sexta-feira, fevereiro 27, 2015

Bizarrias culturais

54 comentários:

zazie disse...

O mais estranho é que estes rituais eram os mesmos dos malucos dos cagotos medievais

Ricciardi disse...

O prepúcio sagrado (de Cristo) fez um furor que vos vou contar:
.
«Os soldados trouxeram uma rapariga virgem perante o relicário e, alegadamente, o prepúcio exibiu as suas propriedades milagrosas ao aumentar de volume de forma considerável.»
.
Incrível. Um prepúcio que incha com a aproximação de uma virgem.
.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Prep%C3%BAcio_sagrado
.
Mas dizem que o ritual de Cristo foi à navalhada. Não foi à dentada. Deve ser como trincar orelha de porco, digo eu, mas não sei, isso são coisas que é melhor perguntar ao Mujinha que está sempre dentro deste tipo de assuntos.
.
Apesar de ter sido instruído, por sinais de fumo da tribo, a não me dirigir a palavra, eu fico triste por outra coisa: acabou-se o meu divertimento favorito. Pronto, temos de seguir em frente. Mas estou desolado.
.
Anyway, ele há outros rituais meios sanguinários na opus dei. Mas as carmelitas tambem praticam algumas mortificações.
.
Isto de cortar o prepúcio é mesmo do caralho.
.
Rb

Ricciardi disse...

Mas também ainda há muita coisa que se pode utilizar para o fazer mudar de ideias e voltar à função.
.
Sei lá, elaborar a hipótese do chefe genial ter sido gay. Se keynes foi provavel rabeta, e isso não o impediu de ser um génio apreciado, porque raios seria uma ofensa alvitar tal hipótese com o nosso próprio génio?
.
Outra hipotese é dizer que o nivel de escolaridade dos pretinhos da ex-colonia de angola aumentou estrondosamente face à escolaridade dos pretinhos dos tempos do outra senhora. Este argumento é potente e fá-lo-à, num ataque imprudente, sair da toca onde o aconselharam a meter.
.
Mais, xacáber, podemos sempre achincalhar os amigos do peito. O coiso de bigode Sírio, casado com aquela brasa, o Assan. Ou o Iraniano mu%&$&/in.
.
Se disser que são gajos que pertencem ao eixo do mal, deve ser suficiente. E se não for basta elogiar os Americanos que aí, é certo, ele reage.
.
Preciso de mais ideias, a bem do rbzão.
.
PS. Outra hipotese, e esta é quase garantia de sucesso, será esfregar-lhe a convicção profunda e imaculada da inocência do Sócrates. Ele de facto não corrompeu a juventude. Isto deve servir. Vamos ver e vamos aperfeiçoando e testando novas técnicas e aprender com os erros.
.
Rb

Ricciardi disse...

Relativamente ao post, pronto, olhe, tambem partilho a estupefacção.
.
Imaginar a nossa pilinha sujeita aquelas sevícias dá cá uns arrepios pela dita abaixo que nem vos conto.
.
E depois, bem, e depois um gajo é obrigado a imaginar o moço que trinca a pilinha dos bebes com o prepúcio deles na boca, a escorrer sangue (?):
-O que faz com ele?
-Cospe-o à bruta como os trolhas mandam biscas?
-Para onde?
.
São questões pertinentes, dedicadas a um assunto blogueiro pertinente.
.
Rb

inphinitorumdotcom disse...

Já os romanos no fim da terceira guerra judaica-romana proibiram a prática, equiparando a circuncisão à castração e ainda andam nisto...

A tal da Diana não queria deixar circuncidar a prole, vá se lá saber porquê!

Cá para mim as práticas bélicas do sionismo são derivadas de tal acto:

http://www.doctorsopposingcircumcision.org/DOC/statement06.html

Atentem no parágrafo "Social Effects"

dragão disse...

Intrigado, fui consultar as perecntagens mundiais de praticantes...
Sendo os judeus os mais compulsivos com a coisa, têm todavia abundante e honrosa companhia: os muçulmanos, África e os Estados Unidos. Quer dizer, judeus, islamicos, evangélicos e animistas em geral. Realmente, um tipo até começa a interrogar-se se o raio da circuncisão não inclinará à selvajaria.

