quinta-feira, junho 04, 2009

Usura de poder

«Sampaio afirma não ter tido indícios de abuso de poder»

Claro que não houve abuso de poder. Neste país da tanga quando há favoritismo, corrupção, compadrio e amiguismo nunca é abuso de poder: é simples e banal exercício do mesmo.
Mas, mais adiante, quando o ex-coiso muito se "espanta que o Ministério Público (MP) se «pronuncie, agora, inutilmente, sobre factos de há mais de 13 anos»", eu também não deixo de me assombrar. Afinal, quando a puta da câmara andou a vandalizar paredes e passeios no Largo de S. Domingos, com graffitis e calhaus de péssimo gosto e ainda mais manhosa justificação, por memória e graça, dizem, dumas confusões decorridas há mais de quatro séculos, aí, o antigo Estafa-poltrona não achou estranho nem espantoso. Pelo contrário, é mais que certo que entendeu da mais elementar justiça. E, junto com a kippa, só não levou o bode porque não cheirava apenas mal: fedia.