terça-feira, dezembro 11, 2012

Lisbon Sunset



O tempo de escrever para o boneco e falar para as paredes está a chegar ao fim. Outro tempo, um tempo mais antigo e demiúrgico prevalece: o tempo de voltar a escrever para o baú. Gastei nove anos da minha vida a falar aos presentes. Não me poderão acusar nunca de não ter pago tributo. De não ter descido à polis. Resta-me agora sacudir o pó das sandálias e, se voz alguma tenho ou pena me resta, ir falar aos vindouros. Eu e, mais do que eu, os antepassados que em mim reverberam.
"Esperos", no grego, significa isso mesmo: entardecer, poente, oeste. E, todavia, é nesse entardecer, nesse findar da luz que nasce a esperança - a espera pela manhã de um novo dia. Por isso se diz (digo-o eu, pelo menos) que a esperança, na etimologia tanto quanto na vida, é filha do crepúsculo. É assim, é cíclico, eterno. imune e inexorável. Desde o princípio dos tempos...  Se é que no Tempo o princípio e o fim se destrinçam.

14 comentários:

Anónimo disse...

Não acredito! Não pode ser.
Maria

Anónimo disse...

...está a chegar mas ainda não chegou. O abandono ainda é punível, abraço.

zazie disse...

Pois então escreve e, quando quiseres intervalar, largas aqui umas baforadas.

Beijocas

José Domingos disse...

Desculpe! E nós..............

Anónimo disse...

Os porquês?...
Não quero vê-lo assim tão diferente
Não parta desta vez para mais longe,
também deixou poemas a toda a gente
e a mim uma ameaça em que eu não creio mais uma vez.

Um Abraço

Takitali

PS. Ouvindo o J Braga e os 3-1 em Alvalade lembrei-me do poeta J F Vital.
Neste mês também recordo o Dragão:
http://dragoscopio.blogspot.pt/2003/12/natal.html#links

Pedro Barbosa Pinto disse...

Link para o baú, please?

Anónimo disse...

Desculpe o desabafo egoísta, mas...ora gaita...

Anónimo disse...

Ó homem a gente gosta muito de o ler. Até pomos de lado a sua faceta monárquico/salazarista e continuamos a ter um enorme gosto de ler os seus escritos. Porque você tem uma cultura clássica apreciável e porque a sua argumentação é doutro mundo.
Deixe-se disso. Força no pandeiro.

Anónimo disse...

Já só falta "epitetotetarem-no" de socialista. Nheda-se...

solage disse...

Ou como escreveu um europeu dos veros:

Ma fin est mon commencement

Euro2cent disse...

Ave atque vale

(pode não haver insubstituiveis, mas não sei quantos vão ser precisos para chegar perto do que a simples página das últimas semanas nos dá. Obrigado)

Anónimo disse...

"Ó homem a gente gosta muito de o ler. Até pomos de lado a sua faceta monárquico/salazarista e continuamos a ter um enorme gosto de ler os seus escritos."

assino por baixo

o papa-hóstias

r disse...

Acaso seja um fim "definitivo", boa e tranquila caminhada.

Álvaro Queirós disse...

:(