Vivendi disse...

Judeus deixam a Europa

http://visao.sapo.pt/judeus-deixam-a-europa=f811445

Vivendi disse...

Era judeu...

http://rt.com/news/236363-nemtsov-killed-politician-moscow/

Ricciardi disse...

“The Ten Commandments have lost their validity. Conscience is a Jewish invention, it is a blemish like circumcision.” - Rauschning, Hitler Speaks, p. 220
.
A não ser que Hitler tenha sido circunsisado, e todos aqueles selvagens de elite pela história afora que mataram aos milhões, a tese de que a circunsisão é a base para a selvageria não colhe. Só mesmo por manipulação das estatisticas que este blogue, e bem, expõe logo na 1ª página uma citação de Twain.
.
Eu sou muito mais básico e observo que para amansar os animais corta-se a tomateira. Cortar o prepúcio deve ir na mesma senda de amansamento.
.
A circusisão tem talvez origens religiosas. Ou a religião é que pode ter aproveitado essa prática e já nems e sabe bem se uma pratica devem da outra ou vice versa.

Anyway,sSimbolicamente seria um pacto com Deus para Ele conhecer o seu povo. Balelas, portanto, Deus não precisa de sinais no corpo.
.
A ideia não é então religiosa nem por questões de saúde. É mesmo uma tentativa de domesticar ou amansar alguns hábitos da miudagem. Pensariam que cortar o prepúcio a rapaziada 'tocaria menos vezes ao bicho'.
.
Taradices de quem toca ao bicho amiúde e pretende limitar esse prazer aos pobres dos rapazes que tem as hormonas aos saltos.
.
Alguns muculmanos até conseguem ir mais longe e cortar o clitoris às raparigas.
.
Enfim.
.
Rb

Ricciardi disse...

Em suma, A Igreja condenou e condena a tocação ao bicho. É um pecadinho. Levas uns pai nosso e umas avé maria de multa para aprenderes a não confessares tudo ao senhor padre. Os judeus e mulculmanos são mais radicais. É pecado e vamos dificultar a actividade cortando parte do instrumento de prazer.
.
Pronto, como parece que o prazer aos rapazes, afinal, não é retirado com a circusisão, o pessoal não contesta e até aproveita a ocasião para fazer uma festa.
.
Com as moças a coisa já configura uma doença mental. Corta-lhes o clitóris é coisa definitiva e monstruosa. Mas pronto, a cultura é esta. Há pessoas que ainda se consideram proprietárias dos filhos pequenos. Decidem por eles coisas radicais.
.
Rb

Ricciardi disse...

Eu não nasci a rir como o Buda. Mas assim que me despejaram água benta pela cabeça abaixo, curiosamente, diz a minha maezinha, que me ri com intensidade. Aos soluços de tanto rir.
.
Para castigo, uns minutos depois, desatei a chorar e até o senhor padre teve de interromper a cerimonia. Precisamente, porque parece que fiquei fascinado com uma vela que a minha madrinha segurava e botei o dedinho na chama.
.
Rb

Ricciardi disse...

Portanto, sempre no contra. Quando o habitual é chorar eu rio. Quando devo rir eu choro.
.
É o meu primeiro principio orientador da vida. Estar fora das tendências. Dos clãs.
.
Já o meu paizinho me dizia, oh Rbzinho seu preguiçoso, ainda não estás pronto para o jantar de gala?olha bem para o que te vou dizer (nunca mais me esqueci disto):
-Quando o teu corpo te pede descanso, dá-lhe trabalho e quando te pede trabalho, dá-lhe descanso. Habitua-o a obedecer-te na altura e quando a tua cabeça quiser.
.
De forma que, quando acordo cansado e molengão, vou correr pela praia afora até lá ao fundo da ilha. Quando acordo cheio de energia, deito-me ao sol.
.
É boa táctica. E resulta. Vão por mim.
.
Rb

zazie disse...

