quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Os pobres, já que pagam as crises, que paguem também as favas

Havia uma máxima antiga que o meu pai me ensinou. Rezava assim:
«Quem não tem dinheiro, não tem vícios.»
Entretanto, foi remodelada. Segundo podemos inferir da retórica particularmente estridente da tele-burguesia esquizo-esquerdóide e campeã da abortadela por puro altruísmo, a nova máxima recauchutada será:
«Quem não tem dinheiro, não tem filhos.»
A ampla conquista, o deslumbrante progresso é que, em vez de ir despejá-los em vãos de escada, vai despejá-los em recipientes hospitalares, sob douta supervisão higiénica.
Não deixa de ser particularmente esclarecedor, como esta "esquerda de trazer por causa", mais a rataria atrelada, se preocupa imensamente mais com as condições em que as pobres abortam do que com as condições em que elas parem e têm que criar os filhos.
É toda uma súcia frívola, mimada e bacoca, para quem a ética é só um subproduto da cosmética.

13 comentários:

Anónimo disse...

fodasse

zazie disse...

Mas estás-te a esquecer do que recebem em troca: a liberdade, meu! a liberdade!

pirilau disse...

ora, ora isto é que vai uma conversa!

o dragão devia era postar fotografias de deliciosas raparigas e o resto que se f...

Erecteu disse...

Azedo mas não desprovido de alguma razão.

O problema está nas razões do aborto.

Se a esquerda descobrisse a pilula do dia anterior é que fazia bem, estou de acordo até lá contenta-se em labutar para que as abortadouras não sejam condenadas

Poderia encetar uma campanha para a instituição do "Certificado de uso de direito de queca", obtido a partir do princípio genérico:
- Sem f - um sm;
- c/ 1 filho - dois sm;
- c/ 2 filhos - três sm
...
- c/ n filhos - n+1 sm

Aplicada a formula em que
sm = salario mínimo,
mulher que não tivesse guito não quecava à espera de aumento.

Excluídas as razões económicas, quem enchesse era obrigado a parir.
PUTA QUE O PARIU, era uma boa né?

Anónimo disse...

repetindo o anterior, azedo mas não desprovido de razão. e a razão que assiste ao dragão é que a direita que se acoita no governo e à qual o Dragão chama esquerda de trazer por casa não se preocupa com as condições em que elas parem e têm que criar os filhos.
mas a solução , caro Dragão , é deixar continuar a prática do aborto nas condições que todos conhecemos e me dispenso de comentar?

A.H. disse...

Fdx, que corja de vermes.

É o car.... da liberdade ó Dragão. Mas um dia vai-lhes sair caro. Vai vai!

Eu também quero a liberdade, para lhes fo... a vida.
Toda a gaja que eu descubra que vai fazer um aborto, vai ser logo é queixa-crime à "bofia". Vou ser mais "escuteiro" que o judeu encartado buiça a defender os amigalhaços do sião.

dragão disse...

Vamos lá a ver, caro Erecteu:
O aborto de vão de escada é o problema ou um dos efeitos do problema?

A.H. disse...

Das 10 as 12 semanas vai ser dificil provar seja o que for, mas a partir dai já não. Cadeia logo!

Os esquerdoides ão-de guinchar como porcos que são.

pirilau disse...

o judeu buiça não gosta de gajas?

elas que venham, elas que venham!

Akher disse...

A.B, Não me confundas!
O Manuel Buiça não é aquele que matou o Príncipe real D.Filipe?
Bolas, bem dizes tu que por aqui "dragam-se" todos! Começo a sentir-me dragada de todo!

Akher disse...

Olha,, A.B, a esse propósito, lembro-me do que escreveu Guerra Junqueiro: (...) Mataram? É certo. Ferozes? Sem dúvida. Mas cruéis por amor, ferozes por bondade.(...)
Ehehe, Fantástico!

ringthane disse...

Muhaha! Dizia um amigo meu que só obrigando-as a parir. E não? Foda-se que cultura do sabonete. Voto não e hei-de votar quinze vezes.

Anónimo disse...

o buiça que matou o rei e o filho era da carbonária e este buiça do blogue é dos serviços secretos de israel.