sexta-feira, janeiro 29, 2016

Perpétua vitimização

Genocide scholar blasts Israel's 'racist' teaching of the Holocaust 

«Prof. Yair Auron's thesis is clear: Israel prefers to avoid, repress and minimize the suffering of other peoples in the Holocaust and other circumstances, to perpetuate victimization and isolationism. »

Há um nome erudito para isto: Tanato-proxenetismo.  Mas isso é apenas instrumental. A finalidade objectiva passa pela auto-segregação no retorno ao uberghetto.  Até porque este, ao contrário dos outros "campos de concentração" involuntários, possui a virtude suprema de ser absolutamente exclusivo.

3 comentários:

ARIES disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ARIES disse...

Dê por onde der, os sionistas precisam de nós, pois sem Europa não haverá Israel:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2015/09/os-sionistas-precisam-de-nos-ou-porque.html

http://historiamaximus.blogspot.pt/2015/12/querem-os-sionistas-dar-um-tiro-nos.html

Anónimo disse...

'...sem Europa não haverá Israel:'

Nao sei se é assim. É verdade que sem alemanha acaba-se-lhes uma boa parte da mama. Mas podem sempre aumentar a parasitose aos eua.

Um bons parasitas e umas boas "vítimas" arranjam sempre quem os alimente.

Os gajos são tão maluquinhos que pensam que podem destruir tudo e depois vem o messias salvá-los.

Um dia sai-lhes um "especial de corrida" na rifa, e lá vão de vez pró galheiro. Já tiveram uma amostra no século passado. Não aprenderam nada.

Chutzpah cosher a molhos.