Hasdai Crescas fala disso- Deus é o vazio infinto- o Lugar no mundo. A circuncisão é um sêlo no corpo- uma marca, uma abertura para essa ligação com o incomensurável.

inphinitorumdotcom disse...

Ricciardi,

Por tal prática não ser a causa mor (da selvageria), logo não invalida a tese e seus efeitos.

Mas desbravando bem a coisa, não é que elas (judias) não sendo circuncidadas, são mais selváticas que eles. Como a Ayelete...

Aprofundando a história do rito nos US, descobri um personagem bem demente! Seu nome: Abraham L. Wolbarst

http://www.icgi.org/medicalization/

Prepúcio meu :=

Sugeria também que processa-se seus progenitores, por lhe darem uma consistência tão malandra.

Vá por mim, que ganha...

:O

inphinitorumdotcom disse...

Ainda estou perplexo das vezes que estes tipos tentaram instaurar a prática massiva ao redor do mundo, só comparando com a exportação de regimes democráticos dos States

"Circuncision is a solution in search of a problem" Edward Wallerstein

Só acrescento: ... problem mental.

Ricciardi disse...

«Por tal prática não ser a causa mor (da selvageria), logo não invalida a tese e seus efeitos.
.
Uma lógica retorcida: se uma coisa não é causa, os efeitos da causa devem-se à coisa? Hummm
.
Mas desbravando bem a coisa, não é que elas (judias) não sendo circuncidadas, são mais selváticas que eles»
.
Está a ver? A coisa não tem nada a ver com os efeitos da causa.
.
«Sugeria também que (processa-se) seus progenitores»
.
Sugiro que o faça aos seus professores se estiverem vivos. Os mortos não podem ser processados.
.
Rb

dragão disse...

È evoidente que eu estava meio no gozo. Não posso falar com conhecimento pessoal de causa, mas deve ser traumatizante experimentar lâmina em certos sítios.
Como fenómeno cultural pode ser objecto de estudo comparativo (e as estatísticas servem como indício não como ciência da verdade)...
No caso que está na origem do postal, e daí eu ter postado, o que achei significativo e passível de uma análise mais atenta, é o cuidado que o sacerdote tem com o "sangue"... Como se o sangue constituisse algo de sumamaente precioso, daí que o mesmo órgão que processa a "palavra de Deus" - a boca do rabi -recolhe o sangue.
Isto sou eu a conjecturar, bem entendido. Aquilo tem um real significado (que seja qual for, é respeitável e digno de estudo antropológico).

zazie disse...

Pois é. O Gil Vicente falou um pouco nisso.

Eram as vegias- as vigílias com brutas bebedeiras em que até participavam os cristãos. Serviam também para afastar o mau-olhado às crianças.

Há-de vir dessa ideia de HaMakom- do vazio- porque para eles Deus é transcendente e imanente.

Ricciardi disse...

«... é respeitável e digno de estudo antropológico»
.
Trincar a pilinha alheia não me parece aceitável, nem respeitável. Que façam como aquele vocalista ard rock, cujo nome me escapa, que cortou umas costelas dele próprio para poder chegar com a boca à pilinha. Que trinquem a deles, portanto.
.
Digno de estudo? para quê? Parece um ritual satánico, tem um fetiche com o sangue (satánismo)... só pode ser coisa satánica. Mesmo que, os que o fazem, nem o percebam e sejam anjolas. É o efeito de manada.
.
Rb

zazie disse...

Mas o facto de ser festa que incluia os "gentios" os goyim, tem piada e os judeus da península Ibérica podem ter tido grande importância na propagação dessas vigílias.

Porque isto aqui era deles. Sem problemas- fadas, astólogos, toda essa malta de que fala o Gil Vicente era coisa deles misturada com cagotos.

zazie disse...

A ligação deles com o sangue é como com o alcool- muito proibida mas muito apetecida

":O)))))

zazie disse...

Os católicos simbolizaram a coisa na missas com o vinho e pronto.

Têm Cristo que preenche os vazios deles.

dragão disse...

No fundo, o Rb é um anti-semita que ainda não saíu do armário...
.O)))

já percebemos que não gosta de estudar. É mais fácil mandar bocas. Geralmente, sem pensar muito antes...

