quinta-feira, março 24, 2016

E nem foi preciso cesariana

17 comentários:

Paco Nassa disse...

Para ter uma vida de alto luxo....só precisava de ter como orçamento pessoal a quantia que o cavalheiro em causa gasta em laca por mês!
:-)

Ricciardi disse...

Pronto, o dragao esbardalhou-se. Apostava tanto no Donald, e o homem tem a lata de afirmar que protegerá Israel das maluquices dos terroristas que o Irão financia, acarinha e engrandece.
.
Sendo assim, se o Donald, uma vez em toda a campanha, defende coisas boas e saudáveis, é normal que a putrefacção e a pestilencia que o acompanhavam fujam imediatamente.
.
Rb

muja disse...

Sim ele disse que ia protegê-los de todas as ameaças imaginárias que ameaçam imaginariamente a potência nuclear israelita.

Acho que faz muito bem.

Ricciardi disse...

Tao imaginárias que até chegaram a negociar abdicar do enriquecimento do urânio por troca do fim dos embargos. Tão imaginário que ficaram chateados por Israel ter introduzido um vírus nos sistemas nucleares e atrasado a produção.
.
Tu é que tens imaginário nessa cabeça. Ele há cada tone.
.
Rb

João José Horta Nobre disse...

«E a montanha pariu um rato...»

Não se precipitem, ainda é muito cedo. Pode tratar-se de uma mera estratégia de Trump para assegurar o apoio dos sionistas de forma a vencer as eleições, depois quando tiver a vitória na mão, manda-os dar uma curva.

O Trump não é estúpido e já demonstrou ser muito bom em termos de estratégia. Querem o quê? Que o homem declare guerra a Israel abertamente? Acham que assim é que ele ía conseguir vencer???

Bem, essa foi a estratégia tresloucada do Hitler e acabou como acabou...

Há que ser rato nestas coisas, especialmente quando se está a combater um inimigo infiltrado em tudo o que é sector estratégico...

Mas também há que não obcecar com o sionismo, porque o que não falta por aí, é muito cristãozinho e católico que faz tanto ou mais mal ainda do que os sionistas fanáticos.

Digo-o sem rodeios: tenho mais medo de alguns cristãos, do que de muitos sionistas...

muja disse...

Quer-se dizer, Israel - que tem armas nucleares, não subscreve qualquer tratado de proliferação de armas nucleares, químicas ou biológicas, sendo de presumir que também tenha destas duas últimas; caga e mija pela convenção de Genebra abaixo de cada vez que realiza uma operação de limpeza étnica, perdão, militar - tem poder para impôr embargos - ou melhor, obrigar outros a imporem embargos - e introduzir vírus para sabotar a indústria dos iranianos, mas os tristes embargados e inoculados é que são a ameaça?

Ahaha, vai intrujar pretos ó tone, que isso não dá para mais. Ao menos ao pé deles sempre consegues parecer um tampinhas. Aahaha!

muja disse...

Ó João Nobre, um inimigo infiltrado?!

Dir-se-ia antes fazer a guerra por mar a Neptuno...

Os únicos obcecados com o sionismo são... os sionistas. Curiosamente, a esses ninguém lhes diz que estão obcecados.

Além do mais, nesse "tone" aspirante a esferográfica de eleição que por aqui se manifesta nos intervalos de intrujice aos pretos, o que me move contra ele não é o sionismo hipócrita e atrevido quando são os israelitas contra os outros. É o anti-portuguesismo militante quando se trata dos outros contra nós.

Que sejam sionistas à vontade, e até à vontadinha. O que não podem é ser anti-portugueses. Aí, temos problemas e não há convivência, conciliação ou cooperação possível. Curiosamente, uns acabam quase sempre por ser os outros e não é preciso insistir muito para se revelarem.

Por isso veja lá... Nutra aí simpatias por quem quiser. Mas se é para preferir as pátrias dos outros, ainda por cima contrafeitas, à nossa, simpatia daqui não leva nenhuma.

João José Horta Nobre disse...

«Os únicos obcecados com o sionismo são... os sionistas. Curiosamente, a esses ninguém lhes diz que estão obcecados.»

Desculpa, mas há gente que é completamente obececada com sionistas e vive num Mundo de realidade paralela em que vê um sionista ao redor de cada esquina...

«Por isso veja lá... Nutra aí simpatias por quem quiser. Mas se é para preferir as pátrias dos outros, ainda por cima contrafeitas, à nossa, simpatia daqui não leva nenhuma.»

Onde é que eu alguma vez escrevi que prefiro as pátrias dos outros à minha?

dragão disse...

Bem, ó caro Nobre,

para já temos um rato. Um rato que ruge.

Vamos ver.

Mas não sei até que ponto será uma boa táctica um tipo ir armar em rato no meio de cobras.

RIP

dragão disse...

Aquilo que se passou no Aipac não passa duma reposição perversa (como tudo o que os refina e obsidia) de algo que se passava na Idade Média: chamava-se "prestar vassalagem".


João José Horta Nobre disse...

«Vamos ver.»

Exacto, é isso que eu ando a dizer desde o início, aliás, eu até era extremamente pessimista em relação a Trump como pode ver aqui:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/01/ja-caiu-no-ridiculo-e-nao-faz-efeito.html

Agora dou-lhe apenas o benefício da dúvida até provas em contrário. Vamos ver.

João José Horta Nobre disse...

