terça-feira, agosto 19, 2008

Dinheiro e caramelos

«Back during the Nixon years, my Ph.D. dissertation chairman, Warren Nutter, was Assistant Secretary of Defense for International Security Affairs. One day in his Pentagon office I asked him how the US government got foreign governments to do what the US wanted. "Money," he replied.

"You mean foreign aid?" I asked.

"No," he replied, "we just buy the leaders with money."

It wasn't a policy he had implemented. He inherited it and, although the policy rankled with him, he could do nothing about it. Nutter believed in persuasion and that if you could not persuade people, you did not have a policy.

Nutter did not mean merely third world potentates were bought. He meant the leaders of England, France, Germany, Italy, all the allies everywhere were bought and paid for.

They were allies because they were paid. Consider Tony Blair. Blair's own head of British intelligence told him that the Americans were fabricating the evidence to justify their already planned attack on Iraq. This was fine with Blair, and you can see why with his multi-million dollar payoff once he was out of office.»


Portugal, em contrapartida, sai-lhes barato. Consta que pagam em caramelos, chupa-chupas e, uma vez por ano, ao ornitorrinco mais histérico, viagens à Disneylandia.Em resumo, é toda uma direita-chiclet a arder em fornicoques de ascender a direita-smartees.

7 comentários:

josé disse...

Directamente ao assunto:

Os USA, através do sinistro embaixador Carlucci, deu dinheiro, em montante significativo e usado pessoalmente, a Mário Soares?

É uma das minhas interrogações com anos de vida.

Dragão disse...

Não te interrogues mais, José, caro amigo. Deram e não foi pouco. Tão certo como o sol nascer amanhã.
Mas no tempo do Marcelo também já havia muita gente a receber e a tratar do futuro.Até na Pide/DGS, imagina lá tu.

josé disse...

Quer isso dizer que temos um salafrário que foi presidente de "todos os portugueses" que se queixou porque o acusaram de ter pisado a bandeira nacional em Londres e afinal, recebeu "main basse", pela calada, maquia de valor, para tratar dos assuntos a contento dos americanos?

Acusação grave, meu caro. Cuidado porque o gajo é dado a coisas de vingança.

E o problema com o Carlucci não está ainda bem definido. Falta aí uma coisa qualquer para se perceber melhor.

Problemas menores, nessa altura. Actualmente, explosivos, segundo parece...

Se isso fosse verdade, comprovada, o Carmo caía. A Trindade, só depois disso. Mas também vinha abaixo.

Dragão disse...

Não te preocupes: se ele me desafiar a provar que meteu dinheiro ao bolso, eu desafio-o a provar que não meteu.
:O))
Em todo o caso, num país de videirinhos, de safados e de habilidosos, dizer que a criatura se orientou não constitui menoscabo, mas atestado de cidadania. E de fidalgura!
Ou não estivesse ele matriculado no Grande Oriente.

Ruy disse...

Ui, que escândalo!! A América compra líderes de países aliados para poder espezinhas países inimigos!
Mas afinal, que raio de moralismo beato e hipócrita é este? Mas qual foi a potência, na História, que não recorreu aos meios necessários para exercer poder?
Mas será que alguém hoje ainda fica escandalizado por saber que Soares recebeu dinheiro dos americanos? Por amor de Deus! Então quem é que havia de enfrentar o PCP? Já agora, foi a mando dos americanos que o Soares entregou África aos soviéticos??????

josé disse...

Ruy:

O dinheiro dos americanos era para o Soares ou para o partido do Soares?

Ou será que o Rui Mateus é um nome fictício?

Ou será que é a mesma coisa, esse tal Soares e o partido que o carrega?

Ruy disse...

Para os americanos, a mesmíssima coisa.