O sangue não é uma coisa que "pertence" à criancinha: pertence à tribo. Há "pactos de sangue", nunca ouviu falar?...
AS Testemunhas de jeové também cultivam uma verdadeira paranóia com o sangue. Bem como inúmeros povos arcaicos e contemporãneos que mant~em certas tradições, nomeadamente em África. Aí em Angola, existe uma coisa nos Quiocos chamada Mucanda. Altamente complexa, aliás...
O filisteu moderno é que acha que tudo deve ser reduzido a uma produção insdustrial, em regime de aviário... Como os "homens por excelência", por exemplo.

zazie disse...

Ele é um judeu fantástico e deve ser de importação.

Então como é que sabe que é judeu se nem leu o Thesovoro

ehehehehe

A Thora era ensinaa ao filho varão. O ritual era o primeiro momento de iniciação tribal.

Pelos vistos ele entrou na tribo de forma postiça.


dragão disse...

Corrijo:
o RB é uma anti-semita com uma perna fora do armário e outra lá dentro. Em suma: Um entalado - un autêntico Martim-Moniz da coisa.

:O)))

zazie disse...

AHAHAHAHAHA

Ricciardi disse...

Nada disso. Incomodam-me certos rituais e regras dos clãs, instituções ou religiões. Só isso. Seja a religião que for, incluindo a minha prória, a Católica.
.
Olhe, por exemplo, os Templários tinham um ritual de iniciação onde eram obrigados a cuspir na imagem de Cristo.
.
Isto é simplesmente um contra-senso. Luciferino. Um gajo compreende os argumentos, mas não pode aceitar. Advogavam que cuspir em Cristo era a prova suprema de fidelidade à Igreja. Doentio.
.
Assim, como não é coisa boa instituir regras que impõem cenas abjectas. A chupação do sangue de pilinhas é um bom exemplo.
.
Mas podia dar o exemplo na católica de obrigar os candidatos a padres a não casarem, não terem filhos etc. São cenas que não deviam ser permitidas a instituição alguma a coberto de que justificação for. Não podem exigir isso, pronto, não se fala mais nisso.
.
Em suma, nada disto tem a ver com anti-semitismo ou pro-semitismo. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Não vou à bola com racistas que tomam o todo pela parte.
.
Rb

Ricciardi disse...

Numa viagem que fiz ao méxico, em visita por aquelas civilizações astecas, o sangue tambem era alvo de culto. Estive no poço (enorme) para onde atiravam Virgens e algumas crianças. Estive no altar onde retiravam o coração a pessoas que depois substituiram por coração de pombo e no local para onde vertiam o sangue e o cultuavam.
.
É assim. Ele há tradições boas e tradições mazinhas.
.
Rb

zazie disse...

Sucede que a tradição da circuncisão é a identidade judaica.

Sem ela não há judeus.

Ponto.

Não basta o tribalismo de guerra e ser pró-israelita.

inphinitorumdotcom disse...

Bem que um gajo tenta encontrar uma tese racional, mas quê dela? Os génes?
Mas Ricciardi eu cá tendo para a destrupia, isso da ortografia é pra quem sofre sofre de macroblefaria.

Se entende não reclame, descontraia ome.

E sim, judeus há melhores que eu (em todos os sentidos), infelizmente são a excepção que confirma a regra. Por ai me fico.

dragão disse...

Martim.

os Templários estão envoltos em muitas neblinas. E se contraíram maleita foi lá pelos médio-orientes. Não vá por aí, que isso é mina muito funda.