«Aquilo que se passou no Aipac não passa duma reposição perversa (como tudo o que os refina e obsidia) de algo que se passava na Idade Média: chamava-se "prestar vassalagem".»

Lá está, temos de esperar. Pode ser só teatro da parte do Trump. É preciso esperar para ver...

dragão disse...

«Desculpa, mas há gente que é completamente obececada com sionistas e vive num Mundo de realidade paralela em que vê um sionista ao redor de cada esquina...»

gente claramente delirante e sem tino, esses obsessivos. Os sionistas, toda a gente sabe, são gente extremamente ocupada no interior de edifícios importantes: não perdem tempo encostados a esquinas. Mesmo os proxenetas sionistas, que os deve haver em quantidade apreciável, não são são nenhuns pelintras de esquina: locomovem-se seguramente em potentes bólides, supervisionando com olho de lince todo o seu ambulante empório.

Maria disse...

Estive a ver o vídeo. Há algo de muito estranho nesta atitude recente de Trump de começar a apoiar o Estado de Israel. Muito estranho mesmo. E daí... Naquele país qualquer político ou aspirante a governador ou a presidente, que esteja contra os sionistas, polìticamente não tem qualquer hipótese de chegar a lado algum. Há que esperar para ver o que provocou esta recente e repentina reviravolta discursiva de Trump e até onde a mesma o vai levar. Mas que é estranha, lá isso é. Ou será que afinal não há nada que estranhar tendo em conta o modo enviesado como é governado aquele país?
Não esquecer que a filha de Trump é casada com um judeu e isto quer dizer mais do pode parecer. O seu apoio a Israel - e não é de crer que alguma vez o tivesse expressado tão veementemente como agora - desta ou de qualquer outra maneira visível, ter-se-á porventura materializado nesse mesmo dia, com vista a um possível futuro político quase de certeza prometido pelos pais do noivo. Já imaginaram o que significa ter um sogro na presidência dos E.U.da América e mais tarde o próprio genro vir a assumir o mesmo cargo? Os judeus da família (e os de todo o mundo) ascenderiam finalmente aos píncaros do poder político que toda a vida este povo, desde a fundação daquele país, vem cobiçando com uma gula difícil de disfarçar e que jamais conseguiu alcançar.

Não esquecer, ainda e também, que nenhum candidato chega à Casa Branca sem ter o consentimento expresso dos bilderberg's/governo secreto, além de ter que assistir às suas reuniões também secretas. E se houver alguém que, contra os mais poderosos obstáculos com que se depare, consiga ultrapassá-los e chegar a esse alto cargo e se esse alguém cair no imperdoável 'crime' de se confessar cristão ou católico (e se for praticante, pior um pouco) é mais do que certo que terá os dias contados.

Lembram-se dos pouquíssimos cristãos e católicos que lá conseguiram chegar e o trágico destino que tiveram? Pois.

É bom que tenhamos presente que os Estados Unidos (e presentemente todas as democracias mundiais) não são governados pelo presidente e demais senadores eleitos, mas sim pelo governo mundial/sionista não eleito - palavras acertadas de David Duke.

Outra coisa que não é de somenos. Já se pensou por um momento que esta estratégia iniciada por Trump pode ter sido prèviamente gizada por quem governa, nas ante-câmaras, os E.U., com o seu consentimento (ou forçado a isso)? Ou, se não, poderá ele ter sido ameaçado a mudar depressinha de discurso...or else...? É que esta gente é vingativa ao máximo e acaba sempre por ajustar contas com toda a gente que fale contra eles, até aqueles poucos judeus que, inteligentemente, se têm revoltado contra certas medidas políticas (Norman Finklestein e outros) e decisões bélicas (um general ex-combatente e herói israelita cujo nome não me ocorre de momento) que aquele povo tem vindo a tomar e a desenvolver desde há décadas.
Os judeus odeiam todos os povos do mundo. E não raras vezes até o seu próprio. A verdade é que eles odeiam todas as raças, que consideram inferiores à sua. Eles odeiam o ser humano como tal. Numa palavra, eles odeiam a humanidade.

Como em tudo na vida existem excepções neste padrão, são as que confirmam a regra.

muja disse...

Entretanto, na terra prometida:

http://www.egaliteetreconciliation.fr/Un-soldat-israelien-execute-un-assaillant-palestinien-desarme-et-blesse-38513.html

Anónimo disse...

Meus caros,

O que o Trump pensa não sei.

Subscrevo as ideias do sr. Horta, excepto na parte do sionismo, pois é de longe o pior cancro que este planeta já viu e só existe porque é apoiado por outros.
Os cristãos, muitos , senão a grande maioria fazem parte do problema.

Uma coisa eu sei: Cá se fazem, cá se pagam. Essa gentalha um dia sai-lhes a "rifa premiada". Já tiveram vários avisos. Lamentável é termos todos de pagar quando chegar a altura.
Enfim, talvez seja merecido, pois os piolhosos só por si nunca conseguiriam causar o estrago que causam sem ajuda desse bestume com aspecto humano que por aí anda à solta, e vão-nos levar à desgraça colectiva.

Convenço-me cada dia mais que os semitas e especialmente o seu "deus" são o pior mal que ameaça a humanidade. Na verdade não são eleitos por nenhum deus mas exactamente o oposto.

Avé Cesar.
E feliz primavera

Anónimo disse...

Feliz Primavera?
Os new-age são cá uns patuscos. Então e o feliz solstício, que é dele?