...

Falou em 1000 usd. Pois eu estive a fazer contas e obtive a informação que a madeira é vendida nas fabricas ao preço médio de 50 euros o m3. Ora, se uma arvore com uns 30 anos tem uns 12 m3, então a coisa vende-se por... 600 euros, mais ou menos 800 usd. O que nao é muito longe daquilo que disse.
.
Rb

mujahedin مجاهدين disse...

Pois olhe que também eu ando a cogitar nisso ó Rb...

É que nessa merda não há cá brincadeiras com Wall St. nem nada dessas porras. Enquanto a gente conseguir conservar a árvore, o investimento está seguro.

Vá dando notícias de como lhe corre isso, ou se descobrir alguma coisa que valha a pena saber!

dragão disse...

Há uma lenda negra com o eucalipto. O eucalipto não bebe mais água que as outras árvores. Adapta-se é com mais facilidade - se houver muita ele bebe muita, se houver pouca ele bebe pouca. Existem imensas variedades; uma deles até é conhecida entre os anglosaxónicos como "red mahogany", que significa, mogno vermelho, o que só por si fala da qualidade da madeira.
Mas é verdade que entre nós campeia a neglicência, a incompetência e o desmazelo, no que à silvicultura concerne. Podia e devia ser uma dos negócios mais rentosos e florescentes do país. E o problema não está nos eucaliptos em excesso, ou, por falar em excesso, nos pinheiros. O problema está no défice de folhosas preciosas, entenda-se: carvalhos, nogueiras, sorveiras, aceres-sicomoros, freixos, faias, bétulas, amieiros, etc.
Em vez da madeira para pasta de papel, como o eucalipto e o pinheiro-marítimo, ou tanto quanto ela, devia investir-se em madeira para marcenaria/exportação que, neste momento, e cada vez mais, é vendida a alto preço.
Ricciardi, se eu fosse a si, em querendo um investimento mais valioso (e mais rápido), pensava em duas madeiras superiores ao carvalho: a nogueira e o ácer-sicomoro. Dão-se excelentemente entre nós, (quanto mais a norte, melhor), e valem quase o dobro do carvalho.
Há ainda madeiras exóticas de grande interesse (algumas mais rápidas que o próprio eucalipto, como a paulownia); o jacarandá (mas esta só a sul), etc.

dragão disse...

Nota: o ácer-sicomoro é aquilo a que os anglocoisos chamam de "maple". Toda a indústria de instrumentos musicais vive montada nisso. Eu sei do que falo porque tenho o passatempo obsessivo de construir guitarras (eléctricas, claro, puta que partiu o fado!)

Ricciardi disse...

Pode-se saber de que zona do país és MUJA?
.
estou espantado com os conheimentos da matéria florestal do dragão. Não o tinha em tão boa conta, embora não ja fosse má... mesmo tendo essa coisa entranhada contra judeus. Mas enfim, desde que percebi que foi um caso d amor que deu para o torto fiquei mais sensivel aos seus argumentos e, confesso, às vezes dou comigo a dizer epá, drgão, dá nesses pencudos caraças.
.
Rb

mujahedin مجاهدين disse...

Ahahah!

Eu por acaso não estou muito espantado. É evidente que um homem que possui a mestria da palavra e a cultura filosófica na medida que o nosso caro anfitrião as possui, é por força mestre de outros e variados conhecimentos.

Mas respondendo à sua pergunta, fique então sabendo que sou de Coimbra.

lusitânea disse...

O que se deveria cá dar era o pau de Cabinda.É que existe para aí tanto paneleiro...

zazie disse...

Phónix!

Duarte Meira disse...


Caríssimo:

Agradeço-lhe a boa notícia, no meio de tantas horríveis, começando pela dos fogos, este ano desde Janeiro.

Assim, não é só plantando por escrito que vai procura salvar o que nos resta;plantando árvores, combate os fogos terroristas que, desde o grande incêndio da Pampilhosa em 75, vão mantendo ao rubro o nosso inferno e reduzindo a paisagem ao quase contínuo pedregal que tínhamos no XIX (mas sem a seca).

Bem haja por tudo isso.