está em causa o pequeno ritual da circuncisão... V. acha abjecto e faria o quê? Proibiria? Mas ao mesmo tempo não acha abjecto despejar bombas com F.16 em actos de polícia sobre cidades transformadas em campos de concentração à bela maneira do Gheto de Varsóvia... Quer dizer, uma pentelhice é abjecta, mas um hirsutismo completo é perfeitamente moral, legal e santo.
Ninguém vai levá-lo a sério. E sujeita-se a ser justa e verbalmente maltratado.
E não vejo naquilo qualquer abjecção, por muito bizarro que me pareça à luz da minha cultura: o rabi faz uma incisão com o bisturi e depois, em vez de limpar com um algodão, absorve da forma prescrita pelo costume deles. Aquilo há-de ter uma simbologia sagrada qualquer. Essa simbologia, a mim, é que me interessa. O folclore e as considerações muito umbilicais de cada qual sobre o folclore, é batatas.
E vossência escusa de estar sempre nessa compulsão de exibicionismo moral, porque isso soa a falso. E ninguém aqui lhe exige a santidade. Se quer ir dar voltas de joelhos, a bater com a mão no peito e a clamar pela atenção celeste, há uma pista apropriada do Santuário de Fátima.

Ricciardi disse...

«Está em causa o pequeno ritual da circuncisão... V. acha abjecto e faria o quê? »
.
Eu?
-Proibia. Sem qualquer dúvida. Como se proíbe, e bem, cortar o clitóris a uma menina.
.
Rb

zazie disse...

Então proibia os judeus.

E era uma chatice porque lá se ia a tribo e o seguidismo tribal.

Ricciardi disse...

«não acha abjecto despejar bombas com F.16 em actos de polícia sobre cidades transformadas em campos de concentração»
.
Não sei de onde tirou essa ideia. Mas para esclarece-lo melhor, digo-lhe: é imensamente mais abjecto. Não mais, porém, do que usar a vida da própria população para obter beneficios propagandisticos.
.
« Aquilo há-de ter uma simbologia sagrada qualquer. Essa simbologia, a mim, é que me interessa.»
.
Cada um tem os interesses que muito bem entende.Os seus são a simbologia. Os meus são os actos em concreto.
.
«E vossência escusa de estar sempre nessa compulsão de exibicionismo moral, porque isso soa a falso.»
.
Que me importa ao que soa? A moral e bons costumes não requerem que v.exa. esteja de acordo com elas. Existem per si, independentemente de si.
.
«Se quer ir dar voltas de joelhos, a bater com a mão no peito e a clamar pela atenção celeste, há uma pista apropriada do Santuário de Fátima.»
.
Vou várias vezes. A Fátima, à Muxima e abraçar o Santo de Santiago de Compostela. Não sei bem porque vou, confesso. Porque nem rezo, nem dou voltas de joelhos, nem acendo velas. Nada. Vou simplesmente. Talvez seja uma forma de Lhes dizer que já esqueci e estou pronto a virar a página pelas malandrices que me fizeram aos meus ricos filhos.
.
Rb

Ricciardi disse...

«Então proibia os judeus.»
.
Não creio Zazie. Há simbolismos que se substituem facilmente por outros. Haja vontade. O povo não desaparece por mudar certos rituais.
.
Rb

muja disse...

Terei percebido mal, ou o animal diz que vai às igrejas perdoar os santos?!

Ahahahahahahahahahahahah!

muja disse...

Leviticus 17:10 And whatsoever man there be of the house of Israel, or of the strangers that sojourn among you, that eateth any manner of blood; I will even set my face against that soul that eateth blood, and will cut him off from among his people.

17:11 For the life of the flesh is in the blood: and I have given it to you upon the altar to make an atonement for your souls: for it is the blood that maketh an atonement for the soul.

17:12 Therefore I said unto the children of Israel, No soul of you shall eat blood, neither shall any stranger that sojourneth among you eat blood.

17:13 And whatsoever man there be of the children of Israel, or of the strangers that sojourn among you, which hunteth and catcheth any beast or fowl that may be eaten; he shall even pour out the blood thereof, and cover it with dust.

17:14 For it is the life of all flesh; the blood of it is for the life thereof: therefore I said unto the children of Israel, Ye shall eat the blood of no manner of flesh: for the life of all flesh is the blood thereof: whosoever eateth it shall be cut off.

Ricciardi disse...

Percebeste mal bobinho Muja. Mas eu posso esclarecer-te se estiveres interessado.
.
Mas tens de dizer se estás interessado.
.
Rb

zazie disse...

É experimentar dizer a Israel que é melhor acabarem com a circuncisão e esperar para ver.

Se é um mero adereço, então é estranho ser obrigatório para se poder ser judeu.



zazie disse...

O povo não desaparece. Mas desaparecia o judaímo que se funda nesse rito.

Mas é perguntar-lhes para não parecer coisa de goyim anti-semita.

Pode é dar-se o caso de entrar na shit list

zazie disse...

Conclusão- isto das tribos e do seguidismo tribal como acusação para os outros também é um tipo de arma muito engraçada.

É como cuspir para o ar.

Ricciardi disse...

É uma questão de semantica zazie.
.
Judeu pode querer significar coisas distintas consoante o assunto que estejas a retratar. Judeu como povo, judeu como religião, judeu como nação.
.
Se te referes ao judaismo pois deves ter razão.
.
Como sabes grande parte dos chamados judeus nem sequer têm religião. Muitos são ateus e nem seguem rituais alguns.
.
Tecnicamente os judeus são o povo da judeia. Aqueles que alegadamente partiram em exilio para o egipto. E depois convencionou-se chamar judeus a todos aqueles que moravam no reino de david com a fusão do reino de israel com o reino da judeia.
.
Rb

zazie disse...

O povo não desaparece porque povo é o que mais há no mundo- povo tuga, povo inglês, povo chinês, até povo belga.

Há povo para todos os gostos. Religiões é que é outra coisa.

zazie disse...

Ah, portanto o povo não era a populaça dos diferentes países.

Mas também não existe o povo hebreu porque isso tudo há muito que está misturado- seria o mesmo qeu andarmos a dizer que somos lusitanos.

Será uma raça que nem precisa de ritos religiosos?

Ricciardi disse...

A circunsição representa simbolicamente, e simplesmente, em termos religiosos, o pacto com o Deus de Moisés.
.
Rb

zazie disse...

Tecnicamente chama-se muita coisa mas a prova continua a ser baixar as calças.

O resto é conversa de seguidismo tribal por imitação.

zazie disse...

Simplesmente, gostei.

Nada como um simplesmente quando faltam os estudos.

Ricciardi disse...

«seria o mesmo qeu andarmos a dizer que somos lusitanos.»
.
Sim, é a mais ou menos a mesma coisa. Se introduzisses uma religião Lusitanismo, então tinhas a explicação cabal de que judeu é um conceito tripartido. De povo, nação, religião. Lusitano, Lusitanismo, Povo Luso, Patria Lusa.
.
Rb

zazie disse...

O pacto com Moisés há-de ser outro upgrade de segudismo por imitação.

o Abraão está primeiro na bicha.

zazie disse...

Pois, seria uma anormalidade porque falta a cartilha e tudo o resto.

Mas enfim. Pelos vistos, por macaquice de imitação até se pode ser sem ser e sem saber nem ler nada- incluindo a Thora.

A única coisa que me intriga é como é que vão atribuir nacionalidade a mais uns tantos do género.

Ricciardi disse...

Abraão é o pai de três corrente reiligiosas. Anterior ao judaísmo:
.
-O Islamismo pela mão do filho Ismael (o tido com a escrava) e o Judaismo pela mão de Isaac (o filho legitimo). De Isaac deveio tambem o cristinismo.
.
Rb

zazie disse...

A circuncisão foi feita a quem?

Mesmo por empréstimo e apenas por seguidismo de tribo sionista, devias saber, segundos os textos, a quem foi feita a circuncisão.

Ricciardi disse...

Acontece que o ramo Islamico, por volta do sec VI, achou que o Cristianismo pervertia a mensagem correcta. O Maomet achou que os Cristãos se tinham corrompido e terá recebido instruções de Deus para a melhorar. Instruções essas ditadas em extase para escribas alegadamente ditadas pela Providencia: o Corão.
.

Rb

Ricciardi disse...

Sim, acima eu referi Moisés, mas queria dizer Abraão. Foi a abraão que Deus fez um pacto que culminava com o ritual da circunsisão. E esse ritual foi seguido pelos descendentes de Isaac e de Isamel, filhos de Abrãao, de onde devêm o islamismo e judaismo.
.
Rb